Conectado com

Pet Pet

Congresso CBNA Pet será realizado de forma online

Os eventos XIX Congresso CBNA Pet e III Workshop sobre Nutrição e Nutrologia de Cães e Gatos serão realizados de forma online

Publicado em

em

Divulgação

Visando a segurança de todos diante do atual momento em que vivemos e a necessidade de evitar aglomerações, o CBNA (Colégio Brasileiro de Nutrição Animal) realizou uma reunião virtual via Skype entre seus membros para tomar uma decisão importante: Os eventos XIX Congresso CBNA Pet e III Workshop sobre Nutrição e Nutrologia de Cães e Gatos, agendados para 21 e 22 de outubro de 2020, serão realizados de forma online.

O CBNA explica: “Como esperamos mais de 500 pessoas para participar destes eventos, precisamos, em primeiro lugar, garantir a saúde dos participantes. Ainda temos as determinações oficiais de evitar aglomerações e sabemos que ela deve persistir por mais algum tempo. A programação será mantida e seu conteúdo será aproveitado ao máximo como sempre”.

Aulus Carciofi, Professor da FCAV/ UNESP, é o Coordenador da Comissão Pet do CBNA. Para ele, a diversidade de aptidões entre os membros que organizam o evento e os palestrantes e suas experiências vão trazer excelentes trocas de ideias para os participantes, que precisam se manter atualizados e abastecer a cadeia com novidades. “Assim, o CBNA seguirá com a sua missão, que é divulgar a boa nutrição animal e colaborar na formação continuada de seus associados”, afirma.

Vale lembrar que a data final para o envio de trabalhos científicos para o III Workshop sobre Nutrição e Nutrologia de Cães e Gatos e XIX Congresso CBNA Pet foi estendida até o dia 21 de agosto.

Além disso, entre os dias 21 e 22 de abril de 2021, o Congresso CBNA Pet e o Workshop sobre Nutrição e Nutrologia de Cães e Gatos serão presenciais e realizados junto à Fenagra (Feira Internacional da Agroindústria), no Expo D. Pedro, em Campinas, SP.

Em breve mais informações serão divulgadas.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =

Pet Pós quarentena

Veterinária dá dicas de como amenizar impactos da volta à rotina para os pets

Animais de estimação são muito sensíveis à mudança de rotina e podem desenvolver comportamentos indesejáveis

Publicado em

em

Divulgação

Com a flexibilização do isolamento social ao redor do Brasil, muitas pessoas estão voltando ao trabalho. Se para os humanos é um alívio saber que aos pouquinhos a rotina está sendo retomada, para os pets nem tanto… Eles se acostumaram com a presença constante de seus tutores durante a quarentena, e por isso, este retorno pode provocar estresse e alterações de comportamento e até de saúde.

Animais de estimação são muito sensíveis à mudança de rotina e podem desenvolver comportamentos indesejáveis como latir, uivar ou miar em horários impróprios, alterar seu local habitual de excreção de fezes e urina ou ainda, roer ou arranhar móveis, tudo isso para tentar chamar atenção do tutor e extravasar a angústia da separação. Cães e gatos ainda podem apresentar sinais de ansiedade e depressão por consequência da solidão abrupta. Esses sinais incluem lambedura compulsiva, morder seus próprios membros (automutilação) ou até mesmo perder o interesse pelo alimento.

Por isso, Lara Volpe, médica veterinária, dá dicas para amenizar esse tipo de sofrimento: O tutor pode acostumar o pet gradativamente a ficar sozinho outra vez. Para isso, ainda em isolamento social, é indicado manter seu pet em cômodos diferentes da casa durante alguns períodos do dia. Dessa maneira, a medida que a rotina for voltando ao normal, o animal estará mais acostumado a passar um tempo sozinho, sem sofrer uma mudança abrupta em sua rotina.

Outra dica é manter com o pet uma peça de roupa previamente usada pelo tutor, visto que o cheiro de seu dono remete à segurança de sua presença, acalma e ameniza a solidão. Também é importante deixar brinquedos para sua distração ao longo do dia, minimizando o tédio.

Se mesmo assim o tutor notar que seu animal está sofrendo com sua ausência, ainda existe a possibilidade de deixá-lo em uma “creche” (pet day care) ou contratar uma pessoa para ficar com o pet em sua própria casa (pet sitter) ou ainda para realizar passeios. O importante é sempre estar atento ao comportamento do seu pet e, ao retornar para casa, aproveitar cada minuto com eles.

E vale reforçar: em um momento como este, proporcionar ao pet uma refeição de alta qualidade, saborosa, completa e balanceada, além de ser a base para os cuidados com a saúde, sem dúvida promove um momento de carinho entre o tutor e seu cão ou gato.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Pet Tecnologia

Certificado Veterinário para cães e gatos com destino à Argentina será eletrônico

Atualmente, o documento eletrônico é expedido para viagens dos animais de estimação somente aos Estados Unidos

Publicado em

em

Divulgação/MAPA

A partir da próxima segunda-feira (10), será permitida a emissão online do Certificado Veterinário Internacional (CVI), do Sistema de Vigilância Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para o embarque aéreo de cães e gatos com destino à Argentina. O documento é obrigatório para a saída dos animais de estimação do Brasil. Atualmente, apenas os bichinhos que viajam aos Estados Unidos têm CVI digital. Em 2020, já foram emitidos 2.531 CVIs eletrônicos com destino ao país.

O CVI online será utilizado para desembarque nos aeroportos argentinos internacionais: Ministro Pistarini Ezeiza, em Buenos Aires; Ambrosio Taravella – Pajas Blancas, em Córdoba; Islas Malvinas – Rosario, em Santa Fé; El Palomar, em San Fernando; e no posto de fronteira terrestre de São Tomé (RS). Em breve, será incluído o Aeroparque Metropolitano Jorge Newbery. Para trânsito pelas fronteiras terrestres, a emissão não ocorre eletronicamente. O tutor do animal deve solicitar o certificado nas aduanas argentinas, com exceção do posto de São Tomé, no município de São Borja (RS), que fará emissão online.

O CVI eletrônico terá validade de 60 dias para ingresso na Argentina a partir da data de emissão. Para animais vacinados com menos de 90 dias, o CVI (sem comprovação de vacina antirrábica) tem validade para ingresso na Argentina e retorno ao Brasil somente até o animal completar 90 dias de vida. Após esta data, deverá ser aplicada a vacina antirrábica e aguardar período de 21 dias pós-vacina para solicitar novo CVI para ingressar em território argentino ou voltar ao Brasil.

O acordo de emissão do CVI online atende às exigências de trânsito aéreo e terrestre da Argentina, não se aplica aos demais países do Mercosul. As exigências podem ser verificadas aqui.

Como funciona o CVI eletrônico?

O sistema de emissão do CVI eletrônico funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, independentemente de feriados e fins de semana. O prazo para emissão do certificado é de 72 horas corridas, se a documentação anexada e o preenchimento do formulário de solicitação estiverem corretos.

O Certificado Veterinário Internacional é assinado eletronicamente, devendo ser impresso e estar em mãos do tutor para embarque do animal. O e-CVI dispensa assinatura e carimbo físico. A data da emissão e a assinatura eletrônica constam na parte esquerda inferior do documento, com a identificação do servidor.

Site para solicitação da emissão do e-CVI 

Fonte: MAPA
Continue Lendo

Pet Saúde Animal

O cuidado com a higienização dos pets no novo normal trazido pela pandemia

Para evitar que os animais tragam pragas, como pulgas e carrapatos para as residenciais, é preciso tomar medidas preventivas

Publicado em

em

Divulgação

O novo normal estabelecido pela pandemia do coronavírus também influenciou o universo pet. A reabertura das praças e parques nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, deve levar os donos de amimais a tomarem cuidados extras quando forem passear com seus pets nestes locais. Para evitar que os animais tragam pragas, como pulgas e carrapatos para as residenciais, é preciso tomar medidas preventivas, como fazer vistoria no bicho antes do passeio e, no retorno, passar um pano com álcool no animal.

“Essa vistoria antes do passeio é importante, pois uma vez que identificamos a presença de pulgas ou carrapatos, devemos evitar de levar os animais para passearem em parques e praças, desta forma evitaremos possíveis processos de infestação nestas áreas. Na volta, basta passar um pano com álcool para eliminar qualquer tipo de possibilidade de contato com as pragas mais comuns”, revela o vice-presidente da Aprag (Associação dos Controladores de Vetores e Pragas Urbanas), Sérgio Bocalini.

Caso o animal volte para casa com alguma infestação, Bocalini aconselha o início imediato do tratamento com produtos específicos recomendados por veterinários. Segundo ele, estas pragas podem atingir humanos e trazer danos à saúde das pessoas. “Adotar tratamentos preventivos, com o uso de produtos veterinários adequados, é outra ação importante para evitar que animais transportem esses ectoparasitas para dentro de qualquer ambiente”, diz.

No caso de uma infestação de pulgas ou carrapatos, o ideal é que se faça uma desinsetização com produtos adequados para evitar um risco de intoxicação dos animais e pessoas. Ressaltando que serviços de controle de pragas urbanas só podem ser realizados por empresas constituídas para tal, que contem com autorização da Anvisa.

O vice-presidente da Aprag ainda destaca que local da casa em que o animal é preparado na volta ser constantemente higienizado. “A higienização dos locais que os pets utilizam, principalmente onde dormem, é importante e deve ser feita pelo menos uma vez ao dia”, ressalta.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.