Conectado com

Empresas PECUÁRIA:

Como o planejamento sanitário pode ajudar na eficiência da desmama

Cuidados com a saúde antes, durante e depois são fundamentais para o sucesso desse manejo

Publicado em

em

Foto: Divulgação

Um importante indicador para avaliar uma fazenda de cria ou de ciclo completo é o índice zootécnico Taxa de Desmama, calculado pela relação entre o número de bezerros desmamados dividido pelo número de vacas expostas dentro de um determinado período pecuário. Alguns indicadores mais produtivos relatam que essa relação pode chegar a 79,1%, levando em conta perdas gestacionais e mortalidade de bezerros dentro do mesmo período avaliado.

A desmama se caracteriza pela retirada do bezerro do contato com a vaca, normalmente entre o 7º e 9º mês de idade. Nessa época, o animal já é um ruminante e tem plena condição de utilizar forragem sólida como única fonte de energia e de nutrientes de que necessita. Além disso, a participação do leite na dieta do bezerro é pequena após o terceiro mês de lactação.

“O desmame pode ser realizado de formas diferentes, de acordo com as intenções do pecuarista e pode ocorrer em momentos distintos da vida do bezerro, dependendo do manejo realizado em cada propriedade. No entanto, para que esse período não seja crítico e/ou acarrete perdas, é preciso um planejamento com antecedência. Só assim, haverá uma desmama com eficiência e com bezerros que atinjam bom peso”, explica o médico-veterinário e Gerente de Serviços Técnicos da Biogénesis Bagó, Reuel Gonçalves.

Para isso, é fundamental adotar um programa sanitário e aliá-lo ao programa de desmama, dando início ao um protocolo antes do nascimento do bezerro. “Um dos problemas recorrentes durante a fase de aleitamento e que pode influenciar o desenvolvimento do bezerro, por exemplo, são as diarreias neonatais. Para se evitar essa enfermidade, a indicação é fazer uma vacinação preventiva na vaca com 60 e 30 dias antes do parto, contra Escherichia coli J5 e Rotavírus (G6 e G10). Essa medida ajudará a baixar os índices de diarreia neonatal nos primeiros 35 dias de vida do bezerro, além de promover um excelente desenvolvimento, garantindo um bezerro mais sadio e, consequentemente, com melhor peso até a desmama”, orienta Gonçalves.

O médico-veterinário lembra que no nascimento do bezerro há a etapa da cura do umbigo, quando se deve utilizar no manejo iodo 10% (“queima” do umbigo), repelente mosquicida, além de ser recomendada a aplicação de doramectina 1,1% para prevenir a instalação de uma miíase.

“Entre 60-90 dias, o produtor deve se atentar à prevenção efetiva contra doenças que podem prejudicar ou causar a mortalidade em bovinos. Esse é o momento de vacinar contra a clostridiose – indicada uma vacina com 8 cepas + a cepa de E. coli J5 – e, caso a região seja endêmica para a raiva, é fundamental fazer a aplicação da vacina antirrábica, com reforço 30 dias depois da primeira dose e uso de pour-on de Fluazuron simples, não conjugado”, detalha o profissional da Biogénesis Bagó. Segundo ele, entre os três e oito meses, as fêmeas, bezerrras, também devem receber vacina B19 contra a brucelose, uma doença que, além de prejuízos econômicos na propriedade, é uma zoonose e possui controle oficial.

 

Aproveitar o manejo para desverminar

O médico-veterinário e coordenador de Serviços Técnicos da Biogénesis Bagó, João Paulo Lollato orienta que o produtor pode aproveitar o manejo, com 90-120 dias, para desverminar o animal com um vermífugo concentrado. “Caso seja uma época chuvosa, em que há o desafio de combater os endo e ectoparasitas, há a indicação de ministrar uma Ivermectina concentrada (3,15%), que atua com longa ação. Caso seja na época da seca, com apenas o desafio de combater os parasitas internos, pode-se ter como aliado o fosfato de levamisol concentrado (23,63%)”, pontua.

Lollato ressalta que fazer uma suplementação com minerais injetáveis, à base de Cobre e Zinco orgânicos, nessa fase auxilia de forma efetiva para o desenvolvimento dos animais, influenciando positivamente na imunidade.

Após esse primeiro manejo, de dose e reforço das vacinações, já por volta dos sete/nove meses preferencialmente antes da desmama, a orientação é que seja realizada uma terceira dose das vacinações contra clostridiose (com 8 cepas + cepa de E. coli J5 para prevenção de diarreias), vacina antirrábica e novamente a aplicação de vermífugo de longa ação. “Isso porque caso o animal seja encaminhado a um manejo de recria, poderá ficar até quatro meses sem ter que voltar para um manejo de curral. Neste momento também é indicada novamente a aplicação da suplementação injetável com Zinco e Cobre Orgânicos, que auxiliará na imunidade e minimizará o estresse que esse animal passará no período da desmama”, acrescenta Lollato.

O pecuarista de corte deve considerar a desmama visando principalmente a vaca, a fim de que ela possa recuperar a condição corporal para parir bem e emprenhar logo, considerando que uma vaca produtiva e rentável é aquela que fornece para a fazenda um bezerro por ano.

“Portanto, o sucesso da desmama começa com um ótimo programa nutricional das vacas e bezerros, suplementação mineral e vitamínica em conjunto com um programa vacinal e antiparasitário completo para que o animal não apresente queda imunitária e manifestação de doenças, devido ao estresse desse manejo”, conclui o Coordenador de Serviços Técnicos da Biogénesis Bagó.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 7 =

Empresas

Impulsa conquista nova conta do agronegócio e se consolida como agência de comunicação com expertise no setor

Agência trabalhará o marketing digital, produção de conteúdo, inbound marketing e campanhas de produtos da Trouw Nutrition

Publicado em

em

Mateus Domiciano, sócio-diretor da Impulsa - Fotos: Divulgação

A Impulsa Comunicação se firma mais uma vez no mercado como uma agência com know-how para trabalhar com diversos segmentos, principalmente no agronegócio, um dos principais setores da economia brasileira. Ela agora é responsável pela comunicação da Trouw Nutrition, marca que há mais de 90 anos entrega soluções em nutrição para a produção de carnes, ovos e leite.

De acordo com Mateus Domiciano, sócio-diretor da Impulsa, a agência vive um momento ímpar dentro do agronegócio, atendendo várias frentes deste setor que não para de crescer na economia brasileira. “Nossa carteira dentro do agro passa por empresas de sementes, defensivos agrícolas, saúde animal, máquinas e agora agrega uma das mais importantes empresas globais de nutrição. Estamos muito felizes com a chegada da Trouw Nutrition. A experiência da nossa equipe nesse segmento será fundamental para alcançarmos ótimos resultados”, afirma ele.

“Estamos na expectativa de iniciarmos esta parceria, que acreditamos ser uma oportunidade especial de contribuir para o desenvolvimento dos nossos negócios” diz Gabriele Alves Barbosa, coordenadora de marketing da Trouw Nutrition.

 

Know-how no agronegócio

O know-how da Impulsa Comunicação no setor do agronegócio começou há mais de dez anos, quando a agência conquistou a conta do Instituto Agronômico (IAC), primeira instituição de ciência e tecnologia fundada na América Latina e um dos principais institutos de pesquisa voltado à agricultura do mundo. A agência, que continua realizando trabalhos para o IAC, hoje também é responsável pela comunicação de marcas que são referência no setor agro, como IHARA, ICC Brazil, SAN Vet, Uniggel Sementes e Agristar.

Todo esse trabalho resulta em campanhas premiadas. Em 2021, a Impulsa conquistou cinco prêmios por campanhas desenvolvidas para a IHARA, na XIX Mostra de Comunicação Agro, premiação promovida pela Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), e outros três prêmios no Mídia Festival, um dos principais prêmios publicitários do interior do estado de São Paulo.

“O mercado do agro mudou. Hoje, os produtores estão mais conectados aos meios digitais, atentos às inovações e procurando se cercar do máximo de informações possíveis para tomar as decisões mais assertivas em busca dos melhores índices de produtividade. Precisamos entender suas dores, que são diferentes em um país continental como o nosso, e as marcas precisam estar ligadas aos seus clientes não só ofertando produtos, mas oferecendo ferramentas e conhecimento para as suas decisões”, explica Domiciano.

Além da atuação no segmento agro, a Impulsa atende clientes de todo o Brasil e do exterior na área de varejo, serviços, educação e indústria, como a Avery Dennison, Caterpillar, DelRio, Universidade São Francisco e Wet´n Wild.

 

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

AB Vista vai apresentar trabalho no evento do Poultry Science Association

Um dos mais importantes encontros da avicultura mundial acontece em San Antonio, TX, entre os dias 11 e 14 de julho

Publicado em

em

Alexandre Barbosa de Brito, Gerente Técnico LATAM da AB Vista

A AB Vista vai para San Antonio apresentar um trabalho no evento do PSA – Poultry Science Association, que acontece entre os dias 11 e 14 de julho de 2022, em San Antonio, Texas, Estados Unidos.

A empresa, representada por um dos produtores do estudo, Alexandre Barbosa de Brito, Gerente Técnico LATAM e apresenta a avaliação de uma nova técnica para identificar o formaldeído em dietas de frangos de carne e esta relação com a recuperação da fitase e da xilanase.

O objetivo deste estudo foi avaliar os níveis de formaldeído na dieta, além de correlacionar estes valores obtidos por kits comerciais, e este efeito sobre a recuperação enzimática, já que embora a atividade das enzimas recuperadas na ração seja a forma mais comum de medir a inclusão de enzimas na dieta, os formaldeídos reduzem a atividade das enzimas analisadas na ração.

A apresentação do trabalho acontece no dia 14 de julho, a partir das 9h45 (horário local).

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Desenvolvimento

Aviagen Peru celebra 3 anos de crescimento e sucesso

A granja Malvinas 2 será desenvolvida para adicionar 12 novos e modernos aviários, aumentando a capacidade de produção

Publicado em

em

Divulgação Aviagen

O Grupo Rocío e a Aviagen® celebram 3 anos do acordo estratégico para uma joint venture, pelo qual a Avícola del Norte (Avinor), empresa do Grupo Rocío, se converteu em uma subsidiária da Aviagen chamada Aviagen Peru. O novo negócio ajudou a Aviagen a expandir ainda mais seu alcance na América Latina e agregar valor aos clientes no país. A Aviagen Peru é uma importante e estratégica base de produção para a América Latina. Iniciou com a produção de 1,5 milhão de matrizes por ano, possibilitando o suprimento de matrizes Ross® 308 AP aos produtores avícolas em todo Peru e em outros países da América do Sul.

A Aviagen e o Grupo Rocío celebram os recentes projetos de expansão que ajudarão a cumprir a estratégia conjunta em promover o sucesso dos avicultores peruanos e a sustentabilidade da cadeia de produção de carne de frango.

“O Peru está entre os maiores produtores de carne de frango da América Latina e é o país com o maior consumo per capita de carne de frango. A joint venture e nosso forte relacionamento com o Grupo Rocío são importantes para a estratégia da Aviagen na América Latina em termos de desenvolvimento contínuo, para auxiliar nossos clientes a alimentar suas comunidades locais com uma proteína acessível e sustentável, agora e no futuro”, afirmou Ivan Pupo Lauandos, Presidente da Aviagen América Latina.

Para Rafael Quevedo Flores, fundador do Grupo Rocío, a relação entre as duas empresas promoveu o crescimento da avicultura peruana. “Graças a uma aliança baseada em valores compartilhados e inovação, estamos promovendo a avicultura sustentável no Peru, beneficiando tanto produtores quanto consumidores, que terão acesso a uma proteína saudável e sustentável”.

Desenvolvimento sólido no Peru

Devido ao sucesso desta parceria e ao próspero mercado para as aves Ross 308 AP no Peru e na América do Sul, em fevereiro a Aviagen anunciou planos para aumentar a produção de matrizes, garantindo o fornecimento às empresas. O investimento de US$ 12 milhões inclui a expansão e a atualização de uma granja, um novo incubatório e um laboratório.

Localizada em um local biosseguro, no deserto da costa Norte do país, a granja Malvinas 2 será desenvolvida para agregar 12 novos e modernos aviários automatizados, também aumentando a capacidade de produção de matrizes dos aviários existentes. Quando o projeto estiver concluído, ao término de 2022, a capacidade de produção duplicará, para 3 milhões de matrizes por ano.

A Aviagen Peru planejou também a construção de um novo incubatório, que terá 24 máquinas de estágio único com capacidade de 3 milhões de matrizes/ano. Além disso, a expansão continua, com a construção de um novo laboratório de diagnóstico e monitoramento com análises imunológicas de ponta, tecnologia molecular e técnicas de cultura bacteriológica de última geração.

Para César Muro, gerente geral da Aviagen Peru, os projetos e investimentos da Aviagen no Peru demonstram confiança no futuro. “Devido ao histórico na avicultura, aliada às excelentes condições climáticas e experiência em logística, o Peru é a base de produção ideal para as aves Ross. Além disso, a popularidade do Ross 308 AP continua a crescer, à medida que mais e mais produtores avícolas se beneficiam da performance reprodutiva das aves, sua robustez e eficiência alimentar.”

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
SIAVS 2022

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.