Conectado com
LINKE

Empresas Carne Suína

Com cinco anos de atuação, indústria paranaense de carne suína prevê expansão para 2021

Sediada na região dos Campos Gerais, Alegra exporta para mais de 30 países e espera fechar 2020 com faturamento de R$ 800 milhões

Publicado em

em

(Foto: Divulgação)

Referência no setor de alimentos, a indústria paranaense de derivados de carne suína Alegra completa cinco anos de atuação em outubro, data celebrada com planos de expansão e representatividade local. Com 100% do quadro de colaboradores moradores da região dos Campos Gerais e 118 cooperados cadastrados para fornecimento de matéria-prima, a indústria fomenta a economia local e também o mercado de exportações do estado.

De acordo com o superintendente da Alegra, Matthias Rainer Tigges, a chegada da pandemia da Covid-19 impactou no mercado interno, mas não afetou nos planos de crescimento. “Em abril, nós perdemos 30% do mercado interno, mas migramos para a exportação e, com isso, fechamos o mês somente 7% abaixo do esperado. Além disso, a partir de maio, o faturamento foi recomposto. Hoje exportamos um terço da produção e equilibramos de novo”, ressalta.

Em setembro deste ano, a empresa já registrou 10% de aumento na capacidade de produção e visa novos mercados para exportação. “Nossa produção passou de 8 mil toneladas por mês para 9 mil toneladas, um aumento de abate de 300 suínos por dia. Além disso, começamos o ano com 1500 funcionários e agora estamos com 1660, fruto do projeto de crescimento”, explica.

Mercado nacional

Conhecido como o celeiro do Brasil, o Paraná tem como vantagem produtiva para o mercado suíno a presença de grãos, como a soja e o milho, que representam 60% do custo de transformação do quilo dos animais. Para Matthias, esse é um diferencial do estado. “O Paraná está em busca de certificações para aumentar ainda mais sua presença no mercado externo, já que, em outros fatores, como o clima e a presença de insumos, já temos diferenciais frente a estados como Santa Catarina, por exemplo”, conta.

Atualmente, a Alegra conta com um volume de exportação de aproximadamente 2100 toneladas por mês. Ao todo, são mais de 30 países habilitados para receber a produção. Para o fechamento de 2020, o valor de faturamento esperado é de 800 milhões de reais. “Apesar do pouco tempo de marca, a Alegra representa as três cooperativas holandesas dos Campos Gerais, instituições que já possuem representatividade e relevância no mercado. Por isso, ressaltamos que somos jovens, porém experientes”, finaliza Tigges.

Fonte: Ass. Imprensa
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + 3 =

Empresas Parceria

MCassab traz ao mercado sul-americano duas novas soluções para suinocultura

Soluções têm propósito de atender a nova demanda sobre qualidade de carcaça de suínos e isospora em leitões

Publicado em

em

Arquivo / OP Rural

Reforçando o compromisso em levar aos clientes soluções inovadoras em Nutrição e Saúde Animal, o Grupo MCassab vem investindo cada vez mais em soluções pautadas de tecnologias. O objetivo é atender os mais variados mercados importadores de proteína animal.

Para tornar o objetivo uma realidade, a Linha de Saúde Animal e Especialidades ganha um reforço importante no portfólio de produtos naturais e na substituição de soluções convencionais.

Em parceria com a empresa Francesa IDENA, referência em soluções naturais na Europa, o Grupo MCassab traz ao mercado sul-americano duas novas soluções: o ValiMP e o Forcix SW, ambos com propósito de atender a nova demanda sobre qualidade de carcaça de suínos e isospora em leitões.

O Grupo MCassab continua desenvolvendo soluções inovadoras, juntos com os parceiros, para entregar o melhor ao agronegócio.

Continue Lendo

Empresas Suinocultura.

Pigger Cream a escolha ideal para o apoio a matrizes hiperprolíficas

O desenvolvimento da suinocultura nacional exige o uso de tecnologias nutricionais e ferramentas para o suporte aos desafios diários da atividade

Publicado em

em

Claudilene Aparecida Costa / Divulgação

Sempre em busca por soluções nutricionais voltadas para a suinocultura é que a Polinutri, empresa especializada em nutrição animal sediada em Osasco (SP), trouxe para o mercado o Pigger Cream, produto lançado no início de 2019 como forma de apoio ao manejo as fêmeas hiperprolíficas em parceria com a Liprovit (Holanda).

“Este é um alimento em linha ao notório avanço genético e a alta prolificidade das granjas nacionais que em muitos casos atingem índices superiores a 18 leitões vivos/porca”, explica a Gestora Comercial da Polinutri, Camila Brandão.

De acordo com o Gerente de Negócios Suinocultura da Polinutri, Felipe Ceolin, ao longo deste período, os resultados da parceria entre a Polinutri e a empresa holandesa têm sido consistentes e motivo de comemoração. Isso por conta da qualidade e facilidade do uso do Pigger Cream. “Oferecemos para o mercado um leite UHT palatável de elevada qualidade nutricional que atua diretamente para o desenvolvimento de leitões fortes e saudáveis, além de ser pronto para uso”, detalha Felipe.

Quem atesta todas essas considerações é a encarregada de Maternidade na Agropecuária Ponta Verde, Leopoldo de Bulhões (GO), Claudilene Aparecida Costa. Em um plantel formado por 626 matrizes ela relata que passou a fazer uso do Pigger Cream com objetivo de reduzir os índices de mortalidade neonatal da granja.  “Passamos a utilizar o Pigger Cream para leitões de baixa viabilidade. Estratégia que já apresenta resultados por meio da redução da mortalidade desses leitões”, relata e continua: “o que mais surpreendeu foi uma leitegada prematura com 106 dias de gestação. Fornecemos o Pigger Cream misturado ao leite, 50% de cada nos dois primeiros dias. Dos 12 leitões nascidos conseguimos salvar 10 leitões.”

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Contratação

Departamento Técnico/Comercial Aves – Norte conta com reforço

Área de avicultura da Vetanco conta com os trabalhos de Roney desde Novembro de 2020

Publicado em

em

Roney da Silva Santos / Divulgação

O Técnico Agrícola Roney da Silva Santos passou a integrar o time da Vetanco desde novembro do ano passado.

Roney tem formação no Técnico Agrícola com Habilitação em Agricultura e Zootecnia pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí (hoje Instituto Federal de Minas Gerais – IFMG) e é pós-graduando em Gestão do Agronegócio pela Faculdade Famart de Itaúna/MG.

O Assistente Técnico tem experiência na área de avicultura onde atuou na assistência técnica para a criação de frangos de corte, biossegurança e construção de aviários.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Boehringer webinar

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.