Conectado com
FACE

Empresas

Com alta performance nas lavouras, híbrido CD 3612PW é apresentado durante Expedição, promovida pela Coodetec

Aposta da vez para a Safrinha 2017, híbrido está com excelente desempenho e gera grande expectativa entre agricultores

Publicado em

em

Com o objetivo de promover um intercâmbio tecnológico de alto investimento para a Safrinha e apresentar o híbrido CD 3612PW na lavoura, com o manejo utilizado pelo próprio agricultor, a Coodetec promove a Expedição 3612. O evento contará com mais de 40 saídas e passará pelos Estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Rondônia. Com duração de dois meses, as visitas tiveram início na primeira semana de junho.

“Nosso objetivo é apresentar os diferenciais desse híbrido que está com excelente performance nas lavouras. Entre os diferenciais, sanidade foliar, qualidade de grãos, tolerância a períodos de estiagem, além do ciclo que possibilita ampla adaptação”, comenta a supervisora de Desenvolvimento de Produto da Coodetec, Flávia Vieira.

A primeira rodada da Expedição 3612, realizada nos dias 07 e 08 de junho, reuniu cerca de 60 técnicos e agricultores em Francisco Beltrão e Pérola D´Oeste, no Paraná. O primeiro grupo partiu do entreposto da Coasul – Cooperativa Agropecuária Sudoeste – de Francisco Beltrão e visitou propriedades da região. O segundo grupo, que se reuniu na unidade da Coagro – Cooperativa Agropecuária Capanema –  de Pérola D´Oeste, teve a oportunidade de visitar quatro lavouras nas cidades próximas.

Para quem já acompanhou a Expedição, o grande nome da Safrinha 2017 será o CD 3612PW, como é o caso do agrônomo da Coagro, Muriel Gustavo Lorscheider que, além de aprovar o formato da Expedição, aposta na alta demanda do material em sua região. “Com certeza recomendaremos esse híbrido para a abertura do plantio da safrinha”, explica o profissional.

O híbrido da Coodetec apresenta o melhor conjunto para safrinha, com tecnologia PowerCore™, da Dow AgroSciences, associada a alta produtividade. Trata-se do primeiro evento em milho, com cinco genes estaqueados, aprovado no Brasil, que atua contra as principais pragas e plantas daninhas desta cultura. “Estou altamente satisfeito com o resultado do plantio. A qualidade do CD 3612PW é excelente em comparação aos demais, além de ser um milho bem mais resistente às doenças. Minha lavoura tornou-se referência para a vizinhança, que também irá plantar na próxima safrinha”, finaliza Zelindo Citadin, produtor de Francisco Beltrão.

Sobre a Coodetec

A Coodetec – Desenvolvimento, Produção e Comercialização Agrícola Ltda., uma empresa do grupo Dow AgroSciences, atua de forma responsável, contribuindo, através do melhoramento genético e da biotecnologia, para uma agricultura sustentável. Seu portfólio diversificado oferece uma ampla variedade de soluções, com alta tecnologia, para atender as demandas do mercado de trigo, soja e milho. A sede da empresa fica em Cascavel/PR, com unidades de pesquisa em Palotina/PR, Rio Verde/GO, Sorriso/MT e Indianópolis/MG, além da equipe externa de Vendas, Desenvolvimento de Produto, Pesquisa e Produção, que atua em toda a região produtora do Brasil.

 

Dow e Rio 2016

Como “Empresa Química Oficial” dos Jogos Olímpicos, a Dow possui uma posição única como fornecedora de soluções inovadoras e mais sustentáveis que melhoram a experiência Olímpica para os territórios-sede, atletas e fãs em todos os lugares – na arena dos Jogos e em nossas vidas diárias. Nosso portfólio de produtos inovadores e de alta tecnologia oferece produtos mais sustentáveis para as necessidades mais desafiadoras dos Comitês Organizadores, governos locais, construtores e parceiros ligados aos Jogos.

 

Sobre a Dow AgroSciences

A Dow AgroSciences, com sede em Indianápolis, Indiana, nos Estados Unidos, desenvolve soluções inovadoras para a proteção de cultivos e biotecnologia de plantas para atender aos desafios de um mundo em crescimento. A Dow AgroSciences é uma subsidiária em caráter integral da The Dow Chemical Company e obteve um volume de vendas global de US$ 6,4 bilhões em 2015.

Fonte: Ass. de Imprensa Dow AgroSciences

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − quinze =

Empresas

SAN Group anuncia Christoph Rauch como CEO

Publicado em

em

CEO Christoph Rauch - Divulgação

O SAN Grupo inicia 2021 com a contratação do CEO Christoph Rauch. Ele tem como foco o desenvolvimento estratégico do grupo, que reúne as empresas Sanphar Saúde Animal, Bio-Ferm e Westbridge, todas do agronegócio, SAN Real – de construção e mercado imobiliário – e SAN Pacific Investiments. Nascido em Viena, capital da Áustria, o novo CEO é PhD em física.

“Christoph e eu dividimos a mesma visão sobre futuro e sustentabilidade para o planeta. Ele traz ao SAN Group a experiência de muitos anos em negócios internacionais, especificamente em estratégias comerciais e tecnologia”, afirma Erich Erber, proprietário e fundador do SAN Group. O novo CEO inicia sua atuação concentrando investimentos na cadeia da produção e biotecnologia, digitalização e automação, bem como energia verde e sustentabilidade.

Rauch começou sua carreira na Universidade de Tecnologia de Viena, tendo também passado pelo Instituto Weizmann de Ciência, em Israel. Após essas experiências, migrou para a consultoria estratégica. Nesse segmento, trabalhou para a A.T. Kearney, na qual prestou serviços para indústrias e empresas de energia líderes, como foco no desenvolvimento de estratégias, organização e integração pós-fusão.

Em 2005, Rauch conheceu Erich Erber enquanto trabalhava na Palfinger AG em Cingapura. Após retornar à Áustria, tornou-se diretor-executivo da Mechatronik Systemtechnik GmbH, fabricante líder de máquinas especiais para semicondutores. No mesmo ano, tornou-se membro do Comitê de Supervisão da Erber AG. Entre 2019 e 2020, supervisionou a venda da empresa Erber Group para o holandês Royal DSM Group.

O SAN Group foi fundado em 2020 e conta com a Sanphar Saúde Animal, Bio-Ferm, Westbridge, SAN Real e SAN Pacific Investments. O grupo possui aproximadamente 200 funcionários em quatro continentes. O SAN Group investe em empresas com modelos de negócios escaláveis ​​e sustentáveis ​​nas áreas de agronegócio, biotecnologia, energia verde, alta tecnologia e imobiliário. O SAN Group é propriedade de Erich Erber.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Agricultura

FMC reforça parceria com produtor em mais um ano de apoio ao Rally da Safra

Companhia participa pela quarta vez consecutiva do expedição

Publicado em

em

Divulgação FMC

A FMC empresa de ciências para agricultura, participa por mais um ano do Rally da Safra, principal expedição técnica privada para monitoramento da safra de grãos no país. Organizado pela Agroconsult, a 18ª edição do Rally da Safra teve seu formato renovado para colaborar com as medidas de distanciamento social e conter a disseminação da Covid-19. Com isso, a expedição terá dois pilares: o digital, com reuniões virtuais com agricultores por meio de plataformas de videoconferência, eventos na internet e a nova TV Rally, e o tradicional, com equipes de campo viajando com mais segurança, visitas aos produtores nas propriedades e eventos regionais.

No campo, serão 20 equipes para avaliar as condições das lavouras de soja de 25 de janeiro até o final de março. Outras 06 percorrerão as lavouras de milho segunda safra em maio e junho.

A FMC, que participa pelo quarto ano consecutivo, tem orgulho de apoiar a iniciativa tão fundamental para a cadeia produtiva. “Para nós, é de extrema importância fazer parte desse projeto que mapeia e revela dados sobre as condições das lavouras de soja e milho do país, ainda que de forma remota neste ano. Nosso propósito é sempre estar junto do produtor, para entender suas necessidades e contribuir com inovações, por isso, as informações obtidas pelas equipes do Rally são fundamentais e nos ajuda e entregar sempre as melhores tecnologias para o manejo pragas, doenças e plantas daninhas”, avalia o Gerente de Cultura da FMC, Ivan Jarussi.

O Gerente também lembra que a FMC tem investido fortemente nas culturas de soja e milho, com grande capacidade de descoberta e desenvolvimento de produtos. Além disso, a empresa realiza um extenso trabalho junto a todos elos da cadeia produtiva, chamado Projeto Soja, que visa discutir o presente e o futuro das culturas no país. São iniciativas que vão desde extensão rural digital, até parceria com consultores para avaliar o desempenho de soluções tecnológicas e construir posicionamentos em conjunto.

“Acreditamos que é mais produtivo quando a gente faz junto, por isso queremos aproximar todos os elos da cadeia e construir soluções eficientes e sustentáveis para o campo. Nosso compromisso é ser parceiro do sojicultor e ajudá-lo a enfrentar os desafios produtivos”, acrescenta Jarussi.

O levantamento de dados do Rally, ocorre durante a fase de desenvolvimento das lavouras e colheita e as equipes percorrerão polos produtores em 12 estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Maranhão, Piauí e Tocantins, que respondem por 95% da área de produção de soja e 72% da área de milho.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas suinocultura

Falhas reprodutivas e fluxo de produção

Unidade de Negócios Suinocultura Polinutri realiza treinamento virtual para mais de 40 participantes

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

O primeiro treinamento virtual Polinutri aconteceu em 22 de janeiro e abordou o tema “Falhas reprodutivas e fluxo de produção” com a apresentação da médica veterinária e consultora Dra. Maria Nazaré Simões Lisboa da Consuitec (Paulínia/SP). “Mais que um encontro, desenvolvemos um programa extenso com objetivo de analisar de forma criteriosa as granjas de suínos”, iniciou o Representante Comercial da Polinutri, Marcílio Cesar Moreira dos Santos.

Ao abordar questões relacionadas as falhas reprodutivas, a consultora destacou a importância de obter resultados diferentes em função dos avanços genéticos da suinocultura. “Não podemos fazer as mesmas coisas, ainda mais pensando em fêmeas de alta reprodução”, destacou.

Avaliando o fluxo de produção, a especialista ressaltou a importância de entender as características da granja observando e agindo em diversas frentes, entre elas: sanidade, manejo, sistema de produção, capacidade de lotação, proposta do sistema produtivo (lote ou banda), número de matrizes, formação dos lotes, destino dos animais e vendas. Pontos importantes que predizem o impacto econômico da atividade. “Temos que entender qual é o perfil de cada granja atendida em especial no que tange ao controle da biosseguridade”, definiu.

A partir deste momento, enfatizou Nazaré, o suinocultor deve levar em consideração a taxa de parição e o número de leitões desmamados. “Hoje temos condições de melhorar esta relação, identificar e filtrar as oportunidades, a exemplo de fêmeas que repetem cio”, incluiu. Por isso, avaliou a especialista, o fluxo passa a ser uma ferramenta determinante para padronização, sanidade do plantel e impacto econômico da granja.

Ao encerrar a apresentação, a doutora deixou a grande lição: o olhar sobre o sistema produtivo. “A produção de leitões é quem determina a produtividade da granja. Devemos fazer a conta de traz para frente, ou seja, quantos animais venderemos para assim definir o sistema”, alinhou.

Marcílio encerrou o encontro com um balanço desta primeira ação virtual do ano. “A Dra. Nazaré deixou bem claro: devemos entrar nas granjas com ar de auditor. Contamos com uma infinidade de recursos e ferramentas que nos apoiam frente as tomadas de decisão. O primeiro treinamento foi muito enriquecedor e permitiu a abertura de novos horizontes para o nosso time”, salientou.

Fonte: Ass. de Imprensa.
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.