Conectado com

Empresas

Cobb debateu mudanças de manejo para frango moderno com jovens avicultores

A evolução da produção avícola nos últimos anos e suas novas demandas de manejo, genética e ambiência foram destacadas pelo diretor Associado de Produtos da Cobb-Vantress na América do Sul, Rodrigo Terra, durante o evento Conecta Copacol para jovens avicultores potenciais sucessores de integrações avícolas, que aconteceu no início do mês de março

Publicado em

em

Divulgação

O frango de corte evolui geneticamente cada vez mais. A cada ano, os animais podem ver melhorias em conversão alimentar e ganham entre 40 e 50 gramas de peso para o mesmo tempo de alojamento. Em uma granja com 25 mil frangos, isso representa algo entre 1.000 e 1.250 quilos a mais todos os anos. Isso pode mudar a forma de manejo na granja, como regulagem de temperatura, espaço para as aves e controle da qualidade do ar. Durante o Conecta Copacol, evento realizado no início do mês de março, pela cooperativa paranaense no Oeste do Estado, o diretor Associado de Produtos da Cobb-Vantress na América do Sul, Rodrigo Terra, explicou para um seleto grupo de jovens entre 17 e 35 anos, que serão sucessores na atividade avícola das suas famílias, como implementar com sucesso as estratégias para mudanças de manejo.

“A palestra teve base a evolução na avicultura, destacando genética, fisiologia, necessidades de manejo e ambiente. Mostramos que o frango de corte vem evoluindo a cada ano e, portanto, suas necessidades também mudam. Uma das nossas preocupações é o controle do ambiente, pois o ambiente controlado, com temperaturas dentro da faixa de conforto, é a base para que a ave possa atingir todo seu potencial genético”, explica o gerente de Serviço Técnico da Cobb, Alex Friederich.

Para ele, esses produtores, que já lidam com a atividade, mas em breve vão suceder seus pais, devem ter em mente que investir em instalações com ambiente controlado e ser mais proativo no manejo do frango de corte moderno é regra para sucesso na atividade. “Para a Cobb-Vantress foi muito importante participar deste evento de capacitação de futuros gestores das propriedades avícolas da Copacol, pois eles que estarão conduzindo a produção no futuro”, destaca.

Entre os desafios apontados durante a palestra, estão mão de obra especializada, com capacidade para manusear os novos equipamentos de galpões mais tecnificados. Já no campo das oportunidades, as principais são os ganhos consistentes ano a ano no frango de corte moderno. “Com manejo e tecnologia, temos condições de tirarmos proveito desses avanços”, apontou Terra.

O gerente de Integrações de Aves da Copacol, Douglas da Silva, destaca a importância da iniciativa. “Nosso objetivo foi atingido com sucesso. Os participantes interagiram com vários questionamentos, buscando entendimento maior da evolução avícola. Por isso, agradeço pelo apoio da Cobb ao nosso programa Conecta, que visa desenvolver potenciais sucessoras nas propriedades e tivemos o privilégio de contar com a experiência do Rodrigo Terra, que conduziu o trabalho de forma brilhante”, afirmou.

O “Conecta Copacol”, que aconteceu no dia 12 de março, faz parte do Planejamento Estratégico da Cooperativa e tem como objetivo trabalhar potenciais sucessores de propriedades integradas, com idade entre 17 e 35 anos, para fornecer conhecimento que auxilie na tomada de decisões e na maximização dos resultados das atividades.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =

Empresas Sustentabilidade:

Aviagen destaca seu compromisso com as cinco metas prioritárias de desenvolvimento sustentável do IPC

Os cinco ODSs selecionados pelo IPC fazem parte de um grupo de 17, com o intuito de acabar com a pobreza, proteger o planeta e garantir a prosperidade de todos

Publicado em

em

Aviagen afirma seu compromisso de colocar em prática essas cinco metas por meio de uma abordagem equilibrada em melhoramento genético

O IPC (siga em Inglês para International Poultry Council) priorizou cinco dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, representando áreas-chave nas quais a indústria avícola global pode realmente fazer a diferença na realização de um futuro melhor e mais sustentável para todos. Essas áreas-chave estão descritas na “Declaration of São Paulo”, uma decisão conjunta do IPC e da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) para trabalhar em direção ao desenvolvimento sustentável do setor avícola global. Jan Henriksen, CEO da Aviagen®, escreveu para o IPC afirmando o compromisso da empresa de colocar em prática essas cinco metas por meio de uma abordagem equilibrada em melhoramento genético, refletida no tema “Breeding Sustainability”, escolhido este ano pela Aviagen e nos cinco principais compromissos da empresa.

 

A promessa da indústria avícola

Na Declaration of São Paulo, o IPC destaca os cinco ODSs com maior relevância para a indústria avícola:

Fome zero (ODS 2). Granjas genéticas e produtores avícolas ajudam a colocar o #ComidaEmTodasAsMesas das famílias ao redor do mundo, melhorando a cadeia de carne de frango através do compartilhamento de boas práticas e promovendo a produção e o consumo sustentáveis;
Boa saúde e bem-estar (ODS 3). O frango é um alimento saudável e acessível, objetivo alcançado por meio de uma produção de alta segurança, com qualidade e o compartilhamento de boas práticas de produção, manejo e nutrição;
Educação de Qualidade (ODS 4). A avicultura promove a capacitação e garante uma produção sustentável e de alta qualidade;
Indústria, inovação e infraestrutura (ODS 9). O setor avícola dá suporte à inovação, à sustentabilidade e a melhorias de infraestrutura, além de proteção à saúde e o bem-estar das aves;
Ações climáticas (ODS 13). A indústria avícola trabalha com a melhora contínua e eficiente para reduzir os gases de efeito estufa e outras emissões.

Esses objetivos estão intrínsecos aos cinco principais compromissos corporativos da Aviagen:

Saúde e segurança alimentar: com alto status sanitário e segurança nas entregas, desde as diferentes bases de produção da Aviagen em todos os continentes;
Biodiversidade: de um amplo portfólio de marcas e linhagens, garantindo a melhor escolha e a prontidão para as necessidades futuras;
Reprodução equilibrada: simultaneamente melhorando a saúde, o bem-estar, o impacto ambiental, a qualidade e a performance das aves;
Importância do manejo do lote e do “manejista”: com o fortalecimento da saúde e do bem-estar das aves e da produção sustentável de carne de frango.
Transparência, comunicação e engajamento: com indústrias aliadas, organizações governamentais e todos os membros da cadeia avícola global.

Os cinco ODSs selecionados pelo IPC fazem parte de um grupo de 17, com o intuito de acabar com a pobreza, proteger o planeta e garantir a prosperidade de todos. Os alicerces dos 17 ODSs são os três pilares de desenvolvimento de sustentabilidade: Meio Ambiente (Planeta), Economia (Lucros) e Social (Pessoas).

Agradecendo ao IPC pela liderança na iniciativa desse importante projeto, Henriksen declarou: “Como um membro associado, a Aviagen reconhece o IPC como representante da indústria avícola em critérios relacionados à sustentabilidade. Em linha com o nosso tema ‘Breeding Sustainability’ e nosso grande compromisso como empresa de genética com essa promessa, nosso objetivo é auxiliar fortemente a segurança e a proteção alimentar para todos, além de elevar a saúde e o bem-estar das aves, ao mesmo tempo em que reduzimos o impacto na produção de alimento em nosso ambiente”.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Auster

Remoção de biofilme em tubulações é essencial para saúde das aves

Publicado em

em

Lisiane Calza, gerente de contas especiais de monogástricos da Auster Nutrição Animal.

A água é essencial para a manutenção da vida, pois é responsável pela maioria das funções do organismo, como absorção e digestão de nutrientes, excreção de metabólitos e toxinas e o equilíbrio da temperatura do corpo das aves. Portanto, é de fundamental importância o uso de água de boa qualidade física, química e microbiológica. Apesar disso, sua importância é subestimada pela cadeia de produção avícola.

O uso de água de qualidade duvidosa na dessedentação das aves interfere no bem-estar, nos índices zootécnicos e na disseminação de enfermidades, acarretando graves prejuízos econômicos, além de carrear agentes patogênicos de doenças de interesse em saúde pública.

Há órgãos capacitados e responsáveis pelo monitoramento e regulamentação dos cuidados e uso dessas águas. Para a dessedentação de animais, a legislação brasileira estabelece parâmetros e níveis por meio da resolução CONAMA 396, de 3 de Abril de 2008. Entretanto, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio do Anexo II do Ofício Circular Conjunto DFIP – DSA 01/2008, de 16/09/2008, estabeleceu os parâmetros de qualidade de água a ser monitorados para as aves de produção.

Vários estudos indicam que a água destinada ao consumo das aves deve ter as mesmas características da água potável consumida pelos seres  humanos e que para a limpeza das instalações deve-se usar água isenta de micro organismo, com baixo nível de dureza e pH na faixa de neutralidade, com vistas a não disseminar nas instalações agentes patogênicos, não dar condições para seu desenvolvimento e permitir melhor ação dos detergentes usados nas limpezas.

Mesmo em seu melhor status de qualidade físico-química e microbiológica, quando  permanece na tubulação, a água acaba formando um biofilme, que se caracteriza pelo acúmulo de micro organismos envoltos por um tipo de muco (glicocálise) na parede das tubulações, canos e superfícies em geral, quando expostos a alta umidade. Isso nada mais é que uma estratégia para otimizar a sobrevivência destes agentes, permanecendo mais resistentes à ação dos desinfetantes e sanitizantes em geral. Assim sendo, esta água torna-se uma fonte de contaminação constante.

Estes biofilmes representam preocupação para a indústria de alimentos e produção animal, pois quando presentes nos equipamentos hidráulicos, como dutos de condução de água para indústrias e bebedouros, máquinas de classificação e higienização de ovos, são de difícil remoção, podendo contaminar os animais e ocasionar doenças, bem como acelerar o processo de deterioração de alimentos in natura, causando perdas financeiras para a indústria e os produtores rurais.

Para auxiliar na retirada da camada de biofilme, a Auster Nutrição Animal oferece aos produtores o Intra Hydrocare, solução de peróxido de hidrogênio, que desinfeta a água e remove o biofilme presente nos revestimentos das tubulações e de superfícies expostas, sem alterar o sabor da água. O produto pode ser utilizado de maneira contínua ou em dose choque, eliminando a camada de biofilme por completo.

*Lisiane Calza é médica veterinária e gerente de contas especiais de monogástricos da Auster Nutrição Animal.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Grãos

Rotam do Brasil ganha certificação internacional

A companhia foi avaliada pela consultoria global Great Place to Work e entra ao seleto grupo das melhores empresas para se trabalhar no agronegócio

Publicado em

em

Estação experimental da Rotam em Artur Nogueira-SP no Brasil - Foto: Divulgação

A Rotam do Brasil, empresa global de agroquímicos, com foco em desenvolver as melhores soluções para o agricultor brasileiro, busca diariamente desenvolver cada vez mais produtos com qualidade e segurança para o produtor rural. Além disso, a preocupação com seus funcionários e o ambiente de trabalho também é considerado essencial para que o produto final chegue da maneira correta e com o seu máximo potencial tecnológico lá na fazenda. Alinhado com esse propósito a empresa acaba de receber a certificação do Great Place to Work (GPTW), consultoria global que apoia organizações em todo o mundo a obter melhores resultados através de uma cultura de confiança, alto desempenho e inovação.

Agora, a companhia passa a utilizar o selo da GPTW, conquistado por meio de um processo que começou já há alguns anos. Conforme explica o gerente de recursos humanos (RH) da Rotam, Gabriel Picosse, a empresa focou em implementar melhorias e atualizações nos processos e políticas de Gente e Gestão, não se limitando as práticas de RH. “Através de toda companhia, contribuindo assim para uma melhoria significativa no índice de satisfação dos colaboradores e ambiente de trabalho, por consequência”, diz.

Ainda segundo ele, uma equipe de média e alta liderança alinhada, integrada e com objetivos claros foi fundamental.  “Obter esse certificado envolve diversos processos. É um trabalho de equipe, de toda liderança com muito apoio e engajamento de todos colaboradores. No dia a dia, ouvimos as equipes, discutimos em nível gerencial os pontos de atenção, de forma contínua, sempre almejando um bom ambiente e boas práticas”, comenta.

A certificação pela GPTW de acordo com o gerente é a certeza de estar no caminho certo.  “Agora, com os resultados da pesquisa em mãos, iremos analisar e traçar um plano de ação, para os próximos doze meses, com objetivo de aperfeiçoar as áreas que identificarmos como críticas. Nossa prioridade é assegurar boas práticas de gente e gestão, com forte alinhamento mantendo nosso foco em melhoria contínua, visando o bem-estar, segurança e saúde de todos”, explica Picosse.

 

Benefícios de ser GPTW

Para a Rotam do Brasil ser avaliada pela GPTW e por seus funcionários é fundamental para o crescimento da empresa. “A certificação transmite a segurança de que os projetos estão sendo realizados da melhor maneira possível”, destaca o gerente de RH.

Além disso, percebe-se no ambiente de trabalho um sentimento de satisfação, orgulho em pertencer a uma organização que visa padrões elevados de gestão, reconhecimento e valorização da marca empregadora perante o mercado e entre colaboradores. “Esses fatores com certeza refletem no que entregamos ao nosso cliente final que é o produtor”, aponta Lucas Cavallari Ferreira, coordenador de marketing da Rotam.

A certificação também foi celebrada pelo diretor regional Brasil, Javier de La Rua. “Esta certificação é uma confirmação de como os funcionários se sentem e percebem trabalhando na Rotam do Brasil, um exemplo de que estamos na direção certa. Parabéns equipe do Brasil!”, completa o profissional.

Sede da Rotam em Hong Kong

A Rotam atua no País há 15 anos. E o diretor explica qual é fórmula para melhorar a cada ano. “Somos uma empresa jovem, cada ano é diferente, com desafios, oportunidades e objetivos claros. Ano a ano aprendemos com o passado, aproveitamos o presente e planejamos o crescimento em uma base sólida para um futuro promissor. As pessoas que fazem a Rotam são nosso principal patrimônio e cuidar de cada uma delas é a prioridade”, afirma. Toda a equipe de profissionais da marca está orgulhosa da conquista. “Tenho orgulho por esta certificação GPTW para os funcionários da Rotam. Acho que a Rotam também é a melhor equipe para trabalhar, quando você se sente fortalecido e cercado por uma atitude e energia fantástica”, finaliza o diretor.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
PORK EXPO

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.