Conectado com

Notícias

Cerimônia de abertura da Abraves 2013 reflete boa fase do setor

Publicado em

em

Profissionais do setor, grandes pesquisadores e as principais empresas que atuam na suinocultura estão reunidos em Cuiabá para debater tecnologias e descobertas para se produzir uma carne suína cada vez melhor e com preço competitivo no mercado internacional. Com o paralelo aumento gradativo do consumo interno, cabe agora aos profissionais buscar no melhoramento genético, na nutrição e na tecnologia formas de produzir carne suína para atender a um consumidor cada vez mais exigente e ainda atender aos requisitos da sustentabilidade. Uma tarefa e tanto para um setor que atravessou uma crise severa com a alta do preço dos grãos no mercado internacional e agora começa a respirar aliviada com os bons preços praticados. Como equilibrar essa balança usando de conhecimento aplicado ao aumento da produtividade é o desafio das centenas de veterinários reunidos em Cuiabá durante esta semana.
O mais importante evento técnico científico da suinocultura brasileira acontece pela primeira vez em Cuiabá. Com mais de 700 pré-inscritos, a expectativa é reunir cerca de 1.000 participantes de países, como Estados Unidos, Inglaterra, França, Espanha, Bélgica, México e Colômbia, entre vários outros. Os principais especialistas da suinocultura mundial vão apresentar e debater as mais recentes pesquisas e tecnologias capazes de contribuir com o desenvolvimento da produção de carne suína. Durante os três dias do encontro, serão discutidos temas como saúde suína, estratégias nutricionais para melhorar o desempenho no campo, melhoramento genético para a produção de uma carne mais magra, manejo para bem-estar animal, estratégias de gestão de granjas e alternativas para maximizar a produtividade e otimização de mão de obra. Considerado um dos mais importantes eventos do calendário agro nacional, o evento, que vai acontecer entre os dias 5 e 7 de novembro, no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá, no Mato Grosso. 
Esta edição vai reunir Feira de negócios, eventos empresariais, programação pré-congresso, apresentação oral de trabalhos científicos, exposição inédita de e-pôster, assembleia geral e o I Fórum de Discussões da Suinocultura do Centro Oeste, além da consagrada programação científica. A forte procura por inscrições para o Congresso Abraves 2013 na última semana surpreendeu os organizadores. 
O bom momento da suinocultura elevou as expectativas do mercado e contribuiu para o aumento da procura na última hora, acredita a Secretária eleita da Abraves Nacional e vice-presidente do congresso, Vânia Maria Arantes. "A semana passada foi uma loucura, cresceu muito a procura por inscrições e reservas em restaurantes nas proximidades do evento. Várias empresas do setor reservaram mesas em restaurantes da região para organizar eventos com clientes". 
Inscrições
Para os interessados em participar do Congresso Abraves 2013, ainda dá tempo. Apesar de as inscrições online estarem encerradas, a secretaria do evento será aberta a partir das 7h, no horário local. O valor da inscrição no local será de R$ 400 para estudantes, R$ 600 para associados da Abraves e R$ 650 para profissionais. Para pagamento, serão aceitos cartão de débito bancário ou dinheiro. A entrada na feira de negócios é gratuita. 
A comissão organizadora do evento lançou pacotes especiais de inscrição para grupos de estudos. Estudantes de graduação, pós-graduação e turmas mistas podem se inscrever por R$ 300 por pessoa para grupos de 10 a 19 participantes. 
Turmas de 20 a 29 participantes podem se inscrever pelo valor de R$ 300 por pessoa e ganham uma inscrição gratuita. De 30 a 39 participantes é possível fazer inscrição por R$ 300 por pessoa e ganhar duas inscrições gratuitas. Turmas acima de 40 participantes pagam R$ 300 por pessoa com três inscrições gratuitas.
Parceiros de divulgação
A divulgação do XVI Congresso Abraves tem o apoio da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), do Sindiraçõoes, da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), da Associação Goiana de Suinocultores (AGS), da Associação dos Criadores de Suínos do Distrito Federal (DFSuin), da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), da Associação dos Suinocultores de Minas Gerais (Asemg), da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), da Associação Paranaense de Suinocultores (APS) e da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs). 
Outras notícias da Abraves 2013 podem ser encontradas nas mídias parceiras da assessoria de imprensa do XVI Congresso Abraves, como a Revista e o site Suinocultura Industrial, Revista e Site Feed&Food, portal Suino.com, Jornal e site O Presente Rural, Portal Agrolink, Portal do Agronegócio, site e Revista Frigorífico, site da Agência Safras e site Rural Centro, parceiro de conteúdo de agronegócio do Uol. 
Serviço:
XVI Congresso Abraves 
Data: 5 a 7 de novembro de 2013
Horário: a partir das 8h
Local: Centro de Eventos do Pantanal, Cuiabá, MT
Informações: www.abravesmt.com.br/abraves2013 
 

Fonte: Ass. Imprensa da Abraves

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Para o produtor

Custos de produção de aves e suínos aumentaram em 2018

Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Apesar de os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa terem se mantido estáveis em dezembro de 2018 (218,06 pontos, ante 218,05 em novembro), acumularam uma alta de 14,21% durante todo o ano passado.

 Apenas os custos com a nutrição subiram 11,65% nos 12 meses de 2018. O gasto com a alimentação das aves representa 69% do total dos custos de produção dos frangos. Em seguida, as maiores altas em 2018 ficaram com os itens pinto de um dia (2,18%), custo de capital (0,18%) e depreciação (0,16%).

O custo de produção do quilo do frango de corte vivo também se manteve estável em dezembro, encerrando o ano em R$ 2,82 no Paraná, valor calculado a partir dos resultados em aviário tipo climatizado em pressão positiva.

Já o ICPSuíno caiu pelo terceiro mês consecutivo, chegando aos 219,49 pontos em dezembro, -1,34% em relação a novembro de 2018 (222,47 pontos). No ano, os custos de produção de suínos subiram 9,85%, influenciados principalmente pela alimentação dos animais, que teve um aumento de 9,68%.

O custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu para R$ 3,84 em dezembro (o menor valor desde março de 2018). 

Os índices de custos de produção foram criados em 2011 pela equipe de socioeconomia da Embrapa Suínos e Aves e Conab. Santa Catarina e Paraná são usados como estados referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.

Fonte: Embrapa Suínos e Aves
Continue Lendo

Notícias Mercado

Desaquecimento de negócios pressiona valores da carne de frango

Vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Colaboradores do Cepea afirmam que as vendas da carne de frango estão desaquecidas, como é tipicamente observado em início de ano. Assim, as cotações do produto, especialmente do congelado, estão em queda na maior parte das regiões acompanhadas. Na Grande São Paulo, o preço do frango inteiro congelado recuou 0,6% frente a dezembro, com média de R$ 4,37/kg na parcial deste ano (até 17 de janeiro).

Quanto à carne resfriada, por outro lado, foram observadas variações distintas na primeira quinzena de janeiro dentre as regiões pesquisadas pelo Cepea. No comparativo com janeiro/18, porém, os preços atuais estão significativamente mais elevados, em termos nominais.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Ovos

Poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda

Quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor desde 2013

Publicado em

em

Domicio Faustino

De acordo com pesquisadores do Cepea, a oferta elevada, que segue pressionando as cotações dos ovos, tem impactado negativamente o poder de compra do avicultor de postura paulista frente aos principais insumos utilizados na alimentação das poedeiras, o milho e o farelo de soja.

Na parcial deste mês, a quantidade de cereal que o produtor consegue comprar com a venda dos ovos brancos é a menor de toda a série do Cepea, iniciada em maio/13. Já sobre a quantidade do derivado da soja, é a menor desde dezembro/13.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Nucleovet 2
APA

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.