Conectado com
O Presente Rural Youtube

Empresas Do Sul para o mundo:

BRF movimenta uma cadeia viva que alimenta quatro continentes

Maior exportadora de frango do mundo e uma das maiores produtoras de carne suína do Brasil, a BRF tem entre o coração do Rio Grande do Sul e o oeste do Paraná um de seus principais polos de produção para o mercado externo

Publicado em

em

De suínos, a Companhia é responsável por 22% da produção brasileira. Foto: O Presente Rural

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, tem como propósito oferecer produtos de qualidade, cada vez mais saborosos e práticos, para seus consumidores. Para cumprir esse compromisso, conecta o trabalho de milhares de produtores integrados, profissionais nas fábricas e equipes de logística. Maior exportadora de frango do mundo e uma das maiores produtoras de carne suína do Brasil, a BRF concentra nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná um de seus principais polos de produção para o mercado externo.

As unidades da BRF, além de abastecer as famílias brasileiras, alimentaram, em 2019, consumidores de 99 países, de quatro continentes. Esse número de destinos de exportações procedentes da Região Sul pode alcançar uma centena em 2020, considerando que recentemente a planta de Concórdia (SC), que já exportava suínos para Hong Kong, Filipinas e África do Sul, recebeu habilitação para exportar também para o Vietnã.

De municípios como Concórdia, no Oeste catarinense, Lajeado, no coração do Rio Grande do Sul, e Toledo, no Oeste paranaense, são embarcados mais de duas dezenas de tipos de produto, incluindo diferentes cortes de carne e embutidos, rumo a nações de culturas e regiões diversas, tendo o Japão, a 17.360 quilômetros, como o ponto mais distante. O roteiro apresenta uma diversidade de destinos, como Angola (África), Omã e Emirados Árabes (Península Arábica) e México (América do Norte).

De suínos, a Companhia é responsável por 22% da produção brasileira. No caso da proteína de frango, a BRF representa cerca de 12% do comércio global. Se a BRF fosse um país, seria o sétimo maior produtor de carne de frango do planeta, uma nação movida pela gestão sustentável de uma cadeia viva, longa e complexa voltada a proporcionar vida melhor a todos, do campo à mesa.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 4 =

Empresas Vaccinar

Vaccinar anuncia Rodrigo Dalcin Miotto como novo Gerente Regional de Vendas da linha de Ruminantes

Com vasta experiência no mercado, o executivo reforça o time da empresa que tem objetivo de expandir sua atuação nas regiões Centro-Oeste e Norte do País

Publicado em

em

Rodrigo Dalcin Miotto

Sempre em busca de profissionais de mercado para garantir o melhor atendimento a seus clientes e reforçando seu time comercial, a Vaccinar – Nutrição Animal contratou recentemente Rodrigo Dalcin Miotto para o cargo de gerente Regional de Vendas Ruminantes. Com 17 anos de atuação na área comercial, Miotto é médico veterinário formado pela Universidade Estadual do Tocantins (UNITINS/UFT), no Campus Araguaína/ TO, e se reporta a Rômel França, que é gerente Nacional de Gado de Corte.

Com orgulho de ser uma empresa 100% brasileira e posicionada entre as líderes do setor no Brasil, a Vaccinar intensifica seus investimentos em infraestrutura, tecnologia de novos produtos e em desenvolvimento humano. Com novas unidades produtivas em andamento nas regiões Norte e Centro-Oeste, a tendência é de reforço em seu quadro de colaboradores e de parceiros na região para ficar cada vez mais próxima de seu cliente.

A Vaccinar conta com uma infraestrutura composta por seis unidades produtivas, sendo três localizadas em Minas Gerais, duas no Paraná, nas cidades Pinhais e Toledo e a mais recente aquisição em Teresina, no Piauí. Novas plantas estão sendo construídas em Araguaína (TO) e em Goianira (GO). A empresa conta com ainda cinco centros de distribuição, sendo quatro no Brasil, nos estados de Minas Gerais, Paraná e Goiás, e um no Paraguai, em Ciudad del Este. Seu portfólio é composto por rações, premixes, núcleos, concentrados, gorduras e aditivos para atender as linhas de aves, suínos, ruminantes, aqua e pet e, desenvolve ainda, produtos personalizados que atendem as demandas específicas de cada fase do animal.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas

Royal DSM aponta caminho para aprimorar o desempenho dos animais e reduzir as perdas da produção de leite

Para responder a este cenário global, especialistas destacam que é necessário aprimorar o desempenho dos animais por meio de uma nutrição adequada; esse tema faz parte de uma das plataformas de sustentabilidade do “We Make it Possible”, iniciativa global da companhia

Publicado em

em

Augusto Adami, Vice-presidente do de Nutrição e Saúde Animal da DSM para a América Latina.

Segundo estudo da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), pelo menos 20% da produção animal é perdida anualmente devido a doenças, representando cerca de 60 milhões de toneladas de carne e 150 milhões de toneladas de leite, o equivalente a aproximadamente US$ 300 bilhões¹. Para responder a esta e outras questões mundiais atuais, a Royal DSM, empresa global baseada em ciência para Nutrição, Saúde e Vida Sustentável, por meio do seu negócio de Nutrição e Saúde Animal, criou a iniciativa We Make It Possible (“Nós tornamos isso possível”, em português). A empresa quer com isso liderar uma transformação mundial robusta e realizável na produção sustentável de proteína animal, e acelerar soluções que promovam um futuro mais sustentável.

A iniciativa da DSM está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU – Organização das Nações Unidas – e destaca seis importantes plataformas de sustentabilidade, sendo uma delas: “Aprimorar o desempenho dos animais ao longo de sua vida útil”. Essa proposta está engajada com a meta 2.3.1 da ONU, que visa alcançar o dobro da produtividade média dos produtores de alimentos até 2030. O objetivo ao trazer esse tema é o de chamar a atenção dos envolvidos na cadeia de produção para a necessidade de aprimorar o desempenho dos animais durante sua vida útil e ao mesmo tempo reduzir a incidência de doenças, gerando economias significativas com grande impacto positivo na sustentabilidade.

“A saúde animal impacta na manutenção e no equilíbrio ambiental. O aumento da capacidade produtiva na produção animal, demanda que deverá crescer cerca de 70% até 2050, amplia a necessidade de alto desempenho dos animais e, consequentemente, dos cuidados com o bem-estar e a saúde das espécies”, afirma Augusto Adami, Vice-presidente do de Nutrição e Saúde Animal da DSM para a América Latina. Nesse sentido, a DSM destaca que é necessário a inclusão de vitaminas e minerais na dieta dos animais, de acordo com a necessidade de cada espécie. Para isso, a companhia criou o conceito Optimum Vitamin Nutrition™ (OVN)™ uma linha de pesquisa que analisa a suplementação vitamínica sob a perspectiva de aumento do desempenho do animal e da produção. Por meio do OVN™ o produtor tem acesso a uma linha completa de vitaminas de alta qualidade nas quantidades certas e proporções compatíveis ao estágio de vida e condições de crescimento dos animais.

Vacas mais saudáveis, ganhos de produtividade e menor impacto ambiental

As vacas leiteiras podem adquirir graves problemas de saúde que interferem nas taxas de substituição do animal no rebanho e na sua longevidade como, por exemplo, a claudicação. Neste contexto, a DSM propõe o suplemento vitamínico ROVIMIX® Biotin, solução à base de biotina que melhora a qualidade e a resistência dos cascos ao mesmo tempo que reduz a probabilidade de problemas associados à claudicação.

Outra preocupação clínica na produção leiteira é a mastite que tem impacto direto na lucratividade do produtor, resultando na incapacidade das vacas se alimentarem, na perda de leite e na diminuição da fertilidade. O suplemento de vitamina E, ROVIMIX® E50, ajuda nesse cenário, atuando no sistema imunológico da vaca, diminuindo a taxa de infecção inflamatória no parto em até 80%, bem como na redução das infecções do úbere e a duração da mastite em até 50%, gerando aumento da produção de leite, com menos perdas e melhor rentabilidade da fazenda.

Sob a perspectiva sustentável, a DSM entende que é necessária uma boa gestão da saúde animal para gerar menos impacto ambiental. “Trabalhamos com soluções de alta tecnologia para ajudar no desenvolvimento econômico e sustentável do setor, promovendo saúde para os animais e redução de emissões, com otimização do uso dos recursos naturais e maior produtividade”, afirma Verônica Lopes, médica-veterinária e coordenadora da categoria Gado de Leite da área de Ruminantes da DSM no Brasil. Neste contexto, a companhia cria alternativas que contribuem para a maior longevidade das vacas de leite nos sistemas produtivos e maior produção em cada ciclo de vida.

Programa Qualidade do Leite Começa Aqui

Desde 2012, a DSM reconhece e premia produtores de leite que atingem altos níveis de qualidade através do uso das tecnologias DSM. “Produzir leite de maneira segura, com alto teor de proteína e gordura, e com baixo nível de células somáticas é um dos principais desafios da pecuária leiteira brasileira. No entanto, a mudança de comportamento dos consumidores tem atraído cada vez mais produtores para o Programa na busca de melhorar a nutrição e a qualidade dos seus produtos”, afirma Verônica Lopes.

Por meio de um banco de dados, a DSM analisa os níveis de proteína, gordura e células somáticas (CCS) e dá suporte aos produtores participantes do programa na melhoria desses índices. Com métodos nutricionais preventivos e não medicamentosos, como as vitaminas D e E, biotina e betacaroteno, é possível aumentar as taxas de reprodução das vacas, melhorar a saúde, reduzir o índice de dermatite digital e mastite clínica, bem como ajudar a deixar os cascos mais robustos e úberes mais saudáveis. Isso tudo contribui para aumentar o rendimento e a qualidade do leite e, ao mesmo tempo, reduzir em 50% a perda do leite durante o tratamento com antibióticos. Até agora, mais de 20 mil fazendas já participaram do Programa Qualidade do Leite Começa Aqui com mais de 1,2 milhão de vacas em lactação.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Suinocultura

Chegou a vez dos suinocultores de Santa Catarina serem desafiados no Campeonato OINK

Etapa catarinense começou no dia 20 de novembro e vai até 6 de dezembro. Competidores já podem começar a jogar

Publicado em

em

Foto: O Presente Rural

Após passar por Minas Gerais e Paraná batendo recorde de inscrições e distribuindo prêmios, o game OINK chegou, no dia 20 de novembro, a Santa Catarina, região conhecida por muitos como o berço da suinocultura brasileira e que abriga alguns dos maiores planteis do País. O jogo educativo de perguntas e respostas sobre a suinocultura é um aplicativo idealizado pela empresa de gestão Agriness e neste ano conta, mais uma vez, com apoio especial da MSD Saúde Animal.

Como nas etapas anteriores, o Prêmio MSD, competição exclusiva da companhia dentro do app, premiará os três participantes que obtiverem a maior pontuação na Trilha de Doenças Entéricas, mostrando todo seu conhecimento sobre a criação de suínos. “Santa Catarina tem uma enorme expressividade na suinocultura brasileira, contando com grandes produtores e especialistas que nós queremos premiar por meio dessa etapa; além, claro de ajudar a disseminar e democratizar o conhecimento sobre o tema em todo o País”, comenta Brenda Maria Marques, gerente técnica da unidade de Suinocultura da MSD Saúde Animal.

Desta vez, as inscrições foram abertas no dia 20 de novembro, junto ao início do campeonato. Portanto, basta se cadastrar e já começar a jogar. O campeonato catarinense irá até o dia 6 de dezembro. Ao todo serão realizados 14 campeonatos em diversas regiões do País. Para saber sobre o anúncio das novas praças, fique atento às redes da MSD Saúde Animal. Enquanto o OINK não chega na sua região, os interessados podem baixar o aplicativo e treinar seus conhecimentos com os outros jogos disponíveis no aplicativo.

O campeonato irá premiar os 1º, 2º e 3º colocados de cada região, de acordo com os pontos acumulados no Prêmio MSD . Todos os vencedores também receberão uma medalha exclusiva. Para participar da competição, é necessário baixar o aplicativo OINK, disponível na Apple Store e na Play Store.

 

Confira as premiações:

1º lugar: Medalha + Churrasqueira ESM a Bafo + Kit churrasco Bamboo Tábua retangular

2º lugar: Medalha + Caixa de som Bluetooth JBL GO2 Azul Marinho com Potência 3W

3º lugar: Medalha + Conjunto de garrafa térmica inox 1 litro e 2 canecas 180ml em caixa

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.