Conectado com
OP INSTAGRAM

Empresas Prevenção

Biosseguridade e cuidados com o manejo animal podem prevenir pandemias futuras

Covid-19 trouxe à tona o conceito de One Health, que propõe a integração de políticas públicas para a prevenção e controle de enfermidades

Publicado em

em

Divulgação ICC Brazil

O que a Covid-19, a peste bubônica da Idade Média, a gripe espanhola de 1918, a influenza aviária H5N1, de 2005, e a gripe suína (ou H1N1), de 2009, têm em comum? Além de serem consideradas pandemias históricas, as doenças surgiram ou possuíram como hospedeiro um animal. Isso levanta uma importante questão: a importância dos cuidados sanitários na produção animal.

Um estudo do Insper (instituição de ensino superior e de pesquisa) sobre os Impactos da Covid-19 no agronegócio e o papel do Brasil mostra que cerca de 70% dos surtos emergentes de doenças infecciosas humanas são zoonoses. Entre as enfermidades estão Ebola, Influenza, SARS e a COVID-19. Esse entendimento é fundamental para identificar, gerenciar e prevenir surtos futuros.

A pandemia do novo coronavírus também trouxe à tona o conceito de One Health, popularizado nos anos 2000. Conhecido como Saúde Única (em português), o termo trata da integração entre a saúde humana, a saúde animal, o ambiente e a adoção de políticas públicas efetivas para prevenção e controle de enfermidades trabalhando nos níveis local, regional, nacional e global.

Manter a saúde e seguir as normas de biosseguridade na produção animal são essenciais para desacelerar a transmissão dos vírus e diminuir os níveis de contaminação. Considerando que o Brasil é um dos principais países produtores e exportadores de alimentos de origem animal, o controle sanitário se torna cada vez mais relevante para o crescente sucesso de nossas produções.

“A biosseguridade é um conjunto de procedimentos técnicos diários aplicados em granjas e em pastos, com o objetivo de prevenir, impedir ou reduzir a disseminação de agentes ou doenças, controlando os desafios enfrentados na produção. Dentre os diversos procedimentos podemos destacar os seguintes:

A localização da instalação, de preferência longe de outras criações, em um local tranquilo e com barreiras de proteção;
O controle de pássaros, roedores, animais silvestres e moscas para evitar a transmissão de doenças;
A entrada de animais, bem como a aquisição de insumos, que deve seguir um planejamento que garante a menor veiculação de agentes causadores de doenças;
O acesso restrito e desinfecção de pessoas e veículos à granja, ressaltando que o vazio sanitário deve ser respeitado de acordo com o cronograma de desinfecção;
O manejo de dejetos e resíduos de desinfecção também é um fator de grande relevância na produção, o qual deve seguir um planejamento da rotina de destino na propriedade, além de colaborar com a redução da incidência de doenças, trará uma adequação e conservação ambiental;
O Manejo diário adequado de ração e água de qualidade.
Estes e muitos outros procedimentos de biosseguridade constam nos programas de Boas Práticas de Produção – BPP, que priorizam o bem estar dos animais, qualidade do ambiente, o bem-estar do trabalhador e, consequentemente, a eficiência produtiva e a qualidade do produto final”, afirma Liliana Borges, analista de P&D da ICC Brazil, empresa pioneira na produção de soluções inovadoras para a nutrição animal à base de aditivos de levedura.

Com estes cuidados, é possível reduzir a pressão de contaminações na granja, bem como na área próxima à localização, prevenindo a disseminação de agentes patogênicos. O produtor otimizará a produção, visto que reduzirá o custo com medicamentos e garantirá a sanidade dos animais, proporcionando melhor desempenho e qualidade do produto final.

A ICC Brazil preza pela nutrição, saúde e bem-estar animal e também pela qualidade do produto final que será consumido. Ela possui uma gama de produtos 100% naturais, que contribuem para o desenvolvimento saudável e aumento do desempenho, sendo uma alternativa aos melhoradores de desempenho, agindo de maneira inteligente, segura, fortalecendo o sistema imunológico dos animais.

Um de seus principais produtos é o ImmunoWall®, ®, composto por MOS e uma alta concentração de B-glucanas que atuam no controle de patógenos e possuem ação imunomoduladora, favorecendo uma resposta mais rápida e efetiva contra os desafios impostos pelo campo. Como consequência, há uma melhora na saúde intestinal e bem-estar dos animais, bem como no seu desempenho. Há ainda o Hilyses®, que possui nucleotídeos e nucleosídeos livres, potencializando a multiplicação celular e garantindo que o animal atinja o seu potencial máximo. É especialmente indicado para fases iniciais e de crescimento, reprodução, lactação, períodos de estresse e grandes de desafios.

Para ruminantes, um dos produtos mais recomendado é o RumenYeast®. Composto principalmente por metabólitos de fermentação, ajuda a regular o pH dos animais, sendo a nutrição ideal para a microbiota ruminal, além de promover a melhora da saúde intestinal e fortalecimento do sistema imune.

Fonte: Ass. de Imprensa ICC Brazil
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 2 =

Empresas Avicultura

Salmonella exige programas de controle abrangentes, afirma gerente da Phibro Saúde Animal

Um dos fatores de sucesso para o controle das salmoneloses é a escolha adequada das vacinas que serão utilizadas.

Publicado em

em

Eva Hunka / Divulgação

O controle eficaz das salmoneloses exige programas de controle abrangentes, dado o impacto econômico que o problema causa para a cadeia produtiva de aves. Esse foi o foco da palestra ministrada por Eva Hunka, mestre em medicina veterinária e gerente de negócios biológicos da Phibro Saúde Animal, durante o “Simpósio Facta sobre Salmonella – Atualizando controles e tendências”. 

 “A Salmonella é um assunto sempre atual e, assim como a bactéria, os métodos de controle também precisam evoluir e se tornar cada vez mais eficientes”, destacou a profissional. “A vacinação é parte fundamental de um programa de controle abrangente. A vacina, sozinha, não é capaz de fazer muita coisa, mas dentro de um programa abrangente, é um elo fundamental dessa cadeia da biosseguridade.”

 De acordo com Eva Hunka, um dos fatores de sucesso para o controle das salmoneloses é a escolha adequada das vacinas que serão utilizadas. Para isso, é preciso conhecer o inimigo a ser combatido – afinal, existem diversos sorogrupos da bactéria, que podem variar de uma região para outra, ou mesmo entre um animal e outro. Assim, monitorar as aves é bastante importante nesse processo.

 “Na definição de um bom programa de vacinas, primeiro precisamos entender o papel de cada vacina, a viva e a inativada. Cada uma delas possui uma função diferente. A combinação de vacinas vivas e inativadas é a melhor opção. Isso aumenta as barreiras e diminui os riscos”, comenta a gerente, para quem o controle exige “resiliência”, em razão das diversas mudanças que podem ocorrer no processo.

 Oferecer anticorpos às aves é importante para evitar que tipos de Salmonellas transitórias encontrem ambientes favoráveis para se estabelecerem na granja e se tornem residentes. “É preciso evitar que as bactérias se propaguem. Ter aves vacinadas e com anticorpos é o melhor caminho, porque o espectro de proteção dificulta que a bactéria ultrapasse a barreira”, destaca a veterinária.

 Outro ponto de atenção é que bactérias como a Salmonella são conhecidas por causar reações pós-vacinais severas, que podem ser agravadas dependo do adjuvante a ser utilizado. “Nesse sentido, um ponto que a gente muitas vezes relega da escolha do programa vacinal é o adjuvante. Os adjuvantes têm um papel muito importante numa vacina inativada. Ele promove uma inflamação local e mimetizam o agente.”

 Pensando nas necessidades do setor avícola, a Phibro trouxe ao mercado brasileiro a vacina inativada Salmin Plus, o primeiro imunizante contra as Salmonellas dos sorogrupos B, C e D, que contém um adjuvante de última geração capaz de proporcionar uma imunidade ampla e de longa duração para as aves, com baixíssimo grau de reação no local de aplicação, beneficiando o bem-estar animal.

 “A Salmin Plus, aliada ao sistema de vacinação pHi-Tech, além de aumentar as barreiras sanitária contra as Salmonellas traz mais segurança e eficiência na proteção das além, além de maior conforto e bem-estar para o vacinador”, finaliza Eva Hunka.

 Para assistir a palestra completa, acesse: https://youtu.be/pIHOfQeobc4.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

Período de seca: suplementos nutricionais mantêm os resultados positivos na pecuária

Tecnologias dos suplementos da marca Tortuga®, impulsionam a pecuária de corte e ajudam a manter o desempenho do rebanho, mesmo no período da seca

Publicado em

em

Divulgação DSM Tortuga

Com a chegada da época mais seca e fria do ano, os pecuaristas têm a necessidade de planejar a dieta do rebanho para impedir que os ganhos conquistados nos meses mais chuvosos sejam perdidos e isso afete o desempenho dos animais. No período de estiagem, quando os pastos não apresentam níveis satisfatórios de proteína, vitaminas e minerais, recomenda-se aos produtores o uso de suplementação nutricional para manter positivos os índices zootécnicos dos bovinos e, consequentemente, a produtividade e rentabilidade da fazenda.

“Sem o balanceamento adequado no consumo proteico e energético, o animal pode perder boa parte do peso adquirido no período de águas”, ressalta Lucas Oliveira, gerente da categoria bovinos de corte da DSM. A empresa, alinhada aos principais desafios da pecuária, fornece soluções que contribuem para melhorar o desempenho do rebanho e que são aplicadas na dieta dos ruminantes com o apoio da sua equipe técnica e consultiva, que conhece de perto as necessidades do campo para gerar benefícios em todos os sistemas produtivos.

Tecnologia provada no campo melhora o desempenho no pasto

Para os pecuaristas que produzem bovinos de corte em sistemas de pasto, a suplementação nutricional dos animais ajuda a manter os resultados positivos tanto na época de águas como em períodos de seca. O fornecimento de nutrientes que contribuem para melhorar os índices zootécnicos evita o risco de baixos desempenhos, ou mesmo perda de peso do rebanho. Para esse sistema no atual momento de transição, em que os pecuaristas começam a se preparar para o período de seca, a equipe da DSM recomenda algumas soluções do portfólio Tortuga®.

Entre elas, destaque para o Fosbovi® Proteico 35 com Monensina, indicado para bovinos de corte produzidos em sistemas de pastagem, que oferece bom desempenho mesmo com a queda de qualidade dos pastos. E para os bovinos na fase de terminação ou recria mais acelerada, a recomendação é o Fosbovi® Proteico Energético 25 M, indicado para bovinos em crescimento e em engorda produzidos preferencialmente em pastagens com adequada disponibilidade e que, como diferencial, otimiza o desempenho dos animais. Os dois produtos oferecem minerais com alta tecnologia, na forma de Minerais Tortuga e aditivo ionóforo, que otimiza o desempenho e combate a coccidiose bovina.

Semiconfinamento para intensificar a produção no campo

Para intensificar a produção em sistemas de pastagem, uma opção cada vez mais utilizada pelos pecuaristas brasileiros é o semiconfinamento, considerado um “meio termo” entre o confinamento e a suplementação em pastagens. É um sistema que se baseia em nutrição e engorda em pasto, com fornecimento de ração concentrada em cocho, entre 1% e 2% do peso vivo do animal.

No semiconfinamento, os produtores têm à disposição os suplementos da marca Tortuga® para impulsionar os índices dos animais e melhorar os resultados da fazenda. Aqui, a recomendação são os suplementos Fosbovi® Confinamento CRINA®, Fosbovi® Confinamento 400 e Fosbovi® Confinamento, indicados para o preparo de concentrado para bovinos de corte em fase de engorda em confinamento e semiconfinamento.

Suplementação que gera 1@ a mais por bovino no confinamento

Aos produtores que optam pelo sistema de confinamento no período de seca, as tecnologias desenvolvidas pela DSM, como os produtos da linha Fosbovi® Confinamento com CRINA® e RumiStar™, têm resultados comprovados ao gerar animais pesados e bem-acabados. “Com os suplementos nutricionais de alta tecnologia da Tortuga®, os bovinos têm um ganho adicional médio de uma arroba por animal”, conta o gerente de categoria Confinamento da DSM, o zootecnista Marcos Baruselli.

Esses e outros benefícios produtivos são gerados pela associação equilibrada de macro e micronutrientes com os Minerais Tortuga®, além de vitaminas e aditivos naturais, como leveduras vivas, mais CRINA® e RumiStar™. Mas há ainda a melhor eficiência alimentar; redução de problemas digestivos, como o timpanismo; rápida adaptação dos animais; menor taxa de refugo de cocho; aumento do consumo de ração desde os primeiros dias de confinamento; e menor incidência de animais com laminites e acidose.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Iniciativa

Campanha Dia Pró apresenta os benefícios da proteína animal na alimentação humana

A campanha tem inicio hoje, 12 de maio.

Publicado em

em

Divulgação.

Com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre os benefícios do consumo da proteína animal e a importância do agronegócio na cadeia produtiva, a Yes, empresa que desenvolve soluções biotecnológicas para uma nutrição animal eficaz, segura e sustentável, lança hoje, 12 de maio, a iniciativa Dia Pró.

“Esse movimento levanta uma bandeira em favor da proteína animal, porque não só acreditamos, como também conhecemos o valor e a importância da produção de alimentos no Brasil. E, principalmente, da seriedade do trabalho que começa no campo e termina no prato”, sinaliza a gerente de Marketing da Yes, Carolina Tanese.

Carolina explica que o orgulho da Yes pela história do agronegócio brasileiro, em especial pela produção de proteína, fez com que a empresa buscasse uma forma de melhorar o diálogo entre os diferentes elos do setor, levando informação correta a todos eles. “A campanha Dia Pró será uma série de conteúdos, disponível semanalmente no Instagram da empresa, para promover os benefícios do consumo de proteína na alimentação humana”.

Além das publicações, a Yes irá incentivar o compartilhamento do conteúdo. “Quanto mais pessoas se engajarem na promoção da proteína animal brasileira mais o agronegócio sairá fortalecido. Esperamos que nossos clientes, parceiros e público em  geral participem dessa jornada, postando em seus perfis como a proteína animal está presente na sua história, seja como produtor, um amante de churrasco, em receitas caseiras e familiares. Basta nos marcar no @yes_sinergy e usar a #DiaPro!”.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Encontro Nacional de Micotoxinas – RJ

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.