Conectado com

Notícias

BB libera R$ 12,5 bilhões para financiar safra agrícola 2018/2019

Objetivo do lançamento é evitar que o produtor fique refém do fornecedor, além de contribuir para a sustentabilidade do agronegócio e da melhora do PIB brasileiro e aumento da renda

Publicado em

em

O governo federal liberou R$ 12,5 bilhões para financiar a safra agrícola de 2018 e 2019. O lançamento do custeio antecipado da nova safra foi feito pelo presidente do Banco do Brasil, Paulo Cafarelli, em cerimônia realizada naq terça-feira (30), na zona rural da cidade de Rio Verde (GO).

Os recursos representam montante 16% superior ao valor liberado no ano passado e servirão para adquirir insumos e serviços agropecuários para as lavouras de soja, milho, arroz, algodão e café. O objetivo do lançamento, segundo Cafarelli, é evitar que o produtor fique refém do fornecedor, além de contribuir para a sustentabilidade do agronegócio e da melhora do Produto Interno Bruto brasileiro e aumento da renda

Cada produtor poderá financiar, no máximo, R$ 3 milhões. Para os médios produtores que integram o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), os recursos serão disponibilizados com taxas de 7,5% ao ano.

Para os outros produtores, o banco oferece financiamento com encargos de 8,5% ao ano. Modalidades alternativas de financiamento serão disponibilizadas para os produtores que demandam valores superiores ao limite do plano.

Também participaram do evento o presidente Michel Temer, os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, da Integração, Hélder Barbalho, e das Cidades, Alexandre Baldy, o governador de Goiás, Marconi Perillo, entre outras autoridades.

Temer espera nova safra recorde

O presidente Temer e os ministros destacaram o papel do agronegócio no crescimento da economia brasileira e o grande impacto do setor no volume de exportações do país. Temer lembrou ainda que a última safra foi recorde, com uma produção de mais de 240 milhões de toneladas, e afirmou que acredita em novo recorde para a safra deste ano, conforme as projeções do Banco do Brasil.

“Nós estamos destinando esses R$ 12 bilhões de crédito aos agricultores não apenas para ter juros mais acessíveis, não apenas para aumentar a produção, mas é um reconhecimento também àquilo que os senhores fizeram pelo nosso país”, declarou Temer.

Fonte: EBC

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + dezessete =

Notícias Clima

Inmet prevê chuva em todo o país nos próximos 15 dias

Na Região Nordeste, as chuvas devem ser em menor volume de 27 de outubro a 4 novembro

Publicado em

em

Divulgação

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), ligado ao Mapa, divulgou na segunda-feira (19) a previsão do tempo no país entre os dias 19 e 26 de outubro. De acordo com o instituto, a semana deverá ter chuvas em praticamente todo o país.

Na Região Sul, a previsão é de maiores acumulados de chuva no centro do estado do Paraná, que poderão ficar em torno de 80 mm. No Sudeste, não estão descartadas tempestades, com ocorrência de chuva forte, granizo e rajadas de vento, mas as chuvas serão mais escassas no norte de Minas Gerais.

Na Região Centro-Oeste, as chuvas terão maior volume no norte do Mato Grosso do Sul, sul de Goiás e leste do estado de Mato Grosso. “Há possibilidade de ocorrência de chuva forte e rajadas de vento em algumas áreas da região”, diz o boletim meteorológico semanal nº 41.

No Norte, os acumulados deverão variar entre 10 e 90 mm no Amazonas, sul do Pará e em Rondônia.

Figura 1: Previsão de chuva para 1ª semana. Fonte: Inmet

No período de 27 de outubro a 4 de novembro de 2020, “a semana deverá ter chuvas em todo o Brasil, mas em menor volume, na Região Nordeste”.

“Na Região Sul a tendência é de chuvas volumosos especialmente no oeste dos estados da região e, os acumulados podem chegar aos100 mm. A Região Central e também a Região Sudeste deverão ter chuvas intensas, principalmente nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, onde os acumulados poderão ultrapassar os 120 mm. No Matopiba, as chuvas deverão variar entre 20 e 40 mm, com maior probabilidade de ocorrência em Tocantins e no oeste da Bahia”.

Temperatura

Em relação às temperaturas, haverá pequenas variações no período de 19 a 25 de outubro.

Figura 2: Previsão de temperatura mínima para o dia 20 de outubro às 6 horas. Fonte: Inmet

Fonte: MAPA
Continue Lendo

Notícias Mercado

Valor médio da soja do Paraná se aproxima do observado em Paranaguá

Preços ofertados no mercado interno se aproximam dos verificados nos portos brasileiros

Publicado em

em

Divulgação/AENPr

A soja brasileira começa a ficar menos atrativa aos importadores neste período de entressafra, já que a disponibilidade é baixa e os preços internos estão em patamares recordes. Assim, pesquisadores do Cepea indicam que a demanda se volta aos Estados Unidos, onde a colheita está em ritmo intenso, favorecida pelo clima.

No Brasil, demandantes têm dificuldades em realizar aquisições de novos lotes. Com isso, os preços ofertados no mercado interno se aproximam dos verificados nos portos brasileiros. O Indicador CEPEA/ESALQ Paraná avançou 2,8% entre 9 e 16 de outubro, a R$ 157,8/sc de 60 kg na sexta-feira (16) e o Indicador ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá (PR) registrou aumento de 2,3% no mesmo período, a R$ 159,44/sc na sexta.

Fonte: Cepea
Continue Lendo

Notícias Mercado

Com alta de 11% na parcial do mês, milho é negociado a R$ 70/sc

Impulso aos valores segue vindo da baixa disponibilidade interna, da maior demanda e da retração de vendedores

Publicado em

em

Divulgação

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa (região de Campinas – SP) do milho vem registrando avanço consecutivo há 13 dias e, na sexta-feira (16) atingiu R$ 70,72/saca de 60 kg. Na parcial de outubro, a elevação do Indicador chega a 11,14%.

Segundo pesquisadores do Cepea, o impulso aos valores segue vindo da baixa disponibilidade interna, da maior demanda e da retração de vendedores, que estão atentos ao clima e ao semeio da safra de verão 2020/21. Além disso, o avanço nos preços internacionais e o dólar em alto patamar também reforçam a valorização doméstica do cereal, tendo em vista que elevaram a paridade de exportação.

Pesquisadores do Cepea ressaltam que esses aumentos nos preços têm preocupado consumidores domésticos do cereal.

Fonte: Cepea
Continue Lendo
Dia Estadual do Porco – ACSURS

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.