Conectado com

Notícias

Bayer contra a Lagarta tem início nas lavouras de soja

Publicado em

em

Os produtores de soja tem um novo aliado para o manejo de lagartas, que tiraram o sono de muitos e comprometeram a produtividade das lavouras na última safra e continuam a preocupar para esta, devido sua severidade. Para auxiliar os sojicultores, a Bayer CropScience criou o projeto Bayer Contra Lagartas, uma iniciativa que tem como objetivo oferecer suporte aos produtores, por meio da troca de informações relevantes, monitoramento das lavouras, adoção de ferramentas para o manejo de lagartas, suporte técnico especializado e a utilização de boas práticas agrícolas durante toda a safra. 
 
Para isso, a Bayer está criando uma rede de informações sobre lagartas e conta com o importante apoio dos próprios produtores, que fornecem informações que alertem sobre o desenvolvimento e risco de infestação nas principais regiões do País. De acordo com o gerente de Estratégia de Marketing da Bayer CropScience para a Cultura da Soja, Ronaldo Yugo, o foco principal do projeto é conter as lagartas que vêm trazendo muitos prejuízos para a agricultura brasileira, entre elas, a Helicoverpa armigera, que se disseminou fortemente no Brasil na última safra.
 
“Para o manejo de lagartas nas lavouras, o monitoramento e a escolha das ferramentas adequadas são fundamentais. Com a nossa expertise, vamos instalar armadilhas nas lavouras para o monitoramento da infestação de lagartas e comunicar de forma eficiente os resultados, para que os produtores façam uso das informações para a tomada de decisão sobre as melhores práticas para o controle de pragas. Nesse processo, a equipe de soja da Bayer fará a recomendação adequada de manejo para o manejo dessas pragas, com a adoção de soluções Bayer, além da adoção de boas práticas agrícolas”.
 
O trabalho do projeto Bayer Contra Lagartas terá início na cultura da soja, mas será expandido para as culturas de milho e algodão no decorrer da safra 2013/2014. Com a ação, a empresa pretende atingir todas as áreas produtoras e mobilizar mais de 5 mil produtores para a troca de informações e o controle de lagartas.
  
“É fundamental que os produtores se conscientizem de que o manejo preventivo é sempre o primeiro passo e muito importante. Ou seja, é necessário e indispensável fazer o controle da infestação. Outro ponto importante é o manejo integrado, que inclui a proteção das sementes plantadas e a utilização de inseticidas com grupos químicos e modo de atuação diferentes, além de devidamente registrados para a cultura”, destaca Yugo.
  
Portfólio Bayer contra lagartas
Focada em oferecer soluções integradas aos produtores rurais, a Bayer CropScience elegeu alguns de seus principais produtos para o projeto Bayer Contra Lagartas. CropStar®, Belt®, Certero®, Larvin 800 WG® e Connect® são ferramentas de alta tecnologia para o manejo do complexo de pragas nas lavouras de soja, milho e algodão. Com as boa práticas agrícolas, estas ferramentas permitem a que a lavoura expresse todo o seu potencial produtivo, podendo resultar em aumento de produtividade e qualidade do que é produzido.
CropStar®
Inseticida voltado para a proteção das sementes, que tem como objetivo prevenir os danos causados por pragas iniciais, viabilizando a emergência da planta, o stand e o potencial produtivo da cultura.
Belt®
Controla as principais lagartas, incluindo a Helicoverpa armigera. Ação rápida e altamente aderente sobre o tecido das plantas, sendo mais resistente às lavagens das chuvas. Tem uma ação inteligente, sendo seletivo aos inimigos naturais.
Certero®
Controle de lagartas em estágios iniciais, com prolongado período de proteção e alta seletividade dos inimigos naturais. Ótima ferramenta para rotação de ativos e alta performance no manejo do complexo de lagartas.
Larvin 800 WG®
Amplo espectro de ação sobre ovos, lagartas e pragas adultas. Excelente opção para rotação de ativos no controle do complexo de lagartas.
Connect®
Controle amplo contra percevejos. Maneja por mais tempo as pragas que sugam as plantas, proporcionando uma produtividade, qualidade mais uniforme.
Sobre a Bayer CropScience
A Bayer é uma empresa global, com suas principais atividades concentradas nas áreas de saúde, nutrição e materiais de alta tecnologia. Este ano, a empresa comemora 150 anos de trabalho dedicados a cumprir sua missão "Bayer: Ciência para uma Vida Melhor". A Bayer CropScience, subgrupo da Bayer AG e responsável pelo negócio agrícola, tem vendas anuais de EUR 8,4 bilhões (2012), sendo uma das principais empresas mundiais de ciências e inovação nas áreas de sementes e traits, proteção de cultivos, além de soluções para o controle de pragas não-agrícolas. A empresa oferece uma excelente gama de produtos, incluindo sementes de alto valor, soluções inovadoras para a proteção de cultivos e baseadas em modos de ação químicos e biológicos, bem como extensivos serviços de apoio para o desenvolvimento de uma agricultura moderna e sustentável. Na área de produtos não-agrícolas, a Bayer CropScience tem um amplo portfólio de produtos e serviços para o controle de pragas, que abrangem desde aplicações de casa e jardim até para o segmento de reflorestamento. A empresa conta com uma força de trabalho global de mais de 20.800 colaboradores e está presente em mais de 120 países. No Brasil, faz parte do Grupo Bayer, com 117 anos de atuação no País e aproximadamente quatro mil colaboradores. A Bayer CropScience, no Brasil, conta com mais de 1,5 mil colaboradores, uma instalação industrial em Belford Roxo (RJ) e um Centro de Pesquisa e Inovação no Estado de São Paulo. 
                                                                    

Fonte: Ass. Imprensa da Bayer Cropscience

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Oportunidade de Negócios

Instituições financeiras oferecerão R$ 3 bi em crédito no Show Rural

Organizadores do evento estão otimistas e estimam movimentação financeira entre R$ 1,5 bilhão e R$ 2 bilhões

Publicado em

em

Divulgação

Os bancos e as cooperativas de crédito que estarão presentes no Show Rural Coopavel 2019 vão disponibilizar R$ 3 bilhões aos produtores rurais que desejarem financiar máquinas, implementos ou fazer outros investimentos em suas propriedades. As taxas e prazos oferecidos serão os melhores do mercado.

O 31º Show Rural Coopavel terá a presença do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Santander,. BRDE e as principais cooperativas de crédito do País, entre elas Sicredi, Sicoob, Cresol e Credicoopavel. Os organizadores do evento estão otimistas e estimam movimentação financeira entre R$ 1,5 bilhão e R$ 2 bilhões.

O Show Rural Coopavel será de 4 a 8 de fevereiro e contará com 520 expositores. O público esperado é 250 mil pessoas. Uma das principais novidades desta 31ª edição é o Show Rural Digital, que contará com a participação de algumas das maiores empresas do mundo de tecnologia e inovação.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Tudo sobre avicultura

FACTA lança edição ampliada e revisada do livro “Produção de matrizes de frangos de corte”

Exemplar traz 15 capítulos com diversos elementos sobre o desenvolvimento das aves

Publicado em

em

Divulgação/Assessoria

A Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas (FACTA) lança a 3ª edição do livro “Produção de matrizes de frango de corte”, ampliada e com conteúdo revisado. A obra envolveu mais de 35 profissionais, sendo alguns colaboradores de empresas fortemente comprometidas com o setor avícola, bem como pesquisadores do mundo acadêmico.

O exemplar traz 15 capítulos com diversos elementos sobre o desenvolvimento das aves, como o entendimento dos aspectos fisiológicos dos machos e das fêmeas, o manejo alimentar, as principais doenças e formas de tratamento, a relevância da casca dos ovos, ambiência, biosseguridade, o dimensionamento e gerenciamento das granjas de produção, dentre outros assuntos, que são abordados com profundidade, mas de forma didática, com ilustrações, tabelas e figuras, que facilitam o entendimento do texto.

O livro foi editado pelos membros da FACTA: Marcos Macari, Elisabeth Gonzales, Inaldo Sales Patrocínio e Neyre Norie Shiroma, com apoio da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e das empresas Alltech do Brasil, Biocamp, Cargill Alimentos, Cobb-Vantress Brasil, Nutriquest Technofeed Nutrição Animal, Ceva Saúde Animal e Zoetis Indústria de Produtos Veterinários.

O livro pode ser adquirido no site da FACTA.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Mercado Externo

Cinco unidades de frango do Brasil são desabilitadas a exportar a sauditas

Entre as plantas que permanecem habilitadas a exportar para o país árabe estão BRF, JBS, Seara e a LAR Cooperativa Agroindustrial

Publicado em

em

Arquivo/OP Rural

Na segunda-feira (21) o serviço sanitário da Arábia Saudita apresentou o relatório das empresas brasileiras habilitadas a exportar para o país. Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) a autorização se mantém para 25 plantas frigoríficas brasileiras de carne de frango. Atualmente, 58 plantas são habilitadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) a exportar, mas somente 30 embarcam produtos efetivamente.

A ABPA informou em nota oficial que o impacto da decisão, portanto, é sobre cinco plantas frigoríficas, que deixam de exportar para o país. “As empresas autorizadas constam em uma lista divulgada pelas autoridades sauditas. As razões informadas para a não-autorização das demais plantas habilitadas decorrem de critérios técnicos. Planos de ação corretiva estão em implementação para a retomada das autorizações”, diz a nota.

A Associação comunicou que está em contato com o Governo Brasileiro para que, em tratativa com o Reino da Arábia Saudita, sejam resolvidos os eventuais questionamentos e incluídas as demais plantas. “Além disto, as plantas que hoje não estão habilitadas contarão com o apoio do Ministério para obter a autorização para exportar a este mercado”, afirma a ABPA.

Segundo o MAPA, o grupo habilitado respondeu no ano passado por 63% do volume das exportações brasileiras de carne de frango – porcentagem que correspondeu a 437 mil toneladas – para a Arábia Saudita.

Além do mais, o Ministério ainda está examinando o relatório e encaminhará aos estabelecimentos as recomendações apresentadas.

Entre as plantas que permanecem habilitadas a exportar para o país árabe estão BRF, JBS, Seara e a LAR Cooperativa Agroindustrial.

Fonte: O Presente Rural
Continue Lendo
Nucleovet 2
APA

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.