Conectado com

Notícias Mercado

Barros alerta sobre mercado nacional e internacional durante SNDS

Especialista falou sobre as oportunidades do Brasil no mercado nacional e internacional, e a importância de ficar alerta sobre pontos importantes da economia e políticas adotadas em outros países

Publicado em

em

O Presente Rural

Nesta sexta-feira (02), último dia do XVIII Seminário Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (SNDS), os participantes contaram com uma palestra com o consultor e engenheiro agrônomo, Alexandre Mendonça de Barros, que falou sobre as perspectivas e impactos da macroeconomia sob a ótica do mercado agro. O especialista falou um pouco sobre os acontecimentos mundiais e como eles estão e poderão afetar o mercado agro brasileiros neste ano e nos próximos.

Barros vê o mercado como uma grande oportunidade que o Brasil está tendo neste memento. “Ou seja, fatores como a Peste Suína na China e a guerra comercial entre EUA e o país asiático ainda vão influenciar muito o mercado agrícola brasileiro. O bom é que nós estamos conseguindo nos beneficiar com estas situações”, comentou. Porém, apesar disso, o consultor alerta é que preciso tomar cuidado quanto às exportações para a China. “Precisamos ter cautela, porque precisamos ver uma série de coisas se aumentarmos as exportações. É preciso pensarmos em questões como logística e o auto desemprego que o país asiático está enfrenando, por exemplo”, disse.

Assim como outros palestrantes já haviam alertado os participantes do SNDS, Barros foi enfático ao afirmar que o Brasil não pode fazer as coisas com tanta euforia. “Devemos ir devagar, porque a China é um mercado e um player interessante para o Brasil, mas é preciso ter cuidado, porque outros mercados também desejam exportar para eles. E, como comentei, como há muito desemprego lá, não vai haver tanto consumo como pensamos. É preciso tomar cuidado”, alertou.

Apesar destes avisos, o consultor se disse otimista com a questão macroeconômica brasileira. “O mercado interno brasileiro também é interessante para a suinocultura e o consumo de carne. Mas isso não vai acontecer do dia para noite. Isso, principalmente, porque também vivemos ainda com muito desemprego e ainda há a questão das aprovações das reformas. É algo que vai demorar para dar um retorno e aumentar o consumo da carne suína”, comentou.

Três pontos para prestar atenção

Barro destacou três pontos que o setor deve prestar bastante atenção. E que, de acordo com ele, precisam ser olhados com bastante cautela. O primeiro deles é o mercado asiático. “Existe o mercado chinês, mas também há o Vietnã, que é um local que muita gente não dá muita bola, mas que é um mercado interessante”, contou.

O segundo destaque foi que, para ele, o fato de o Brasil estar totalmente alinhado aos EUA pode não ser uma coisa tão boa para o país. “Acho que não precisamos fazer esse tipo de escolha e estarmos 100% alinhados com o país A ou B. É importante termos diplomacia e alinhamento com vários países, porque todos podem ser mercados interessantes”, alertou. Ele explica que é preciso ficar alerta porque se o Brasil ser somente aliado aos EUA, pode acontecer de fazer escolhas que podem atrapalhar, inclusive, questões de exportação para outros países. “Um caso prático disso seria o Brasil escolher os EUA, e como eles e a China estão nessa briga comercial, acabarmos perdendo esse entusiasmo do mercado chinês”, disse.

O último ponto destacado por Barros foi quanto aos custos de produção. Ele destacou que o mercado dos EUA nunca esteve tão volátil quanto agora. “As previsões de produção de grãos de lá influenciam diretamente aqui, por isso precisamos ficar muito alertar, porque os EUA estão baixando a previsão da safra deles e isso pode interferir nas exportações de grãos do Brasil. E exportando mais grãos, consequentemente o custo de produção dos suínos aumenta”, explicou.

Um quesito apontado por Barros, que pode fazer também aumentar os custos de produção, é a utilização do milho como matéria-prima para produção de etanol. “Isso é algo que já está acontecendo. No Mato Grosso já estão fornecendo bastante milho para a produção de etanol e isso pode interferir diretamente no preço do milho”, disse. Segundo ele, é preciso que o suinocultor fique bastante atento quando a questão dos custos de produção.

A cobertura completa do SNDS você pode conferir na próxima edição de Suínos e Peixes do Jornal O Presente Rural.

Fonte: O Presente Rural
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + quinze =

Notícias Safra 2019/2020

Colheita de soja do Paraná dispara a 42% da área

Dados indicam que produtores aproveitaram um período de chuvas abaixo da média para a época na última semana

Publicado em

em

Divulgação

A colheita de soja do Paraná atingiu até quarta-feira (26) 42% da área total semeada no Estado, avanço de 20 pontos percentuais na comparação com a semana anterior, de acordo com dados do Departamento de Economia Rural (Deral), do governo estadual.

Os dados indicam que produtores aproveitaram um período de chuvas abaixo da média para a época na última semana, conforme dados do terminal Eikon, para avançar com os trabalhos, que ainda assim estão atrasados na comparação com 2019 (51%), quando os paranaenses registraram o ritmo mais forte.

O Paraná, segundo Estado produtor de soja do Brasil, atrás do Mato Grosso, deverá colher uma safra recorde de soja em 2019/20, de 20,36 milhões de toneladas, estimou o Deral na semana passada. Mas o ritmo de colheita deste ano está mais acelerado na comparação com 2018, quando nesta época somente 27% da área de soja estava colhida, segundo o Deral. Até a última sexta-feira (21), o Brasil havia colhido cerca de um terço de sua safra de soja.

No caso do milho segunda safra, que em geral está sendo plantado após a colheita de soja, o plantio atingiu 61% da área projetada, quase o dobro do visto na semana anterior (32%). Na mesma data no ano passado, o Estado tinha 73% do milho “safrinha” já semeado. No milho primeira safra, a colheita avançou para 37% da área, versus 23% na semana anterior e 32% em 2019.

As lavouras de soja e milho do Paraná estão em situação favorável, com 99% da safrinha do cereal em boa condição, segundo o Deral.

Fonte: Reuters
Continue Lendo

Notícias Cooperativismo

Cotrijal conta com novo Centro de Distribuição

Novo Centro de Distribuição foi construído para suprir a demanda das atuais 20 lojas da cooperativa

Publicado em

em

Divulgação

Agir de forma planejada e com objetivo de apresentar melhorias para o produtor. Estas são algumas das premissas que motivaram a Cotrijal a investir em um novo Centro de Distribuição, construído para suprir a demanda das atuais 20 lojas da cooperativa, com uma projeção para dobrar o número de itens em estoque.

Localizado no km 16,5 da RS 142, ao lado da Unidade de Beneficiamento de Sementes, o Centro de Distribuição tem 4.344 metros quadrados de área construída, o que comportará um número superior a 16 mil itens.

O espaço também conta com amplo estacionamento, área para carga e descarga e rápido acesso à rodovia. “Nossa ideia é ganhar em agilidade na entrega dos produtos, variedade de itens em estoque e aumentar as opções de produtos para melhor atender nossos associados e clientes”, comentou o presidente da Cotrijal, Nei César Manica.

Visita inaugural

A abertura oficial das atividades do novo Centro de Distribuição da Cotrijal aconteceu nesta quarta-feira (26/2), com uma visita inaugural. A atividade contou com a participação da direção, dos conselheiros de administração e fiscais e superintendentes da cooperativa, além de autoridades e lideranças locais. “Todos os investimentos são realizados com o foco no nosso produtor, no nosso cliente, que vê na cooperativa uma parceira forte para todas as horas”, comentou o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder.

O tuor pelas novas instalações do CD foi guiado pelos profissionais da cooperativa, que apresentaram as informações sobre a logística das lojas e a forma de trabalho. “Teremos uma significativa melhora nos serviços de recebimento e expedição de produtos, sem contar com a garantia de melhor fluxo de produtos nas nossas 20 lojas. Também está em nosso plano de ação a abertura de novos espaços e a ampliação da loja de Não-Me-Toque, que será toda remodelada”, revelou o superintendente de Varejo, Valcir Zanchett.

O associado de conselheiro de administração Odair Nienow, de Não-Me-Toque, manifestou satisfação em prestigiar a visita inaugural e acredita que o Centro de Distribuição trará benefícios para todos os clientes da Lojas Cotrijal. “Essa é uma conquista de todo o quadro social, algo que foi muito debatido em reuniões e que trará grande melhoria para o trabalho do varejo”, comentou.

Já o associado conselheiro fiscal Ricardo Tomazoni, de Colorado, acredita que o empreendimento trará mais agilidade nas entregas e mais qualidade para o trabalho das lojas. “O setor de varejo entra em uma nova fase e todos nós ganhamos com isso”.

Informações

  • A obra: de 01/07/2019 a 31/01/2020
  • Área total do terreno = 19.990,58 m²
  • Área total construída = 4.344,81 m²
  • Armazém produtos leves = 2.724,74 m²
  • Armazém produtos pesados = 957,99 m²
  • Estacionamento = 880,28 m² – 35 vagas

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Sanidade

Pif Paf Alimentos recebe autoridades em Santa Catarina

Dirigentes da empresa acompanharam o secretário de Estado da Agricultura e a gerente do IMA em visita à unidade da Fricasa Alimentos, no município de Canoinhas

Publicado em

em

Divulgação

Os dirigentes da Pif Paf Alimentos realizaram, ao longo das últimas semanas, reuniões com autoridades do município de Canoinhas e do estado de Santa Catarina. Houve encontros com o prefeito, presidente da Câmara de Vereadores, comando do Corpo de Bombeiros, Associação Empresarial, Epagri, Sindicarnes, Icasa, Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Superintendência do Ministério da Agricultura e FIESC. O objetivo foi apresentar a trajetória da Pif Paf e os planos de crescimento da empresa em Santa Catarina.

Ainda na ocasião, o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa, e a gerente de Desenvolvimento Ambiental do Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Santa Catarina, Francine Nader, foram recebidos nas instalações da unidade industrial, em Canoinhas, e puderam conhecer os produtos Fricasa. Também tiveram acesso a informações e dados sobre a produção, as perspectivas de crescimento, a ampliação da compra de milho e o fomento à produção integrada de suínos na região.

Após a visita, as autoridades, acompanhadas do gerente de Relações Institucionais da Pif Paf, Cláudio Faria, se reuniram com o prefeito Beto Passos para discutir propostas e projetos que possam garantir o desenvolvimento rural do estado. “Neste momento, estamos entendendo as particularidades da Fricasa e promovendo a inteiração com todos os parceiros envolvidos na cadeia produtiva. A companhia atua no sentido de fortalecer todos os elos da cadeia e de trazer benefícios às comunidades das localidades em que está inserida. É importante que todos ganhem”, destaca Faria. O processo de aquisição da Fricasa pela Pif Paf foi concluído no início de janeiro.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.