Conectado com
FACE

Empresas Avicultura

Aviagen América Latina segue ao lado dos avicultores para enfrentar a Covid-19 e colocar #ComidaEmTodasAsMesas

Publicado em

em

Ivan Lauandos é presidente da Aviagen América Latina. - Fotos: Divulgação

A América Latina está enfrentando desafios sem precedentes devido à Covid-19, e os números de casos e mortes continuam aumentando. O custo humano da doença é devastador e todos sentiram os impactos, como a fome e a desnutrição, que surgem como resultado da escassez de alimentos e enfraquecem as defesas imunológicas humanas contra a doença. Como empresa que atua na produção de aves e integra a comunidade latino-americana, a Aviagen® América Latina, que fornece material genético sob a forma de pintos de um dia e ovos incubáveis para produtores de frango em toda a região, está preocupada com a saúde e o bem-estar dos colaboradores e se esforça para cuidar de todos.

“Os produtores de alimentos usam nosso material genético para produzir frango nas comunidades locais,” explica Ivan Pupo Lauandos, presidente da Aviagen América Latina. “Por exemplo, uma remessa de dois paletes de pintos importados para os países latino-americanos produz, aproximadamente, 4.500 toneladas de carne de frango para os consumidores,” salienta Lauandos. “O fornecimento de uma proteína de qualidade como o frango contribui para uma dieta saudável e fortalece o sistema imunológico, fundamental na luta contra o vírus da Covid-19”.

Infelizmente, os cancelamentos de voos, as limitações nas rotas comerciais e outras restrições de exportação, bem como as restritas viagens terrestres, têm prejudicado a capacidade logística em diversos países do mundo, o que, por sua vez, impacta severamente o suprimento global da proteína de frango.

 

Ferramentas de vendas – combatendo os desafios

A Aviagen segue comprometida com a segurança no fornecimento de alimentos, e desenvolve estratégias para manter a cadeia de suprimentos em funcionamento durante ameaças, como: doenças de aves, problemas aéreos, desastres naturais e, mais recentemente, a pandemia do novo coronavírus. Uma das medidas é ter diferentes bases de suprimento em diversos continentes, o que auxilia, em tempos difíceis, como durante surtos sanitários ou desastres, em qualquer país. Muitas dessas bases, incluindo o Brasil e a Colômbia, alcançaram a compartimentação, o que significa que as aves são transportadas desde um conjunto de “compartimentos”, oficialmente aprovados como livres de Influenza Aviária e seguros para o transporte. Além disso, o programa de biossegurança da empresa ajuda a manter os patógenos prejudiciais fora da cadeia de suprimentos.

 

Força em números

Outra ferramenta de exportação da Aviagen, que provou ser fundamental durante a atual pandemia, é formar alianças com profissionais do setor, bem como organizações governamentais e do agronegócio, trabalhando juntos para encontrar soluções inovadoras para os problemas de exportação.

Como um exemplo, muitos voos na América Latina foram cancelados devido à pandemia. A Aviagen trabalhou diretamente com as companhias aéreas através de despachantes para encontrar opções disponíveis e entregar o material genético a seus clientes. Para as aves importadas do Reino Unido, existe um requerimento de Certificado Sanitário, assinado na saída do aeroporto pelos médicos-veterinários oficiais. Este requerimento representava um problema, pois vários departamentos foram fechados devido à Covid-19. Para contornar esse gargalo, a Aviagen América Latina trabalhou em conjunto com a Embaixada Britânica no Brasil para intermediar a situação com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), no Brasil, e com o Departamento de Meio Ambiente, Alimentos e Assuntos Rurais (DEFRA), no Reino Unido.

“Acredito na importância do negócio e que é necessária uma ação conjunta para que a indústria avícola supere os obstáculos apresentados pela crise da Covid-19. Como empresa, nossa missão é ajudar nossos clientes – produtores avícolas na América Latina – a colocarem comida em todas as mesas das famílias em suas comunidades locais”, observa Lauandos.

 

Ajudando um ao outro

“A melhor ferramenta que temos é a determinação dos produtores em ajudar uns aos outros, para o melhoramento do setor como um todo, e das pessoas que dependem de nós”, comenta Jan Henriksen, CEO da Aviagen.

Para as empresas de melhoramento genético de aves, a cooperação pode ser realizada por meio do compartilhamento de espaços de carga em uma companhia aérea ou reunindo recursos para melhorar o manejo da saída de pintos, com pontos de recebimento em todo o mundo. Colocando isso em prática, a Aviagen recentemente colaborou com uma companhia aérea, agentes aduaneiros e ministérios agrícolas de diferentes países para enviar com êxito 168.760 matrizes para três clientes em Bangladesh.

A ação teve início quando a Aviagen e sua empresa-irmã Hubbard receberam pedidos de três diferentes clientes em Bangladesh, que precisavam do envio de aves originadas na França, Holanda e Estados Unidos. Contudo, seis semanas antes do embarque, restrições causadas pela pandemia impediram que as rotas de exportação pudessem ser usadas.

“Contatamos a Qatar Airways Cargo para discutir este dilema, e a ideia proposta foi combinar os pedidos de embarque dos três clientes em uma única remessa, desviando um voo que vai de Doha, no Qatar, para Hong Kong, com uma parada em Bangladesh para a entrega das aves”, lembra Henriksen. “Nossa equipe trabalhou dia e noite por semanas – comunicando-se remotamente via Zoom com nossos especialistas em exportação ao redor do mundo, embaixadas, companhia aérea, despachantes aduaneiros e outros para planejar a logística dessa complexa operação”.

Henriksen ainda enfatiza: “Como em todas as remessas de pintos de um dia, nossa prioridade era com a saúde e o bem estar das aves durante o voo. Para cada remessa exportada, nossos pintos de um dia são mantidos bem hidratados e a temperatura e o fluxo de ar são controlados de perto. No entanto, devido ao grande volume de pintos nesse voo foi necessário prestar atenção extra a essas condições. Dispositivos GPS especiais foram usados para medir e registrar suas temperaturas, enviando esses dados para especialistas em terra que estavam em comunicação com o piloto para os ajustes necessários. Para proteção adicional, um responsável esteve com as aves cuidando e monitorando as suas condições durante o voo”.

 

Unidos permanecemos

Agora, mais importante do que nunca, a indústria avícola deve se unir. “Estamos vivendo um momento decisivo, em que a história nos julgará com base em nossa capacidade de coordenar esforços através das fronteiras, governos e indústria para o bem das pessoas”, enfatiza Henriksen. “Trabalhar juntos para alcançar os mesmos objetivos nos ajudará a superar as dificuldades atuais, bem como quaisquer obstáculos que surjam no nosso caminho. Devemos continuar nos unindo como um forte setor e alavancando o imenso talento, conhecimento e desejo de fazer a diferença e sustentar a todos agora e pelas próximas gerações”, conclui Henriksen.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × quatro =

Empresas Vetoquinol

Usar antiparasitários de alta performance e baixo período de carência é ideal para fase de terminação dos bovinos

Publicado em

em

Divulgação Vetoquinol

Diversos desafios ligados à infestação de parasitas afetam os bovinos durante o ciclo de produção, reduzindo o desempenho produtivo e a lucratividade dos produtores. A recomendação é lançar mão de medidas de controle efetivo, prevenção e tratamentos eficazes específicos para cada fase de criação. Humberto Moura, gerente de produtos de animais de produção da Vetoquinol Saúde Animal, explica que durante a fase de engorda e terminação o controle dos parasitas torna-se um dos maiores desafios dos pecuaristas. “O controle efetivo dos parasitas com uma solução apropriada a essa fase é fundamental para a obtenção de animais mais pesados, bem terminados e produzindo carne de qualidade e segura para o consumo”, diz.

Segundo estimativas, cerca de 6 milhões de animais devem ser terminados no sistema de confinamento em 2020. Porém, a maioria dos animais abatidos no Brasil (cerca de 30 milhões) ainda é terminada a pasto. “Independente do sistema de engorda – seja pasto, confinamento ou semiconfinamento – o controle dos parasitas internos e externos é de extrema importância, principalmente com o uso de produtos e protocolos sanitários que promovam resultados efetivos, tanto em termos de menor manejo possível e baixo períodos de carência”, reforça Humberto Moura.

Com amplo portfólio para controle parasitário, a Vetoquinol Saúde Animal, uma das 10 maiores empresas de saúde animal do mundo, oferece o inovador endectocida Contratack Injetável Plus. De alta tecnologia, o produto é eficaz para combater os parasitas internos e externos e assegurar a produtividade necessária para a fase de terminação com segurança.

“Contratack Injetável Plus é uma solução ideal para a fase de engorda e terminação. Além de ter baixo período de carência (17 dias), a associação da Eprinomectina 1,8% com Fluazuron proporciona alta performance, contribuindo para elevar a produtividade na terminação. O rebanho fica limpo e protegido. Contratack Injetável Plus é sinônimo de produção de carne mais segura para o consumo, atendendo às exigências dos mercados regulatórios e dos consumidores”, finaliza o gerente de produtos de animais de produção da Vetoquinol Saúde Animal.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas

Trouw Nutrition investe R$ 15,6 milhões em aumento da capacidade de produção. Novos investimentos estão programados para 2021

A capacidade de produção das fábricas de Mirassol e Cuiabá aumentou 17%, em 2020

Publicado em

em

Foto: Divulgação

A Trouw Nutrition, uma das líderes globais em nutrição animal, concluiu investimentos de R$ 15,6 milhões em suas plantas industriais de Arujá (SP), Mirassol (SP) e Cuiabá (MT), em 2020. São dois objetivos principais: aumento da capacidade produtiva e redução de custos operacionais, explica Tiago Nicoletti, Diretor de Operações LATAM. “A  Trouw Nutrition busca continuamente melhorar a eficiência e produtividade das suas fábricas, com foco na expansão do atendimento para os clientes de todo o Brasil”.

A capacidade de produção das fábricas de Mirassol e Cuiabá aumentou 17%, em 2020. “O investimento não para por aí. No próximo ano, temos aprovação para aplicar R$ 12 milhões em nova rodada de crescimento da capacidade produtiva das plantas em mais 10%. Isso inclui aquisição de novos maquinários e uma infraestrutura cada vez mais robusta”, complementa Nicoletti.

“A Trouw Nutrition quer estar cada vez mais presente no mercado brasileiro, oferecendo soluções nutricionais modernas e eficazes para contribuir para o contínuo aumento da produtividade de aves, suínos e bovinos – além do segmento de petfood. Os investimentos feitos e a fazer estão em linha com esse planejamento. Esperamos retorno financeiro em até três anos”, explica o Diretor de Operações LATAM.

Tiago Nicoletti acrescenta que na fábrica de Arujá os investimentos em expansão da capacidade tornaram possível a inclusão de linha de produção exclusiva para soluções pet, um diferencial no mercado de animais de companhia. “Nossa infraestrutura permite a distribuição consistente dos ingredientes em nossos premixes, atendendo às exigências de qualidade e segurança alimentar. Para isso, temos áreas específicas de estoque, pesagem, mistura e ensaque, o que evita a contaminação cruzada com outras áreas.

A salubridade do ambiente de trabalho é outro foco de atenção da empresa. “Estamos frequentemente revisitando normas de segurança e iniciativas para a redução de acidentes de trabalho. É uma preocupação constante. Os números comprovam: estamos há mais de dois anos sem acidentes em nossas unidades fabris. Desde 2018, os investimentos nas plantas somaram R$ 32 milhões – somente na área de HSE (Saúde, Segurança e Meio Ambiente) foram R$ 10 milhões”, informa Nicoletti. “Esse é um dos motivos que explica o crescimento do nosso negócio a cada ano, além da confiança dos clientes e importância dos colaboradores como um pilar forte para a consolidação da Trouw Nutrition no mercado de nutrição animal”, reforça o diretor.

Continue Lendo

Empresas Treinamento

IHARA é parceira do Sindiveg na orientação ao agricultor sobre uso correto e seguro de defensivos

Plataforma digital de treinamentos capacita agricultores levando boas práticas e segurança ao campo

Publicado em

em

Arquivo OP Rural

A IHARA, empresa de pesquisa e desenvolvimento especializada em tecnologias e defensivos para a proteção de cultivos, é parceira do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos Para Defesa Vegetal (Sindiveg) em promover conhecimento e capacitação sobre o uso correto e seguro de defensivos agrícolas no campo, indicando aos seus agricultores e distribuidores a plataforma digital de treinamentos da entidade.

“A IHARA tem orgulho de participar de projetos como esse que levam informações e orientações para que nossa agricultura continue prosperando com segurança. Entendemos que, mais do que desenvolvermos e levarmos soluções para a proteção de cultivos dos nossos agricultores, temos a responsabilidade de orientá-los para que façam o uso dos nossos produtos da melhor e mais segura forma possível. Produtos especiais requerem cuidados especiais”, afirma Gabriel Saul, Gerente de Comunicação da IHARA.

Com a utilização correta dos defensivos e a otimização das aplicações evita-se o desperdício e a dispersão de resíduos. Além disso, as lavouras estarão protegidas por meio do controle eficaz das pragas, doenças e plantas daninhas, garantindo assim alta produtividade, qualidade e segurança dos alimentos para o consumo.

“Além de contribuirmos ativamente no Sindiveg para o desenvolvimento dessas ações, criamos praticamente uma “força-tarefa” dentro da IHARA, envolvendo todo nosso time comercial e distribuidores, para que essas importantes informações cheguem até o campo alcançando o maior número de agricultores possível. Os resultados”, completa Gabriel.

Completando três meses no ar, a ferramenta, que é totalmente gratuita, já certificou milhares de agricultores. Os interessados podem acessá-la no link https://treinamentos.sindiveg.org.br/login.php

10 Regras de Ouro do Uso Correto e Seguro de Defensivos Agrícolas

Como complemento à plataforma de treinamentos online, o Sindiveg, com o apoio de suas associadas, criou as 10 Regras de Ouro para o Uso de Defensivos Agrícolas com o objetivo de disseminar, de forma simples e rápida, as principais regras para o uso correto desses indispensáveis insumos.

As recomendações envolvem o fluxo completo de uso dos defensivos, desde o planejamento de compra até o descarte das embalagens, que podem ser lidas no informativo digital completo: https://bit.ly/10RegrasdeOuroDefensivos

Fonte: Ass. de Imprensa IHARA
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.