Conectado com

Empresas Peixes

Aquacultura: Santiago de Pádua do Biovet Vaxxinova apresenta palestra sobre vacinas autógenas no IFC

“Para suportar o crescimento da atividade e oferecer soluções na gestão de saúde das criações de tilápia, torna-se necessário o uso de vacinas injetáveis nos peixes ainda na fase jovem”, explica o gerente de produtos Aqua do Biovet Vaxxinova.

Publicado em

em

Foto: Divulgação

Quarto maior produtor mundial de tilápia, o Brasil se destaca no ranking global de produção desta espécie de alta demanda pelo mercado consumidor, acumulando amplo e sólido crescimento na última década. Segundo dados da Associação Brasileira da Piscicultura (PEIXE BR),a criação de tilápia do Nilo figura entre os protagonistas da cadeia aquícola nacional, representando mais de 55% do volume total da piscicultura brasileira em 2018. Somado ao potencial de exportação que essa proteína representa, toda a cadeia de produção da tilápia tem traçado estratégias para reforçar a biossegurança da atividade.

De olho nisso, o International Fish Congress (Foz do Iguaçu, PR) apresentará durante seu seminário sobre sanidade, no dia 19 de setembro, a palestra Vacinas Autógenas na Aquacultura: Ferramenta para a Gestão dos Desafios Sanitários Emergentes no Brasil, proferida por Santiago Benites de Pádua – Médico Veterinário, Mestre em Aquicultura, pesquisador e gerente de produtos Aqua do Biovet Vaxxinova.

“Para suportar o crescimento da atividade e oferecer soluções na gestão de saúde das criações de tilápia, torna-se necessário o uso de vacinas injetáveis nos peixes ainda na fase jovem”, explica o gerente de produtos Aqua do Biovet Vaxxinova. “Dessa forma, os peixes ficam protegidos durante o ciclo de produção contra doenças, diminuindo a necessidade de uso de medicamentos, além de contribuir para produção de alimentos cada vez mais saudáveis para o consumidor final”.

As vacinas autógenas têm produção e controles semelhantes aos das vacinas comerciais, sendo produzidas por meio de microrganismos isolados e identificados de animais de uma propriedade para enfrentar um determinado desafio sanitário. Seu uso é exclusivo da propriedade na qual foi realizado o isolamento ou em sistemas integrados, nos quais ocorrem a introdução de espécies oriundas da propriedade onde foi realizado o isolamento do agente.

Segundo a Unidade de Negócios Aqua do Biovet Vaxxinova, as vacinas autógenas são muito importantes para suprir a ausência e/ou disponibilidade de vacinas comerciais para um determinado desafio sanitário, ou quando acontece de a variação antigênica ser diferente do espectro de proteção conferida pela vacina disponível. Nesse mercado, a empresa tem se destacado com sua Unidade de Negócios Aqua, por meio da qual estão sendo comercializadas vacinas injetáveis e desenvolvidas vacinas de imersão para utilização na tilapicultura brasileira.

Biovet Vaxxinova é referência no setor de biológicos no país. A marca tem 150 itens diferentes de consumo à disposição do mercado de saúde animal brasileiro. Em termos globais, a empresa faz parte da rede de tecnologia constituída pelo grupo Vaxxinova, que tem atuação pioneira na aquacultura mundial e compreende instalações de produção, pesquisa e desenvolvimento e diagnóstico em 9 países: Brasil, Itália, Alemanha, Japão, Jordânia, Noruega, Tailândia, EUA e Holanda. Essa rede global visa fornecer uma gama completa de vacinas autógenas e licenciadas, combinadas com serviços de diagnóstico de alto nível, e apoiadas pelo forte P&D.

SOBRE O EVENTO: Com o lema “Das águas ao consumo” o International Fish Congress tem o apoio das principais entidades do setor, tais como a ABIPESCA – Associação Brasileira da Indústria da Pesca, PEIXEBR – Associação Brasileira da Piscicultura, SINDIPI – Sindicado dos Armadores e Indústria da Pesca, ABRAPES – Associação Brasileira de Fomento ao Pescado e ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal, CNA/SENAR e ABRAS – Associação Brasileira de Supermercadistas. As discussões têm o apoio da FAO – Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação e MAPA através da Secretaria da Aquicultura e Pesca. O evento ocorrerá de 17 a 19 de setembro, no Centro de Eventos Maestra, Cataratas Resort, Foz do Iguaçu, Paraná.

Site: http://www.internationalfishcongress.com.br/inicial

Fonte: Assessoria da Biovet
Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + quinze =

Empresas Trigo

Em meio a seca, inverno é opção para produção de silagem e pré-secado

Mixes de cultivares de trigo aproveitam a planta inteira na produção de silagem e pré-secado com alto valor nutricional. Novidade será apresentada na Expodireto Cotrijal, entre 2 e 6 de março, em Não-Me-Toque (RS)

Publicado em

em

Os materiais estarão expostos na Expodireto Cotrijal, entre 2 e 6 de março. -Fotos: Divulgação Biotrigo

A cidade de Não-Me-Toque (RS), recebe a partir da próxima segunda-feira (2) a 21ª edição de um dos eventos mais completos do setor agropecuário do país: a Expodireto Cotrijal. O evento segue até o dia 6 de março com a exposição de várias tecnologias, palestras e fóruns técnicos. A utilização do trigo de planta inteira como fonte alternativa de proteína e energia na dieta do rebanho será um dos destaques nesta edição.

A novidade é o lançamento de mixes de cultivares de trigo para silagem e pré-secado que tem em comum duas particularidades: a ausência de aristas – por isso tem alta palatabilidade, elevada digestibilidade e qualidade nutricional – é fonte rica de proteína e de energia, além de fornecer fibra efetiva. Segundo o gerente de nutrição animal da Biotrigo, Tiago de Pauli, o objetivo do projeto da Biotrigo ao lançar trigos exclusivos para alimentação animal é atender a uma demanda comum entre os pecuaristas: a escassez de alimentação durante períodos de baixa oferta, perdas de produtividade ou seca. “Dentre as estações do ano, o verão é o período em que se faz o maior volume de alimento conservado, especialmente a silagem de milho, mas na maioria das vezes a sua produção não garante a alimentação no restante do ano e é especialmente no outono, onde ocorre a troca das pastagens de verão e entram as de inverno, que as preocupações aumentam porque essa troca se estende por até 3 meses e logo após com o frio intenso, a umidade e as geadas prejudicam o desenvolvimento das pastagens e a produção de alimentos conservados. Já o trigo, além de manter o solo produzindo na entressafra das culturas principais, pode substituir parcial ou totalmente o milho na formulação de dietas balanceadas, com a vantagem de fornecer maior concentração de proteína e ainda aumentar o retorno financeiro”, explica.

A razão que motivou a pesquisa para desenvolver uma planta exclusiva para alimentação animal e diferente dos demais trigos de duplo propósito foi facilitar o consumo por parte dos animais. Através das técnicas de melhoramento genético, foram selecionadas linhagens sem aristas que dificultavam o consumo e até provocavam lesões no trato digestivo por serem resistentes e pontiagudas. Outro problema da arista é o seu alto teor de compostos fenólicos (lignina) que o ruminante não consegue digerir. “Ao se alimentar com as cultivares TBIO Energia I e TBIO Energia II, que compõem os mixes chamados Energix, o trato digestivo do animal não será ferido, como normalmente seria com um trigo comum”, ressalta Tiago.

Em relação às características agronômicas, o analista de nutrição animal, Luiz Michelon, explica que as cultivares possuem ciclo precoce (em torno de 90 a 100 dias para ensilar), podendo liberar a área mais cedo para a próxima cultura (milho, soja, feijão), pois o período de semeadura ideal é idêntico ao zoneamento dos trigos comuns. O pré-secado é produzido entre 65 e 75 dias e a silagem entre 90 a 100 dias pós emergência no período do inverno. Luiz comenta ainda que os materiais possuem um bom pacote fitossanitário e manejo fácil. “As cultivares possuem bons níveis de tolerância às principais doenças, ótima sanidade foliar e boa resistência ao acamamento”, complementa.

 

Alto valor nutritivo

O zootecnista e supervisor de nutrição animal da Biotrigo, Ederson Luiz Henz, explica que os mixes de cultivares de trigo utilizam a planta inteira na produção de silagem e pré-secado, sendo indicados na alimentação de ovinos, gado de corte, confinados, novilhas, vacas em pré e pós-parto e vacas em lactação. “Quando avaliamos o valor nutricional ou qualidade do Energix 201 e Energix 202 para silagem, ambos mantêm a produção e ainda incrementam em proteína e energia, com produção de 25 a 30 T/ha de MV (Massa Verde) de biomassa, engordando os animais em menos tempo.  Também obtivemos índices satisfatórios para um bom funcionamento fisiológico do rúmen, bem como para síntese proteica de tecidos e produtos metabolizados, contribuindo em ótima fonte de energia (silagem) para os ruminantes, oriunda de carboidratos estruturais (celulose, hemicelulose e pectina) e não estruturais (os açúcares e polissacarídeos amiláceos) contidos na cultura”.

 

Recomendações

Conforme o zootecnista, a silagem do Energix pode substituir até 100% do volumoso para gado de corte, confinado, novilhas e vacas em pré-parto. Para vacas leiteiras de alta produção, até 60% do volumoso. O pré-secado é recomendado também para vacas lactantes de alta produtividade e gado de corte.

 

Trigo para pastejo

Outra tecnologia de trigo que pode ser utilizada no sistema integração lavoura-pecuária é uma cultivar de trigo exclusiva para o pastejo também do portfólio da Biotrigo Genética. Ao contrário do trigo para produção de alimento conservado, Lenox tem ciclo longo e não espiga, fornecendo sempre a fração mais nobre da planta que são as folhas para os animais. A semeadura pode ser feita a partir do dia 10 de março, e pela alta capacidade de rebrota, proporciona novos pastejos em poucos dias, com intervalo entre 20 a 25 dias, mantendo teores de proteína em 30% até o último pastejo safra.

 

Expodireto Cotrijal 2020

Os materiais estarão expostos na Expodireto Cotrijal, entre 2 e 6 de março, em Não-Me-Toque/RS. O estande da Biotrigo Genética está localizado na Avenida B – área de produção vegetal do parque de exposições.

 

O mix de cultivares de trigo sem aristas mostra bons resultados na nutrição e produtividade do plantel.

 

 

Fonte: Assessoria da Biotrigo
Continue Lendo

Empresas Avicultura

Ceva lança Cevac Eggmune no Painel Ceva de Sanidade, no Espírito Santo

Indicada para aves poedeiras comerciais e reprodutoras, a nova vacina completa o portfólio para a prevenção da Bronquite Infecciosa e Pneumovirose; evento acontece dia 3 de março

Publicado em

em

Foto: O Presente Rural

A Ceva Saúde Animal reforça seu portfólio e lança no mercado de vacinas aviárias a Cevac Eggmune, uma vacina inativada indicada para poedeiras comerciais e reprodutoras. Ela é recomendada para a prevenção da Bronquite Infecciosa e Pneumovirose, reduzindo os impactos sanitários e econômicos produtivos dessas enfermidades, que têm enorme potencial da causar prejuízos.

A Cevac Eggmune está sendo lançada em eventos regionais e nacionais, dentro do Painel Ceva de Sanidade. De acordo com o gerente de Produto da Ceva, Felipe Pelicioni, a Cevac Eggmune vêm completar o portfólio da Ceva, oferecendo agora a chance de todas as empresas produtoras de ovos comerciais utilizarem uma vacina viva e uma inativada (Cevac iBras + Cevac Eggmune) contra Bronquite Infecciosa, produzidas com um vírus de bronquite isolado no Brasil e prevalente em todas as áreas produtoras do país.

“O uso de vacinas de Bronquite homólogas ao desafio (mesmo vírus presente na vacina e no ambiente) e homólogas entre elas (mesmo vírus na vacina viva e inativada) assegura a máxima proteção e possibilita o máximo de lucratividade das operações avícolas”, afirmou.

A Ceva Eggmune será apresentada no Painel Ceva de Sanidade “A inovação como base da prevenção da Bronquite e Laringotraqueite”, que acontece no próximo dia 3 de março, no Restaurante Majesky, em Santa Maria do Jetibá (ES). O painel vai discutir métodos efetivos para a prevenção dessas doenças, aumentando a lucratividade da produção.

Na abertura, o gerente de serviços Veterinários da Ceva, Fernando Resende, ministra a palestra “Laringotraqueíte Infecciosa: a tecnologia como base para a prevenção e lucratividade”. Na sequência, o gerente de Serviços Veterinários da Ceva Jorge Chacón fala sobre os benefícios do controle efetivo da Bronquite Infecciosa e no encerramento, Felipe Pelicioni apresenta a Cevac Eggmune. Logo em seguida acontece um jantar de confraternização.

As inscrições para o painel podem ser feitas no link https://inevent.com/pt/MarketingCeva/PainelCevadeSanidadeAinovaocomobasedaprevenodaBron/hotsite.php

Fonte: Assessoria da Ceva
Continue Lendo

Empresas

Resulthar 2020 – Convenção de Vendas da Theseo

A 4ª Edição da Convenção de Vendas da Theseo, Resulthar 2020, aconteceu entre os dias 10 e 11 de fevereiro no Hotel Vitoria Convention, em Indaiatuba-SP.

Publicado em

em

O evento reuniu 30 participantes – equipe comercial e técnica da Theseo, vindos de diversas cidades do Brasil. Durante o evento foram realizadas palestras sobre a linha de controle de pragas, com foco no controle estratégico de cascudinho utilizando os produtos Mefisto Shock e Enthomo. Também ocorreram treinamentos para atualizar a equipe nas melhores práticas de limpeza e desinfecção com foco na linha de detergentes e no desinfetante TH4+.

De acordo com Pablo Vilela, diretor da Theseo no Brasil, a empresa se consolidou no ano passado como uma das principais fornecedoras de soluções para biosseguridade no mercado de aves e suínos. A linha de produtos da empresa conta com detergentes, desinfetantes, inseticidas, rodenticidas e tratamento de água de bebida.

A Theseo é uma multinacional Francesa, focada em biosseguridade na produção animal. Com soluções para limpeza e desinfecção de galpões de produção de aves e suínos, além do controle de roedores e insetos.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.