Conectado com

Empresas

Agroceres PIC reforça as vantagens competitivas de sua tecnologia genética no Dia de Campo Copercampos

Organizado pela cooperativa catarinense, evento é um dos principais na difusão de tecnologias para o agronegócio. Agroceres PIC aproveita sua presença no evento para fortalecer seus laços com a Copercampos e seus produtores e para expor suas principa

Publicado em

em

A Agroceres PIC participa entre os dias 21 a 23 de fevereiro, em Campos Novos (SC), do 22º Dia de Campo Copercampos. O foco da empresa é reforçar as inúmeras vantagens competitivas presentes em suas linhagens genéticas, além de apresentar os benefícios do uso de tecnologias inovadoras, como a Genética Líquida, nos resultados econômicos dos sistemas produtivos de suínos. Organizado pela Cooperativa Regional Agropecuária de Campos Novos (Copercampos), o evento é considerado um dos principais do País na difusão de novas tecnologias, troca de informações e conhecimento sobre o agronegócio. Todos os anos, o evento exibi uma série de novidades que aproxima o produtor rural das melhores e mais recentes tecnologias desenvolvidas para a evolução produtiva da agricultura e pecuária.

Durante o Dia de Campo, a equipe técnica da Agroceres PIC estará à disposição dos visitantes em seu estande. O objetivo é apresentar ao público o potencial de melhoria nos índices zootécnicos e nos resultados econômicos das granjas com o uso das tecnologias de ponta disponibilizadas pela empresa. Ênfase para tecnologias exclusivas como os Programas AGPIC Plus, CBV Max® e de Genética Líquida. “O Dia de Campo da Copercampos é um evento de referência e tradicional dentro do calendário do agronegócio brasileiro. Todos os anos, reúne um público altamente qualificado interessado em conhecer tecnologias que proporcionem maior eficiência produtiva, ampliando assim a competitividade de seu negócio. Por isso, nossa participação é estratégica no evento”, afirma Olacir Hessman, consultor Técnico Comercial da Agroceres PIC.

 

Parceria sólida

A Copercampos é parceira da Agroceres PIC na multiplicação de avós, matrizes e machos comerciais há mais de 20 anos. Além disso, a cooperativa catarinense adota 100% genética Agroceres PIC em seu sistema integrado de produção de suínos. A Copercampos possui atualmente três modernas unidades produtoras de leitões, além de uma rede de parceiros no sistema de integração. São mais de 15 mil matrizes no campo e uma produção anual que ultrapassa 450 mil animais.

Terceira maior área de negócios da cooperativa, a suinocultura recebeu fortes investimentos nos últimos anos. A Copercampos prepara-se para inaugurar mais uma moderníssima Granja Núcleo Filial para multiplicação de material genético da Agroceres PIC. Construída dentro dos mais modernos parâmetros ambientais, de segurança sanitária e bem-estar animal, o novo Núcleo Genético, instalado no município de Santa Cecília (SC), vai alojar 1500 avós e bisavós e deve entrar em operação no mês de maio. “Temos uma parceria sólida com a Copercampos construída ao longo dos anos e baseada na confiança mútua”, afirma Hessman. “ Nossa participação no evento é um momento especial no qual podemos interagir diretamente com o cooperado mostrando o quanto realmente estamos ao seu lado na busca por melhores resultados econômicos”, finaliza.

 

Serviço

22º Dia de Campos Copercampos

Data: 21 a 23 de fevereiro

Local: Campo Demonstrativo – BR 282, km 347 – Campos Novos (SC)

Organização: Copercampos

Site: http://www2.copercampos.com.br/diadecampo/2017/index.php

Fonte: Ass. de Imprensa

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

Empresas

Nutrição adequada minimiza efeitos de estresse térmico em aves de corte, recuperando a produtividade

Publicado em

em

Divulgação Auster

As altas temperaturas ambientais são incômodas para as aves de corte, sendo um fator estressante para elas. “A elevação térmica provoca desconforto nesses animais homeotérmicos, gastando sua energia para manter a temperatura interna por volta dos 41°C”, explica a médica veterinária Sibele Lourenço, representante técnica comercial da Auster Nutrição Animal. “Esse incômodo gera reações comportamentais e fisiológicas, pois as aves tentam diminuir a temperatura corporal, podendo até ocasionar desequilíbrios no organismo conforme duração e intensidade do estresse”, explica a especialista.

Entre as reações, destacam-se abertura das asas a fim de aumentar a área de superfície corporal, aumento da procura por locais mais frescos no aviário e maior ingestão de água, além da redução do consumo de ração na tentativa de minimizar o calor corporal produzido pelos processos de digestão, absorção e metabolismo dos nutrientes. “Isso provoca deslocamento do uso da energia que seria destinada à produção para promover perda de calor, desviando os nutrientes para mantença, com consequente redução no ganho de peso e desempenho, queda na imunidade e aumento da taxa de evaporação pelo trato respiratório na tentativa de resfriamento”.

No estresse térmico agudo, podem surgir alterações na morfologia intestinal das aves de corte, visto que as altas temperaturas reduzem a proliferação dos enterócitos, causam redução na profundidade das criptas sem alteração na altura das vilosidades e reduzem a relação vilo:cripta. Já o estresse crônico reduz a altura das vilosidades e o peso do jejuno. Tais alterações afetam a capacidade da ave de digerir e absorver nutrientes para sua manutenção e produção.

A representante técnica da Auster explica que para as aves atingirem o máximo desempenho, utilizando a mínima quantidade de energia para manutenção da temperatura corporal, é necessário que a temperatura ambiente esteja na faixa de conforto térmico – que pode variar conforme a idade e com umidade entre 50% e 70%.

Sibele Lourenço afirma que o estresse térmico pode causar consistentes prejuízos, elevando os custos da produção a partir da necessidade de equipamentos e instalações, além de proporcionar maior ocorrência de doenças devido à queda da imunidade, frequência respiratória elevada e, como consequência, afetando o bem-estar dos animais. “Nos Estados Unidos, as perdas econômicas devido ao estresse térmico variam de US$ 128 a US$ 165 milhões anualmente. É uma referência importante para entender os prejuízos que causa também à avicultura brasileira”, informa.

Para minimizar os efeitos negativos do estresse térmico, a representante técnica da Auster orienta cuidados com o ambiente da granja e as instalações, com adoção de tecnologias e equipamentos que auxiliem no melhor condicionamento térmico ambiental, como ventiladores, exaustores, nebulizadores e placas evaporativas, o que possibilita bom desempenho produtivo das aves. “A instalação precisa ter orientação correta, evitando a incidência da luz solar para evitar o superaquecimento. Porém, a adequação do ambiente não é a única medida recomendada. Os cuidados incluem o bom manejo nutricional, com atenção à formulação das rações para frangos de corte em diferentes instalações, regiões e estações do ano”, explica Sibele Lourenço.

Para melhorar as condições ambientais e diminuir os efeitos do estresse térmico, a Auster Nutrição Animal oferece aditivos que ajudam a revigorar características intestinais, auxiliando no aproveitamento dos nutrientes e amenizando perdas principalmente energéticas, como Econase XT, com atuação na degradação das ligações entre as cadeias de fibras, melhorando a digestão proteica  e a eficiência no crescimento; Novyrate C (butirato de sódio), que contribui para o controle de carga microbiana no trato digestivo, inibe o crescimento de bactérias patogênicas e reduz o pH gástrico; e o suplemento energético em pó Prius Booster Avis, derivado do óleo de soja refinado com 99% de gordura e com complemento de enzimas, que oferece efeitos benéficos, visto que a adição de óleos e gorduras nas rações de animais submetidos ao estresse por calor está associada a modificações na fisiologia gastrointestinal e ao menor incremento calórico.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas

BRF lança campanha sobre sustentabilidade e reforça compromissos com o meio ambiente

Ação estreia na data em que se celebra o Dia Internacional de Conscientização sobre a Perda e o Desperdício de Alimento

Publicado em

em

Divulgação

A BRF lançou na terça-feira (29) uma campanha que reforça as atitudes sustentáveis que fazem parte da essência da Companhia, uma das maiores empresas de alimentos do mundo. Em português e inglês, o filme – em versões de 75”, 30” e 15” segundos e realizado pela agência Ana Couto – reflete os compromissos da BRF em uma agenda que permeia diversas fases de sua cadeia de produção. A campanha será veiculada em rede nacional, em programação de TV paga e nas redes sociais da empresa.

No filme são destacadas as ações da BRF como investimentos para redução de impactos ambientais, preservação de florestas e recursos naturais, como água e energia, presença no Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3, sendo a única empresa de alimentos a configurar neste indicador, cuidados com bem-estar animal, além de certificações e parcerias renomadas no mercado.

“Estamos acompanhando de perto a agenda ambiental em todo o mundo. Sabemos da nossa missão neste contexto, e o filme é fruto deste entendimento. Além disso, possuímos um Índice de Sustentabilidade Ambiental pelo qual monitoramos a melhoria contínua dos nossos processos e fazemos a gestão das inúmeras iniciativas de sustentabilidade e meio ambiente da nossa empresa”, destaca Neil Peixoto, vice-presidente de Sustentabilidade, Qualidade, Pesquisa e Desenvolvimento da BRF.

Combate ao desperdício de alimentos

A campanha da BRF estreia no dia em que se celebra, pela primeira vez, o Dia Internacional de Conscientização sobre a Perda e o Desperdício de Alimentos. A data, instaurada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), visa enfatizar a importância de reduzir a perda de alimentos e os benefícios sociais e econômicos que esta prática traz para o planeta.

De acordo com a entidade, 14% de toda a comida produzida no mundo estraga antes mesmo de chegar aos supermercados. Além disso, há alimentos que são rejeitados por não atenderem a padrões de qualidade, já que não possuem a aparência desejada para a venda.

Evitar que isso aconteça é um grande desafio, pois o alimento percorre um longo caminho até chegar à mesa dos consumidores. Nesse contexto, a BRF, oferece, por meio da plataforma digital Ecco, um serviço com o propósito de disseminar informações para ajudar as pessoas a diminuírem o desperdício em suas casas. O site também traz dicas para restaurantes e mercados. Dentro do site interativo, o consumidor é apresentado ao Ecco – Especialista de Consumo Consciente da BRF – que  ensina de forma rápida e simples como minimizar o desperdício com o ajuste de pequenos hábitos do dia a dia, que vão desde a compra dos ingredientes, o preparo das refeições, até seu armazenamento e descarte das sobras.

Disponível em diferentes formatos como texto, fotos, quiz, mosaico e espaço para preenchimento, o visitante do site poderá escolher a jornada de aprendizado que quer percorrer e se aprofundar no tema. O conteúdo combina a longa experiência da BRF na garantia da segurança e qualidade dos alimentos com as recomendações da FAO, Anvisa e outros órgãos competentes para ensinar a todos como ajudar o meio ambiente e a população ao evitar a perda de alimentos em suas casas e estabelecimentos comerciais.

“O Projeto Ecco tem um forte papel educacional, além de ser uma plataforma atrativa, democrática e acessível a serviço da sociedade como um todo. Os conteúdos foram desenvolvidos para mostrar de forma descomplicada o consumo consciente dos alimentos, enfatizando todo o processo, desde o momento da compra e armazenamento, até o aproveitamento total dos alimentos”, declara Stephanie Blum, gerente de Inovação da BRF.

Para conhecer a plataforma Ecco, basta acessar o link consumoconsciente.brf.com e realizar um cadastro simples para acompanhamento do progresso de seu aprendizado.

Outras ações

Além da plataforma Ecco, a BRF também promove outras iniciativas para encontrar soluções para minimizar o desperdício e aprimorar a segurança dos alimentos. Em parceria com a EMERGE, organização que impulsiona a inovação de base científica no Brasil, a Companhia selecionou diversos projetos de pesquisadores brasileiros que participaram do desafio EMERGE Labs BRF. Entre as ações, destaca-se, por exemplo, a utilização de embalagens inteligentes que garantem maior validade aos produtos. O intuito da BRF é acelerar o desenvolvimento de tecnologias para prover novas soluções.

Outro projeto da Companhia no combate ao desperdício de alimentos é o envolvimento do Instituto BRF na área de desenvolvimento social, que desde 2012 já impactou mais de 400 mil pessoas, com doações de alimentos para instituições parceiras. Por meio dessas ações, o instituto disponibiliza alimentos a pessoas vulneráveis e gera resultados positivos em toda a cadeia.

Além disso, a BRF já conseguiu reduzir em aproximadamente 70% as perdas de diversas naturezas, como o desperdício de alimentos, entre os anos de 2018 e 2020 por meio do seu programa Sistema de Excelência Operacional (SEO), que estreita o vínculo entre as unidades do agronegócio e da indústria, com foco total na disciplina operacional produtiva.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas

Marfrig assume compromisso público com bem-estar animal

Empresa assumiu o compromisso de melhorar o bem-estar animal em suas atividades até o final de 2028

Publicado em

em

Divulgação

A Marfrig, maior fabricante global de hambúrgueres e segunda maior produtora de carnes do mundo, assumiu nesta terça-feira (29) o compromisso de melhorar o bem-estar animal em suas atividades até o final de 2028. Após recomendações e apoio técnico da Proteção Animal Mundial, organização mundialmente conhecida pela causa do bem-estar animal, a Marfrig adotará práticas de manejo que buscam melhorar a qualidade de vida do animal, um dos eixos da estratégia de sustentabilidade da companhia.

O compromisso se apoia em metas claras, com acompanhamento de indicadores específicos e controle de resultados. Além de implantar as práticas, a Marfrig envolverá toda a sua cadeia de fornecedores no projeto, com o objetivo de alcançar máxima transparência às informações relacionadas à criação dos animais.

Além da cadeia de produção de carne bovina, foco da companhia, a nova política de bem-estar animal inclui também a garantia de boas práticas de manejo animal nas cadeias de produtos industrializados que levem carne suína e ovos em suas composições. Os compromissos contemplam todas as operações da Marfrig e subsidiárias ao redor do mundo, sendo eles:

  • Utilizar ovos de galinhas em sistemas livres de gaiola na elaboração de seus produtos de marca própria até dezembro de 2025;
  • Comercializar produtos de outras marcas que contenham ovos em sua composição desde que sejam provenientes de galinhas livres de gaiola até 2028;
  • Utilizar na elaboração de seus produtos de marca própria carne suína de sistemas de criação com matrizes em gestação coletiva (permitindo, no máximo, 28 dias em sistemas de gestação individual) até 2026;
  • Utilizar na elaboração de seus produtos de marca própria carne suína de sistemas de criação de animais não submetidos à Mossa (prática que institui a mutilação de orelhas) até 2026;
  • Utilizar na elaboração de seus produtos de marca própria carne suína de sistemas de criação de animais imunocastrados (prática que substitui a castração cirúrgica) até 2026;
  • Utilizar na elaboração de seus produtos de marca própria carne suína de sistemas de criação não procedentes do corte dos dentes dos animais. Em casos extremos, essa prática será admitida (quando houver comprovação de comportamentos agressivos entre os animais) até 2026;
  • Utilizar na elaboração de seus produtos de marca própria carne suína de sistemas de criação com enriquecimento ambiental (materiais manipuláveis) até 2028;
  • Realizar auditoria de terceira parte das informações públicas de bem-estar animal da companhia até 2024;

De forma voluntária, a Marfrig se compromete ainda a ter 100% de suas atividades de abate de acordo com os padrões do North American Meat Institute (NAMI) e auditadas por terceiros até dezembro de 2023. Até o final de 2028, todos os frigoríficos fornecedores de carne para a companhia também deverão adotar o mesmo padrão.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Dia Estadual do Porco – ACSURS

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.