Conectado com

Empresas

Adisseo reúne setor lácteo para debater nutrição e reprodução em vacas leiteiras

Entre especialistas nacionais e internacionais na área de nutrição, o evento SmartDays trouxe para o Brasil o Prof. Dr. Milo Wiltbank (University of Wisconsin), referência mundial no setor. Durante o encontro, foram apresentadas evidências científic

Publicado em

em

Com o propósito de divulgar conhecimentos sobre nutrição e reprodução em vacas leiteiras, a Adisseo superou o desafio e conseguiu reunir num mesmo local, durante o evento SmartDays, em torno de 60 participantes entre produtores, nutricionistas, pesquisadores e formadores de opinião do setor lácteo de diferentes partes do Brasil.  Estima-se que estavam reunidos no evento os responsáveis por 50.000 vacas no país. “Realizamos isso com um único propósito: discutir tecnologias para melhorar a eficiência nas fazendas, reunindo dados de pesquisa com a aplicação prática”, explica a Dra. Fernanda Lopes, gerente de negócios ruminantes para a América do Sul da Adisseo. Realizado neste início de ano em Itu (SP), o evento foi antecedido por uma rodada de visitas técnicas em diversas fazendas produtoras de leite. Além da Dra. Fernanda, tomou parte nessa atividade Mike Shearing, gerente regional da Adisseo para o mercado de leite nos Estados Unidos, e um dos palestrantes do SmartDays. “Durante essa viagem pelo nosso país ele pode conhecer, em primeiro lugar, o mercado e o manejo no campo, para depois, com esse embasamento prático, trocar experiência e contribuir com os participantes do evento para aperfeiçoar as dietas nas fazendas".

Além dessa novidade, a programação também contou com a participação do Prof. Dr. Milo Wiltbank (Departamento Dairy Science da University of Wisconsin). Referência mundial na área de reprodução em vacas leiteiras, Dr. Milo conduziu um workshop com os participantes do SmartDays e apresentou experimentos que associam nutrição à reprodução. “Em um desses estudos, bem interessante para o público, pudemos observar como a suplementação com metionina protegida (Smartamine® M da Adisseo) para vacas em lactação em um rebanho comercial melhorou os índices reprodutivos comparado com o grupo controle, reduzindo significativamente a perda de prenhez.”

Especialista em economia agrícola e ex-produtor de leite nos Estados Unidos, Mike Shearing compartilhou, por sua vez, a experiência prática de mais de 20 anos em trabalhos de balanceamento de dietas de vacas leiteiras com aminoácidos no primeiro dia do evento. “O mais impressionante durante minha viagem foi a abordagem e a atitude dos fazendeiros”, descreve Mike. “Os produtores do setor de lácteos que pude conhecer querem fazer o melhor e estão tomando medidas e trabalhando para alcançar isso. Visitei várias fazendas, por exemplo, em que Smartamine® vem sendo usado com sucesso, onde a nutrição vem sendo melhorada a tal ponto que o produtor de leite consegue observar uma diferença notável tanto em saúde quanto na produção das vacas dele. Há desafios? Logicamente que sim. Mas o progresso está sendo feito tanto no balanceamento das dietas quanto em qualidade dos insumos, melhora no processamento dos grãos e silagem. Isso é encorajador!.” 

Nesse quadro, o SmartDays privilegiou a troca de informações entre os participantes em torno da formulação das dietas. Leonardo Marçal, diretor da divisão leite da empresa Campo Rações, apresenta sua impressão sobre isso: “A tecnologia dos aminoácidos e formulação de dietas com base neles é realmente uma estratégia a ser adotada por produtores de alto nível tecnológico e de desempenho produtivo. Vejo como um ótimo rumo o que está sendo desenhado aqui no SmartDays. Há justificativas práticas para se formular as dietas com base em proteína ideal, por vários motivos: para ampliar a presença de sólidos no leite, para melhorar o desempenho reprodutivo das vacas, para melhoria na saúde animal. Há ainda uma coisa que a Adisseo fala pouco, mas é relevante levar em consideração na hora de se fazer essa conta: vai aumentar a produção de leite. Tenho observado que nas fazendas que usam metionina, sobe leite.”

O SmartDays também abriu espaço para o debate entre produtores e nutricionistas que já adotam o balanceando da dieta com aminoácido. Nessa parte do evento, a impressão geral sobre o resultado do uso de Smartamine® nas fazendas reforçou ainda como essa tecnologia traz benefícios para saúde das vacas durante o período de transição, melhora dos parâmetros reprodutivos, redução de custos, produção de leite e sólidos do leite. Isso ficou patente na participação no evento dos representantes das fazendas Frankanna (700 vacas em lactação; 26 mil litros/dia) e Fundamento (460 vacas em lactação; 18 mil litros/dia), ambos do Paraná, respectivamente estabelecidos nos municípios de Carambeí e Castro. Da mesma forma, Alessandro Chiogna, proprietário da Fazenda Santa Carla (350 vacas em lactação; 11,5 mil litros/dia), localizada em Quirinópolis (GO), apresentou a experiência dele com o uso de Smartamine®:

Nós começamos a usar há mais de um ano, em continuidade a um experimento realizado na fazenda, e hoje entramos com essa tecnologia na totalidade dos lotes. São basicamente três parâmetros que nós observamos: sólidos em leite, que é um dado interessante, mas aqui no Brasil a gente sabe que ainda não é um parâmetro financeiro devidamente priorizado; o incremento no volume de leite que o produto nos possibilitou; e um terceiro benefício, que na minha opinião é o mais válido, representado pela questão reprodutiva. Nesse caso tivemos uma melhora significativa, que até pode estar atrelada a outros fatores, porém foi o Smartamine® que veio para ajudar bastante nesse ponto aí. Em 2015, tínhamos uma taxa baixa, cerca de 15% de prenhez. Em 2016, tivemos uma pequena melhora, alcançando cerca de 20%. Já em 2017, a melhora foi absurda: os números não estão totalmente fechados, mas com certeza a gente vai fechar acima de 30% de taxa de prenhez, que é realmente um número surpreendente até para nós.

Esses dados são corroborados por dois experimentos científicos conduzidos durante um ano com vacas em período de transição em fazendas no Paraná pela equipe do Prof. Dr. Rodrigo de Almeida (Departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Paraná, onde também atua como orientador do programa de pós-graduação). O segundo desses experimentos, com dados ainda parciais, foi conduzido tanto no período “pré” quanto no pós-parto. “Até o momento, janeiro de 2018, nós já analisamos sólidos no leite e a produção leiteira, e as respostas têm se revelado muito parecidas com a do primeiro experimento, já concluído. Ou seja: aumento em gordura, aumento em proteína e, por consequência, um aumento na quantidade de energia secretada no leite. Tendo em vista esses dados, nosso pensamento é no sentido de que a metionina pode ter um papel funcional, conforme discutido no SmartDays. Nós acreditamos na ocorrência disso”.

Os dados consolidados desses dois trabalhos deverão ser apresentados em breve nos principais congressos da área. Em linhas gerais, os estudos conduzidos pela equipe do Prof. Dr. Rodrigo Almeida vêm reforçando o papel da metionina na diminuição da resposta inflamatória, melhora da resposta antioxidante do organismo e amenização do estresse do balanço energético negativo dos animais. Tais informações corroboram com os dados apresentados no SmartDays durante a palestra do Dr. Daniel Luchini, gerente global de pesquisa em produtos para ruminantes da Adisseo. Segundo Luchini, os benefícios da suplementação com metionina são como um iceberg, no qual os efeitos positivos na produção de leite e no conteúdo de proteína são os que aparecem mais facilmente. Outros benefícios na fisiologia do organismo e na saúde das vacas vêm sendo demonstrados por institutos de pesquisa e experimentos em produções comerciais. 

Ao concentrar num único evento a apresentação de todas essas novidades, em termos de dados práticos e científicos sobre a nutrição e a reprodução em vacas leiteiras, o SmartDays atendeu as expectativas dos participantes. “Foi uma experiência riquíssima, que deveria acontecer muito mais vezes”, avalia a Profa. Dra. Marina Danes (Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras/MG). Danes é pesquisadora em nutrição de ruminantes, com foco em vacas leiteiras e, mais especificamente ainda, nutrição proteica, trabalhando com aminoácidos de síntese de proteína na glândula mamária. Segundo ela, “nós deveríamos criar mais oportunidade para trocar esse tipo de experiência entre nutricionistas que atuam em fazendas de altíssimo desempenho, como foi o caso dos que estavam aqui, com as pessoas que estão na academia gerando esse conhecimento para eles poderem usar no campo. E de maneira análoga, eles trazerem demandas também para a gente sobre o que pesquisar no futuro.”

A Adisseo, organizadora do SmartDays, é líder no mercado mundial de metionina protegida. Há mais de 20 anos lançou sua linha para ruminantes, disponibilizada ao produtor de leite por meio de duas fontes de metionina protegidas: Smartamine® M e MetaSmart®, ambas igualmente eficientes. Smartamine® M é uma DL-metionina revestida com um polímero sensível a pH específico, conferindo proteção durante a passagem através do rúmen, assegurando sua liberação no abomaso e absorção no intestino delgado — ou seja, passa pelo rúmen sem ser degradado. Por sua vez, MetaSmart® é um produto análogo de metionina (molécula HMBI de metionina desenvolvida para ruminantes), que tem excelente biodisponibilidade e mantém sua estabilidade e eficácia em todos os tipos de aplicações e formas de alimentos, com a vantagem que pode ser peletizado.

Fonte: Ass. Imprensa

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − quinze =

Empresas

BRANDT do Brasil fortalece estrutura para expansão das atividades no Brasil

Publicado em

em

Divulgação

2020 tem sido um ano vibrante para a BRANDT do Brasil, empresa especialista em nutrição vegetal, inclusive com desempenho acima das expectativas, mas 2021 promete ainda mais, com aceleração da expansão das atividades no país. Para dar suporte a esse crescimento e foco ainda maior no atendimento aos clientes, a empresa fortalece áreas-chave e amplia a equipe.

O Diretor de Inovação e Tecnologia, Antonio Coutinho, assume a diretoria da implementação da nova unidade fabril da BRANDT, na região metropolitana de Londrina (PR), além da responsabilidade pelo mercado de citros no Brasil e suporte aos países da América do Sul que também atuam na produção de frutas cítricas.

Samuel Guerreiro, que desempenhava a função de Diretor Técnico, passa a responder pela recém-criada Diretoria de Marketing e Inovação, coordenando as ações de marketing e comunicação para apoiar a expansão dos negócios.

E dando as boas vindas ao mais novo integrante da equipe, Jeferson Oles assume a posição da Diretoria Técnica da empresa, assumindo a responsabilidade de apoio às equipes e suporte ao crescimento da empresa.

Antonio Coutinho é engenheiro agrônomo, formado pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), com mestrado em biotecnologia pela UNESP – Araraquara. Ele está na BRANDT desde 2016. Além de liderar a gestão da nova fábrica, em Cambé (PR), região metropolitana de Londrina (PR), ele faz a conexão entre Brasil e a matriz, nos Estados Unidos. “A BRANDT está em crescimento e nosso objetivo principal é ajudar os agricultores a elevar os seus níveis de produtividade, oferecendo linhas robustas de tecnologias modernas e inovadoras. Além disso, a nova fábrica nos possibilita expandir não apenas o portfólio mas a capacidade de produção”, ressalta Coutinho.

O engenheiro agrônomo Samuel Guerreiro é formado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e está na BRANDT desde 2018. Com mais de uma década de experiências em agricultura, já atuou como gerente geral na área de nutrição vegetal nos Estados Unidos. “ O maior desafio na nova área de marketing envolve fortalecer a parte de inteligência de mercado juntamente com estratégias bem definidas de acesso, visando levar as soluções ao maior número de produtores de forma assertiva dentro dos manejos, respeitando as particularidades focando altas produtividades. Fazendo da alta produtividade um hábito para os produtores brasileiros através das tecnologias exclusivas da BRANDT, as quais já fazem parte do manejo dos campeões mundiais de produtividade”, destaca Guerreiro.

Jeferson Oles é engenheiro agrônomo formado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), com mestrado em agricultura, pela UNESP – Botucatu. Com mais de uma década de atuação no mercado agrícola, é especialista em bioestimulantes, produtos biológicos, herbicidas e nematicidas. “Queremos ocupar espaço no crescente segmento de produtos para fisiologia e nutrição. A BRANDT tem profundo conhecimento de fisiologia vegetal e assume o desafio de romper barreiras para colocar nossas tecnologias no campo, à disposição dos agricultores. O departamento técnico tem papel fundamental nesse processo, pois por meio da disseminação do conhecimento de fisiologia vegetal, nutrição e desenvolvimento de plantas contribui para o melhor posicionamento e desenvolvimento de produtos”, enfatiza Oles.

A coordenadora de RH da BRANDT do Brasil, Edilaine dos Reis, explica que esse processo de ampliação de áreas e contratação de profissionais qualificadas e experientes contribuem para a estratégia de crescimento da empresa. “A cada ano, a BRANDT é uma empresa diferente. Em 2020, apesar da pandemia da Covid-19, não freamos o crescimento e fizemos várias contratações para a fábrica, administração, laboratório e produção, entre outros. Esse avanço consolida e fortalece ainda mais a equipe. Esse processo é contínuo porque nossos objetivos são arrojados. Queremos atrair ainda mais profissionais experientes para nos ajudar a crescer”, diz Edilaine.

Fonte: Ass. de Imprensa
Continue Lendo

Empresas Bovinos

Dedicação aos animais

Veterinário conta como transformou seu sonho de infância em profissão e reforça a importância dos cuidados no processo de secagem

Publicado em

em

Fotos: Divulgação

Simpático, comunicativo e extremamente dedicado, assim é o veterinário João Bosco Junior. O profissional, que atua há 10 anos no Vale da Paraíba, região que é uma das maiores produtoras de leite do país, se apaixonou pela profissão ainda menino.

Foi acompanhando as atividades dos pais, no sítio onde a família trabalhava, em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo, que se afeiçoou aos animais e teve a certeza que cuidaria deles para o resto da vida. “Desde criança, quando alguém me perguntava sobre profissão eu sempre dizia: ‘vou ser veterinário’. É um sonho de menino que se tornou realidade”, afirma.

Além da afinidade com os animais, o desejo por conhecimento também foi um forte propulsor de sua escolha profissional. “Acompanhava os veterinários que tratavam o rebanho no sítio e sempre perguntava sobre os processos que estavam sendo realizados. Uma coisa que me intrigava era quando um animal acabava vindo a óbito e não existia uma explicação, era sempre a mesma resposta: foi raio, foi cobra. Não havia uma averiguação, não era feita necropsia, mas eu queria compreender o que acontecia para saber como evitar aquele tipo de situação”, detalha o profissional.

João logo concluiu que seus questionamentos de menino só poderiam ser respondidos através do estudo. Assim, saiu do interior e partiu para cidade grande em busca de conhecimento.

Ingressou no Centro Universitário de Valência (UNIFAA) no Rio de Janeiro, mas a distância da família, a saudade de casa e o choque com a cidade grande quase o fizeram desistir. “Foi um período muito difícil, me lembro de estar assistindo as aulas, olhar para o telão e ver o sítio onde morava, pensava em ir embora, mas sabia que não poderia desistir para conquistar meu sonho”, conta.

Com o incentivo da mãe, conseguiu se adaptar a mudança para a nova cidade e  seguiu firme em seu propósito, concluindo seus estudos na Universidade de Vassouras. Ao voltar para sua cidade natal conseguiu emprego em uma grande fazenda leiteira com rebanho de mais de 300 animais. O primeiro desafio foi um impulsor da carreira de João.

“Foi uma conquista. Em nenhum momento tive medo do desafio, pois sempre me dediquei e estudei muito. Além disso, o senhor Francisco, conhecido na região como  ‘Chico da Dona Alzira’, que foi quem me contratou, sempre teve muita confiança no meu trabalho. Esse incentivo, somado a minha garra, trouxeram resultados positivos para essa propriedade e me fez ganhar experiência no campo rapidamente”, declara.

De lá para cá, João já atuou em fazendas de todos os portes. Hoje, atende  propriedades leiteiras com bovinos das raças jersey, girolando e holandês.Quando questionado com qual tipo de animal prefere trabalhar é incisivo. “Eu sou apaixonado pelas três raças. Sempre brinco que a minha preferida é a vaca boa, aquela que é equilibrada, que recebe os cuidados adequados e assim consegue proporcionar o desempenho que a fazenda espera”, diz.

O profissional credita seu sucesso ao fato de ter compreendido rapidamente a importância do conhecimento técnico e, principalmente, dos diferenciais do atendimento especializado.

“Acredito que atuar de forma segmentada é fundamental, pois dessa maneira é possível se manter sempre atualizado e acompanhar detalhadamente todo o processo que envolve aquele animal, desde o atendimento, tratamento, até a cura. Para mim o veterinário tem que ser igual um médico e ter uma área de atuação definida”, explica.

Com essa premissa em mente, o profissional se especializou e se tornou uma referência na região. Sua atuação é voltada para as áreas de medicina preventiva, sanidade e qualidade do leite. “Muitos colegas de profissão me procuram para fazer consultoria nesses setores. Isso é motivo de orgulho e mostra que estou no caminho certo”, afirma João.

Foi em sua busca constante por soluções que auxiliem o dia a dia no campo que conheceu e passou a utilizar o Velactis, primeiro e único facilitador de secagem existente no mercado.

O profissional aponta que o produto torna o processo de secagem mais eficiente, diminuindo o estresse dos animais e evitando o inchaço do úbere. “Com o Velactis posso manter as vacas no mesmo lote, isso evita uma série de problemas que aumentam os níveis de estresse e baixam a imunidade dos animais, o que pode estimular o surgimento de doenças, como por exemplo a mastite. O produto faz com que o processo de secagem seja feito com mais segurança e permite que a vaca mantenha seu nível produtivo. Em alguns casos, consigo realizar a secagem com 45 dias, o que significa mais eficiência e produtividade”, conta.

Outros benefícios apontados pelo profissional estão associados a manutenção do bem-estar animal. “É possível notar uma melhor ambiência, as vacas ficam mais tranquilas e não sofrem com o desconforto do enchimento do úbere. Além disso, no pós-parto também noto que os bezerros nascem mais saudáveis”, diz.

Com vasta experiência no campo, João acredita que os investimentos em soluções que tragam inovação e gerem mais eficiência são imprescindíveis para qualquer tamanho de propriedade. “As fazendas de sucesso são aquelas que planejam suas atividades e apostam sempre no conhecimento técnico”, reforça.

Quase 10 anos após seu primeiro desafio no campo, João segue na lida diária reafirmando seu amor pelos animais, pela profissão, e grato pela trajetória que proporcionou alegrias para família e até mesmo inspirou o irmão mais novo, Fabricio, a seguir o mesmo rumo. “Só tenho a agradecer por essa trajetória, de um menino humilde que se dedicou muito e conseguiu se transformar em uma referência na profissão” finaliza.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Empresas Avicultura

Zoetis reforça time técnico de Aves nas regiões Norte e Nordeste

Publicado em

em

O médico-veterinário Antônio José de Lima Neto é o novo assistente técnico da equipe - Foto: Divulgação

Sob o comando do Gerente de Serviços Técnicos Eduardo Muniz, a equipe de Aves da Zoetis, empresa líder em saúde animal, reforça a qualidade de seu time e anuncia a contratação do médico-veterinário Antônio José de Lima Neto, formado pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), com experiência prática em avicultura.

Neto desempenhará um papel estratégico na abordagem e na busca de soluções em sanidade avícola junto aos clientes. Ele ficará responsável pelos serviços técnicos de aves das regiões Nordeste e Norte do Brasil, onde atua também o Consultor de Vendas Alex Cabrita.

Muniz ressalta a alta qualificação da equipe: “Acreditamos que podemos oferecer aos nossos clientes e parceiros a orientação correta para que obtenham o máximo do potencial de sua produção, mantendo altos padrões de qualidade, conforme é cada vez mais exigido por mercados internacionais. Para isso, investimos na formação e na qualificação de um time técnico robusto, o que nos possibilita ter um Assistente Técnico atuando junto aos produtores em cada polo de produção e ainda contar com um amplo portfólio de produtos e soluções”.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.