Conectado com

Notícias

11ª edição da Interconf destaca cenário econômico mundial e os impactos na pecuária brasileira

Programação do evento foca a conjuntura do mercado nacional e internacional, destacando as expectativas para 2019 e como o setor deve se preparar

Publicado em

em

Como o cenário econômico mundial pode impactar a pecuária brasileira é um dos eixos temáticos da 11ª edição da Interconf – Conferência Internacional de Pecuaristas, promovida pela Assocon – Associação Nacional da Pecuária Intensiva, que será realizada nos dias 11 e 12 de setembro, em Goiânia, GO.

O evento, que reuniu 1.100 participantes em 2017, tem nova sede neste ano. A 11ª Interconf será realizada no Centro Convenções Goiânia (CCGO), espaço localizado na região central da capital goiana, que conta com auditório e amplo espaço para exposição, considerado um dos mais modernos centros de convenções do País.

Durante os dois dias do evento pecuaristas, pesquisadores e representantes das maiores empresas do agronegócio nacional se reúnem para debater e apresentar soluções e tendências que auxiliem no desenvolvimento da atividade no país.

“Nosso encontro tem como principal objetivo auxiliar os pecuaristas a desenvolverem um planejamento estratégico para a sua criação, visando não só o aumento da produtividade, mas, principalmente, a lucratividade de suas propriedades. Além disso, a Interconf visa estabelecer uma ligação entre o produtor e a sociedade, de forma que seja possível promover uma integração e identificação entre produção e consumidor final”, afirma o presidente da Assocon, Alberto Pessina.

Com esse foco, a edição de 2018 será iniciada com uma palestra que pretende despertar nos participantes a relação entre a pecuária e a sociedade, questionando e apresentando aos participantes qual deveria ser a mensagem do setor para os seus consumidores.

Ainda na manhã do primeiro dia, o painel macroeconomia e política apresentará um panorama da economia nacional, enfatizando as expectativas no cenário macroeconômico brasileiro para os próximos anos, com uma análise sobre a condução da política econômica, considerando o cenário para as eleições deste ano e os impactos das políticas econômicas no agronegócio brasileiro.

O primeiro dia contará ainda com um painel mercado agropecuário, com palestras que abordarão a conjuntura mundial das commodities agrícolas, o cenário da carne bovina no Brasil e no mundo, além de promover o debate sobre o setor, focado no ciclo pecuário, matrizes, reposição e custos de produção.

“Desenvolvemos uma programação voltada ao pecuarista, mas com foco em mostrar a ele qual o real momento da nossa economia e como as decisões e ações políticas podem impactar o nosso setor. É importante que o produtor tenha conhecimento desses fatores para entender como será afetado e qual a melhor decisão a ser tomada no seu negócio”, ressalta a diretora do Terraviva Eventos, Carla Tuccilio, que promove e organiza a Interconf em conjunto com a Assocon.

Painel tecnologia e inovação

No segundo dia (12), a programação terá início com um painel sobre tecnologia e inovação, que contará com a apresentação de um estudo de caso internacional a respeito do desenvolvimento de um projeto de intensificação, os desafios operacionais, a gestão do sistema intensivo e a comercialização dos produtos.

O painel contará também com uma palestra sobre a tecnologia de monitoramento animal na pecuária de corte, com explicações sobre as aplicações práticas e perspectivas futuras, além da apresentação de um estudo de caso sobre produção pecuária produtiva alinhada com os conceitos de sustentabilidade, visando o desenvolvimento de uma pecuária de ciclo completo, produtiva e sustentável.

A seleção genética para a maior eficiência no cruzamento industrial e obtenção de bons resultados na cria será tema de uma das palestras do painel, que apresentará um estudo de caso sobre os pontos críticos na produção de bezerros, rentabilidade e produção de bons produtos para terminação precoce. Em seguida, será apresentado um case sobre a produção intensiva em sistemas de pequeno e médio porte.

Para fechar o evento, um estudo de caso sobre verticalização da produção na pecuária de corte e o que ocorre quando o produtor se comunica diretamente com o consumidor final, com a produção de animais e comercialização de carne nas mãos do produtor.

“Buscamos desenvolver para esta edição uma programação completa, levando aos participantes informações de relevância e, principalmente, promovendo a troca de experiências entre todos os setores da pecuária nacional. Temos boas expectativas para 2019, por isso nos focamos em conectar os pecuaristas a uma nova demanda do mercado, por meio de cases internacionais e as novas tecnologias que estão chegando no setor”, finaliza Pessina.

A Interconf faz parte do “Integrar para Crescer”, plataforma de comunicação que envolve eventos e ações com o intuito de disseminar informação de qualidade, reverberando os temas e discussões relevantes. A InterCorte, Beef Week, Caminho do Boi, Dia do Produtor e manifesto #SomosdaCarne também fazem parte da plataforma “Integrar para Crescer”, gerida pelo Terraviva Eventos.

Fonte: Assessoria

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =

Notícias Investimento

C.Vale investirá R$ 500 milhões em indústria de farelo e óleo de soja

Nova planta industrial terá capacidade para processar 2.500 toneladas de soja por dia, com possibilidade de ampliação para até 3 mil toneladas/dia

Publicado em

em

Divulgação

A C.Vale vai construir uma indústria para esmagamento de soja em Palotina, PR. O presidente da cooperativa, Alfredo Lang, e o governador do Paraná, Ratinho Júnior, assinaram nesta quarta-feira (23), em Curitiba, protocolo prevendo tratamento fiscal diferenciado que resultará no novo empreendimento. A nova planta industrial terá capacidade para processar 2.500 toneladas de soja por dia, com possibilidade de ampliação para até 3 mil toneladas/dia. Quando alcançar a capacidade plena de operação, o consumo de soja será de 50 mil sacas/dia.

 Lang revelou que a nova estrutura exigirá investimentos de R$ 552 milhões em oito anos. Ele explicou que, numa primeira etapa, a indústria produzirá farelo de soja para a produção de rações. A cooperativa mantém sistemas de integração que produzem, atualmente, 620 mil frangos/dia e 100 mil tilápias/dia, e ainda fabrica rações para bovinos e suínos. Conforme Lang, as obras da esmagadora de soja devem iniciar já em 2021 e serem concluídas em 2023. “É um sonho antigo dos nossos associados que estamos realizando. Começaremos com a fabricação de farelo e óleo, e depois vamos ampliar o leque com outros produtos”, revelou.

O novo empreendimento resultará na criação de 70 empregos diretos, numa primeira etapa.

Fonte: Assessoria
Continue Lendo

Notícias Sanidade Vegetal

Mapa registra 31 defensivos agrícolas genéricos, com quatro produtos biológicos

Com a publicação de hoje, 2020 soma 60 produtos de baixo impacto registrados; esse é o maior número de registros de produtos desse perfil em um mesmo ano

Publicado em

em

Divulgação/Jacto

O Ato n° 55 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária, publicado nesta quarta-feira (23) no Diário Oficial da União traz o registro de 31  defensivos agrícolas formulados. A publicação divulga quais foram os produtos formulados que foram registrados e efetivamente estarão disponíveis para uso pelos agricultores.

Todos os produtos utilizam ingredientes ativos já registrados anteriormente no país. “Os novos registros são importantes pois diminuem a concentração do mercado de defensivos e aumentam a concorrência. Isso acaba resultando em um comércio mais justo e em menores custos de produção para a agricultura brasileira”, explica o coordenador-geral de Agrotóxicos e Afins, Bruno Breitenbach.

Dos produtos registrados hoje, quatro deles são compostos por microrganismos como a Beauveria bassiana, o Bacillus thuringiensis, o Metarhizium anisopliae e o vírus Spodoptera frugiperda multiplenucleopolyhedrovirus que são agente biológicos de controle de pragas que atacam os cultivos brasileiros. Os produtos poderão ser utilizados em qualquer cultura em que forem encontradas as pragas para as quais esses agentes biológicos possuem recomendação de controle. Dois desses produtos poderão ser utilizados nas produções orgânicas certificadas.

Com a publicação de hoje, 2020 soma 60 produtos de baixo impacto registrados. Esse é o maior número de registros de produtos desse perfil em um mesmo ano.

Os produtos que utilizam agentes de controle biológicos são alternativas de controle para os agricultores no combate às pragas, ao mesmo tempo que contribuem para o aumento da sustentabilidade da agricultura nacional.

Do total de produtos registrados e divulgados hoje, alguns contém mais de um ingrediente ativo. A maioria dos ingredientes ativos registrados já têm registros nos Estados Unidos, na Europa e na Austrália.

Todos os produtos registrados foram analisados e aprovados pelos órgãos responsáveis pela saúde, meio ambiente e agricultura, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais.

Fonte: MAPA
Continue Lendo

Notícias Internacional

Processamento de soja na Argentina cai mais de 20% em agosto na comparação anual

Processamento em agosto rendeu 2,5 milhões de toneladas em farelo de soja e 657.229 toneladas de óleo de soja

Publicado em

em

Danilo Estevão/Embrapa

A Argentina, maior exportador global de soja processada, viu os volumes esmagados do grão caírem 20,6% na comparação anual em agosto, para 3,3 milhões de toneladas, segundo dados do ministério da agricultura do país.

Nos primeiros oito meses do ano, as unidades de esmagamento de soja argentinas processaram um total de 25,9 milhões de toneladas, ou 9% abaixo do visto no mesmo período do ano passado, segundo relatório mensal do governo divulgado na noite de segunda-feira (21).

O processamento em agosto rendeu 2,5 milhões de toneladas em farelo de soja e 657.229 toneladas de óleo de soja. A soja processada será fornecida a compradores na Europa e no Sudeste Asiático.

A Argentina colheu 49 milhões de toneladas de soja na safra 2019/20, encerrada em julho, abaixo das 55,3 milhões de toneladas na temporada anterior.

O plantio da safra 2020/21 começará em outubro.

Fonte: Reuters
Continue Lendo
Biochem site – lateral

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.