Avicultura - 04.05.2018

Restrição aos antimicrobianos vai impactar na saúde intestinal das poedeiras

Profissional explica que existem alternativas para evitar infortúnios e aposta em agilidade de adaptação intestinal para minimizar os problemas durante processo de transição

- Arquivo/OP Rural

 -

Os desafios e as oportunidades com os melhoradores da saúde intestinal das poedeiras frente aos novos modelos de criação foi tema de palestra durante a 16ª edição do Congresso Apa (Associação Paulista de Avicultura), que aconteceu nos dias 20 e 21 de março, em Ribeirão Preto, SP. Em entrevista exclusiva ao jornal O Presente rural, o palestrante Marco Aurélio Stefanoviciaus Nunes destaca novos conceitos que começam chegar mais assiduamente à cadeia de produção de ovos, como redução do uso de agentes antimicrobianos como promotores de crescimento e a reformulando galpões para atender aos novos conceitos de bem-estar animal, podem gerar podem gerar problemas na saúde intestinal e desempenho das aves.

Ele explica que existem alternativas para evitar infortúnios e aposta em agilidade de adaptação intestinal para minimizar os problemas durante esse processo de transição. Confira a entrevista com marco Aurélio Nunes, gerente técnico da Anco no Brasil.

O Presente Rural (OP Rural) - A mudança no panorama quanto ao modelo de produção para poedeiras, como restrição a promotores de crescimento e alterações nas instalações para atender as demandas por bem-estar animal, podem impactar na saúde intestinal das aves?

Marco Aurélio Nunes (MAN) - Sim. As propostas de instalações para alojamento das aves seguindo as demandas por bem-estar animal e restrições quanto ao uso de promotores de crescimento antibióticos vão expor as aves a estressores que, no modelo tradicional de produção, tinham menor importância. As estratégias de desinfecção de aviários e equipamentos, cuidados com manejo, ambiência, nutrição e qualidade de água devem ganhar outra dimensão. Não há dúvidas de que o trato intestinal das aves será o sistema mais afetado por estas mudanças.

OP Rural - Qual a relação entre saúde intestinal e desempenho de poedeiras?

MAN - Se partirmos do pressuposto de que as poedeiras atuais são verdadeiras máquinas de transformar milho e soja em ovos, o ponto de partida para esta transformação está no sistema digestivo. Desde o Cálcio que faz parte da casca dos ovos até os constituintes internos têm como origem os componentes liberados pelos processos de digestão dos alimentos e resultante absorção de nutrientes que acontece ao longo do tubo digestivo. Além disso, a saúde intestinal está totalmente relacionada com a qualidade do ovo produzido, principalmente em termos microbiológicos.

OP Rural - Quais os principais pontos que o produtor deve se ater visando manutenção da saúde intestinal de poedeiras?

MAN - O sistema digestivo, apesar de não parecer, é considerado meio externo ao organismo e amplifica e é influenciado de sobremaneira pelas condições do meio ambiente em que a ave está. Desde condições ambientais de temperatura e umidade, condições de contaminação microbiológica e até condições de estresse social vão impactar diretamente neste sistema. Daí a importância de boas práticas de limpeza e desinfecção das instalações e boas práticas de manejo das aves.

Outros pontos muito importantes dizem respeito à qualidade do alimento que vai passar pelo tubo digestivo. Neste contexto, não podemos nos esquecer da qualidade da água. Quanto ao alimento propriamente dito, uma dieta bem balanceada, evitando-se falta ou excesso de nutrientes, elaboradas com ingredientes de boa qualidade (o que nem sempre é factível, porém administrável) é fundamental em termos de saúde intestinal.

Quando falamos de sistema digestivo, a primeira coisa que vem em mente é a importante função de digestão de alimentos e absorção de nutrientes. Porém existe uma função muito importante que é a seleção do que pode e o que não pode ou deve ser absorvido. Diversas manifestações, das quais podemos citar a transmigração de bactérias e toxinas da luz do intestino para compartimentos mais internos e processos inflamatórios intestinais, aparecem quando há falhas neste importante mecanismo que podemos chamar de absorção seletiva. Desta forma, foco na manutenção da integridade intestinal também é muito importante.

OP Rural - Se há desafios, há também oportunidades para melhorar a saúde intestinal das poedeiras? Quais?

MAN - Primeiramente temos que entender que todos os animais contam com ferramentas adaptativas próprias que podem ser acionadas quando da exposição a estressores. O problema no que diz respeito a animais de alta performance produtiva, como é o caso de poedeiras, é que estes mecanismos normalmente levam um tempo para serem acionados e quando acionados são muito custosos em termos energéticos. A maior oportunidade que temos é tirar proveito destas ferramentas adaptativas das aves e faze-las responder o mais rápido possível com o menor custo energético. É neste contexto que se baseia o conceito de agilidade de adaptação intestinal, que é a base do desenvolvimento científico dos produtos de determinadas empresas.

Mais informações você encontra na edição de Aves de abril/maio de 2018 ou online.

Fonte: O Presente Rural

FACTA Dez 2018

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

FACTA Dez 2018ACSURSEurotierIntercorte