Balanço 2017 - 23.01.2018

Receitas em exportação avícola crescem 8% no Paraná

Fechamento do ano apontou crescimento também em volume de embarque

- Jonas Oliveira/ANPr

A indústria avícola paranaense fechou o ano de 2017 com números que comprovam a qualidade do que produz. O setor apresentou crescimento em todos os seus índices. De acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), vinculada ao Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as receitas em exportações aumentaram 8,4%, somando um valor de US$ 2,51 bilhões, ante US$ 2,32 bilhões em 2016.

Já o volume de embarques fechou em alta de 1,6%. Ao todo, 1,57 milhão de toneladas da proteína foram destinadas ao mercado internacional no ano passado. Em 2016, o número foi de 1,55 milhão. Dessa forma, o Paraná respondeu por 36,34% de todas as exportações de carne de frango no Brasil, aponta a Secex.

Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), Domingos Martins, estes índices reforçam a importância do estado, e do país, na garantia da segurança alimentar ao redor do mundo. "O mercado global reconhece a qualidade do que é produzido por nós e confia em nossa cadeia produtiva, que nos permite atender aos mais altos níveis de exigência", destaca.

Na lista dos cinco maiores importadores da carne de frango paranaense, em 2017, estão, na sequência: Arábia Saudita (263,06 mil toneladas), África do Sul (223,81 mil toneladas), China (147,89 mil toneladas), Emirados Árabes (128,7 mil toneladas) e Japão (118,73 mil toneladas).

Produção

Levantamento do Sindiavipar mostra que o abate também apresentou crescimento no ano passado. No acumulado, a produção avícola no estado atingiu 1,79 bilhão de cabeças de frango, ante 1,75 bilhão em 2016, o que resultou em um aumento de 1,8%. Desta produção, aproximadamente 65% foi destinada ao mercado interno e 35% ao externo.

Ainda de acordo com balanço do Sindicato, a região Oeste do estado foi a que mais teve representação na produtividade, respondendo por 33% dos abates, seguida pelo Norte Central (21%) e pelo Sudoeste (19%). Segundo Martins, a atividade avícola possui bastante importância nessas regiões, distribuindo renda e gerando emprego para a população.

Perspectivas

Para 2018, as projeções se mantêm positivas. Com a expectativa de recuperação da economia, volta do poder de compra da população e retomada do consumo, além da boa oferta de insumos, a avicultura paranaense deve apresentar um crescimento em torno de 4% a 6% tanto em produção quanto em exportação, projeta o Sindiavipar.

"Esperamos que seja um ano de conquistas. Nossas indústrias são modernas e com potencial para aumentarem sua produção e, consequentemente, as exportações. Além disso, vamos dar o suporte necessário para atingirmos esses índices”, ressalta Martins.

Fonte: Assessoria

SINSUI 2018

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

PORK EXPO 2018ACSURSSINSUI 2018FACTA 2018