Mercado - 11.08.2017

Preço do suíno volta a reagir no Centro-Sul com oferta mais ajustada

Média de preços do quilo do suíno vivo na região Centro-Sul do Brasil ficou em R$ 3,57, 1,92% acima dos R$ 3,50 praticados na semana passada

- Arquivo/OP Rural

A oferta de animais mais equilibrada frente à demanda e o bom desempenho das exportações neste início de agosto contribuíram para novos reajustes nos preços do mercado suíno. De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Allan Maia, a expectativa para o curto prazo é de novos aumentos nas cotações, diante da proximidade do Dia dos Pais, a ser comemorada neste final de semana.

A média de preços do quilo do suíno vivo na região Centro-Sul do Brasil ficou em R$ 3,57, 1,92% acima dos R$ 3,50 praticados na semana passada. A média de preços pagos pelos cortes de pernil chegou a R$ 7,20, ante os R$ 7,19 praticados na última semana, com uma alta de 0,20%. A carcaça teve um preço médio de R$ 6,13, acréscimo de 1,14% frente aos R$ 6,06 praticados na última semana.

Maia comenta que as exportações sinalizaram um bom desempenho no começo do mês, reagindo tanto em relação a agosto do ano passado quanto na comparação com julho deste ano. “Este movimento é importante para manter a oferta interna mais equilibrada”, pontua.

De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços, divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior, as exportações de carne suína "in natura" do Brasil renderam US$ 41,0 milhões em agosto (4 dias úteis), com média diária de US$ 10,2 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 16,7 mil toneladas, com média diária de 4,2 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 2.447,00.

Em relação a julho, ocorreu uma alta de 75,2% na receita média diária, ganho de 80,5% no volume diário e queda de 2,9% no preço. Na comparação com agosto de 2016, houve avanço de 85,5% no valor médio diário exportado, acréscimo de 67,3% na quantidade média diária e valorização de 10,9% no preço médio.

A análise de preços de SAFRAS & Mercado apontou que a arroba suína em São Paulo subiu de R$ 77,00 para R$ 78,00. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo passou de R$ 3,06 para R$ 3,07. No interior a cotação avançou de R$ 3,37 para R$ 3,44. Em Santa Catarina o preço do quilo na integração seguiu em R$ 3,15. No interior catarinense, a cotação subiu de R$ 3,48 para R$ 3,52. No Paraná o quilo vivo teve alta de R$ 3,75 para R$ 3,77 no mercado livre, enquanto na integração o quilo vivo continuou em R$ 3,26.

No Mato Grosso do Sul a cotação na integração se manteve em R$ 2,90, enquanto em Campo Grande o preço permaneceu em R$ 3,35. Em Goiânia, o preço avançou de R$ 4,00 para R$ 4,20. No interior de Minas Gerais o quilo subiu de R$ 3,75 para R$ 3,95 e, no mercado independente mineiro, de R$ 4,00 para R$ 4,30. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis continuou em R$ 3,20. Já na integração do estado a cotação permaneceu em R$ 3,05.

Fonte: SAFRAS & Mercado

Farmácia na Fazenda

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

SindiaviparFACTA- SINDIAVIPARFarmácia na Fazenda