Abraves - 11.10.2017

Painel de Sanidade -Doenças Emergentes e Reemergentes vai debater Salmonelose, Circovirose, Influenza e PRRS

Evento vai reunir principais especialistas para discutir medidas de prevenção, diagnóstico e controle das mais desafiadoras enfermidades da suinocultura mundial, de 17 a 19 de outubro, em Goiânia, GO

- Arquivo/OP Rural

O surgimento de novos e ressurgimento de velhos patógenos vêm trazendo uma série de impactos na suinocultura mundial. Apesar destas ocorrências existirem desde sempre, a velocidade com que vêm acontecendo representa um dos desafios mais importantes da atividade. A intensificação do comércio global, não apenas falando de carnes e insumos agropecuários, como também do trânsito de pessoas entre países, elevou o risco de ocorrências sanitárias e hoje todos os países enfrentam um risco muito maior em relação ao passado. Outro fator que contribui para aumentar este risco é a mudança dramática nas instalações de granjas ocorrida nos últimos 30 anos, com instalações e densidade animal muito maiores.  

E mesmo com um status sanitário privilegiado, as condições sanitárias da suinocultura mundial têm demonstrado que nem mesmo países com biossegurança e vigilância sanitária bem estruturados estão livres de uma disseminação de patógenos e doenças relevantes. Diante deste quadro, o XVIII Congresso Abraves terá um painel inteiro dedicado ao tema. Para isso, foram selecionados quatro dos desafios sanitários mais relevantes da atualidade para serem debatidos com alguns dos principais especialistas da suinocultura mundial, explicou o médico veterinário e membro da comissão organizadora do evento, Carmos Pedro Triacca.

“A salmonelose clínica é um novo e grande desafio para nós veterinários de campo e temos muito ainda a aprender e debater sobre essa doença, especialmente em se tratando de diagnóstico, tratamento e prevenção. Outro ponto de destaque será a situação da circovirose após 15 anos dos primeiros casos no Brasil, além do complexo de doenças respiratórias, que será abordado com a associação de um agente patogênico que vem crescendo muito em nossos plantéis, o vírus da influenza suína. Por último, mas não menos importante, a PRRS. Apesar de o Brasil ser livre desta enfermidade, temos relatos recentes de diagnóstico positivo no Uruguai e é preciso debater medidas de biossegurança e o que países que já convivem com essa doença podem nos ensinar”.

Outras informações sobre o XVIII Congresso Abraves podem ser obtidas através do site do evento, pelo telefone (62) 3241.3939 ou pelo e-mail abraves2017@gmail.com.

Programação

O programa científico do Painel Doenças Emergentes e Reemergentes, que vai acontecer no dia 18 de outubro, a partir das 14h, terá a moderação do professor de medicina veterinária da Unesp – Campus de Jaboticabal, Luís Guilherme de Oliveira. A pesquisadora da Embrapa Suínos e Aves Jalusa Deon Kich vai abrir os debates com uma apresentação sobre “O aumento da frequência de Salmonelose clínica em suínos no Brasil”. Em seguida, a chefe Geral da Embrapa Suínos e Aves, Janice Zanella, vai discutir a “Situação atual da circovirose no Brasil”.

Depois de um intervalo, a programação deste painel segue com a moderação da chefe Geral da Embrapa Suínos e Aves, Janice Zanella. A partir das 16h, o professor de medicina veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) David Barcellos vai destacar a “Dinâmica de infecção das doenças respiratórias após a entrada da Influenza no Brasil”. O Painel será encerrado pelo professor da Universidade de Múrcia, na Espanha, Guillermo Ramis com a palestra “PRRS: o que a experiência europeia nos ensina?”.

Fonte: Assessoria

Farmácia na Fazenda

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

Farmácia na FazendaSindiaviparFACTA- SINDIAVIPAR