Saúde - 13.09.2018

Ovo: uma fonte de proteína e muito mais

Dentre as inúmeras funções, a proteína é fundamental para manter a qualidade e quantidade de massa muscular ao longo da vida

- Arquivo/OP Rural

Artigo escrito por Lúcia Endriukaite, nutricionista do Instituto Ovos Brasil

A proteína é um macro nutriente formado por 21 aminoácidos. Destes, sete são considerados aminoácidos essenciais, isto é, precisam ser obtidos através da alimentação. Dentre as inúmeras funções, a proteína é fundamental para manter a qualidade e quantidade de massa muscular ao longo da vida. Assim, é comum os esportistas e atletas consumirem proteínas pós treino com o objetivo de ganhar massa muscular.

Nos últimos anos a proteína tem sido consumida não somente na forma de alimento, mas também como suplemento alimentar. A clara do ovo, basicamente, fonte de proteína é um produto de escolha seja na forma de alimento como suplemento, chamada albumina. Entretanto, a discussão do momento relaciona o ganho de massa muscular ao consumo de alimento integral, como o ovo inteiro que possui na composição proteínas e substancias como vitaminas, minerais e ácidos graxos.

Um estudo comparou o consumo de clara de ovo ou ovo inteiro após o exercício. O marcador em questão foi a leucina, um aminoácido relacionado ao ganho de massa muscular, que ficou aumentada logo após o treino com a ingestão de clara; Entretanto, cinco horas pós treino, a leucina se manteve elevada com o consumo do ovo inteiro, isto é, clara e gema. A ingestão de alimentos integrais de uma fonte proteica e que possui vitaminas, minerais e gordura, como o ovo, pode melhorar a qualidade geral da alimentação e estimular a remodelação de proteínas musculares pós treino.

Além do ganho de massa muscular, a proteína retarda o esvaziamento gástrico, e traz como consequência alteração na glicemia pós-prandial positiva ao organismo. Evidências mostram que o aumento da glicemia pós-prandial é responsável pelo aumento do estresse oxidativo, provocando uma redução no oxido nítrico, uma substância vasodilatadora que atua na função vascular. A modificação dietética é uma estratégia para limitar a hiperglicemia pós-prandial, limitando as respostas do estresse oxidativo que induzem à lesão vascular.

Estudo

Um estudo utilizando glicose combinado com ovo inteiro, clara de ovo e gema de ovo e apenas glicose oferecido como refeição a 20 homens pré-diabéticos apresentou como resultados: dilatação do fluxo da artéria braquial com o consumo de ovo inteiro e clara. A glicose pós-prandial teve um aumento atenuado com o consumo de ovo e clara (30 a 90 minutos) contra glicose e gema (30 a 120 minutos). Houve um aumento de CCK, um hormônio gastrointestinal que diminui o esvaziamento gástrico, com a ingestão de ovo inteiro e clara. De acordo com os autores, mais estudos são necessários para examinar os benefícios vasoprotetores dos ovos em refeições mistas complexas.

A proteína possui uma grande importância para as nossas células, entretanto, vitaminas, minerais fazem parte de reações bioquímicas em nosso organismo, proporcionando bem-estar, pois nutrientes como vitamina A, vitamina E, zinco, magnésio e selênio têm ação antioxidante e contribuem para a redução de processos inflamatórios. Compostos bioativos como a luteína e zeaxantina atuam na proteção dos olhos e no organismo como um todo.

As vitaminas do complexo B favorecem a produção de energia na célula, pois atuam no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras. Estes nutrientes e outros como vitamina D, Vitamina K, cálcio, ferro estão presentes no ovo e por isso atuam de forma sinérgica e contribuem para um melhor desempenho do organismo. O ovo é um alimento de fácil preparo, saboroso e pode ser incluído em qualquer refeição e combinado com os mais diversos tipos de alimentos. Na prática, isto significa promoção de saúde.

Mais informações você encontra na edição de Aves de setembro/outubro de 2018.

Fonte: O Presente Rural

Intercorte

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

ACSURSIntercorteFACTA Dez 2018