Rogério Beretta - 10.09.2018

“Mato Grosso do Sul é o melhor destino do país para investimento em suinocultura”

Afirmação é do superintendente de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, Rogério Beretta

- Arquivo/OP Rural

 -

O superintendente de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, Rogério Beretta, participou do 2º Seminário de Desenvolvimento da Suinocultura, que aconteceu no fim de abril, em Dourados, MS. Lá, deixou claro que o governo está incentivando a produção de suínos e aves das indústrias locais e players de outros estados, mostrando que esses dois segmentos foram os que mais cresceram nos últimos dez anos no setor de carnes. Entre os destaques, estão os programas Granja Plus e Leitão Vida, que ajudam a profissionalizar os profissionais e oferecem isenção de impostos.

“O governo de MS entende como prioritário o fomento à suinocultura. Hoje vemos que Mato Grosso do Sul é o melhor destino do país para investimento em suinocultura”, expôs. De acordo com Beretta, “o Estado, que é uma potência no agronegócio, está agregando valor ao que é produzido no campo por meio do fortalecimento do setor agroindustrial local, o que dá condições para que grandes players de outros estados se instalem em território sul-matogrossense”.

Ele conta os motivos pelos quais entende que é importante investir em suínos – e aves.  “Somos o quarto maior produtor de milho. Terceiro lugar no ranking brasileiro de abate, quinto maior produtor de grãos, temos 67% de nossa área destinada à agropecuária. O Estado, conhecido como o melhor produtor de carnes do Brasil, que exporta cerca de US$ 800 milhões por ano, tem na suinocultura e na avicultura os segmentos de maior expansão nos últimos dez anos”, frisou. De acordo com o superintendente, em 2016 MS abateu 127 mil toneladas de suínos e 401 mil toneladas de aves. Ele ainda citou o crescimento da suinocultura nos últimos dez anos. O rebanho aumentou 30%, a produção aumentou 104% e os abates, 116%.

Leitão vida

O programa Leitão Vida é um dos incentivos a produtores e agroindústrias dado em MS. A partir do 12º leitão nascido, há isenção de impostos. Se a leitegada tiver 18 animais, por exemplo, seis estão livres de impostos. No entanto, ele é mais complexo e está sendo reorganizado, 24 anos depois de sua criação, para estar alinhado aos padrões zootécnicos e de sustentabilidade de hoje. “A reorganização do programa é para o bem da suinocultura, principalmente agregando sustentabilidade e bem-estar animal”, destacou Beretta.

O programa que dá incentivos fiscais estaduais e interestaduais classifica os produtores como básico, intermediário e avançado. O básico cumpre 11 critérios obrigatórios referentes a legislações ambiental, tributária, sanitária e trabalhista. O intermediário cumpre todos os critérios obrigatórios e ao menos seis dos sete critérios complementares, que dizem respeito a participação em associações, aplicação de tecnologias sustentáveis, como biodigestor, e aplicação de regras e conceitos de boas práticas na produção.

O avançado cumpre todos os itens obrigatórios, ao menos cinco itens complementares e cinco superiores. Os superiores incluem boas práticas e infraestrutura, como escritório na granja, local específico com biossegurança para animais mortos, entre outros. Os incentivos são por meritocracia. Ou seja, quanto mais profissional e quanto mais produzir, maiores são os incentivos. “As informações da propriedade são enviadas pelo responsável técnico das fazendas para o governo, que audita.

De acordo com o superintendente, o incentivo se faz necessário para ampliar a produção de leitões, pois, segundo ele, hoje o Estado precisa comprar de outros estados para atender a demanda das indústrias. “MS está importando 20% de leitão de outros estados para terminação”, destacou.

Granja Plus

Outro destaque no fomento aos setores de suínos e aves é o programa Granja Plus, lançado oficialmente durante as comemorações dos 25 anos da Asumas. Mato Grosso do Sul tem potencial para a expansão da suinocultura e avicultura no Brasil. A estimativa é de que a produção de aves, por exemplo, cresça 3% e a de suínos avance 10% neste ano. É nesse contexto que o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de MS – Senar/MS disponibiliza ao produtor rural sul-mato-grossense o Granja Plus. A iniciativa, que está em fase de mobilização, promove a melhoria contínua das duas atividades no estado.

Durante o mês de julho, técnicos da instituição fizeram a apresentação do projeto nos municípios de Glória de Dourados, Jateí, Dourados, Itaporã, Caarapó e Sidrolândia. “O estado possui características favoráveis, como logística, envolvimento dos principais players do mercado brasileiro, produção agrícola, que é a base para a ração, bem como políticas públicas e opções de investimentos, fatores que viabilizam as atividades, além de atender à demanda desses setores”, explica a coordenadora da Unidade Técnica do Sistema Famasul, Mariana Urt.

Com a consultoria do programa, que terá duração de 18 meses, os produtores recebem orientação para adequação das propriedades, seguindo exigências legais nas áreas trabalhista, ambiental, segurança no trabalho, construções rurais, gestão da propriedade e capacitação da mão de obra, além de incentivo ao associativismo e cooperativismo e biosseguridade.

Atualmente, as cadeias reúnem 770 produtores associados em suas respectivas entidades de classe, a Associação Sul Mato-Grossense de Suinocultores (Asumas) e Associação dos Avicultores de Mato Grosso do Sul (Avimasul). Para participar do programa, basta o produtor procurar o sindicato rural do seu município.

Mais informações você encontra na edição de Suínos e Peixes de julho/agosto de 2018 ou online.

Fonte: O Presente Rural

ACSURS

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

IntercorteFACTA Dez 2018ACSURSEurotierSBSB 2018