Sanidade - 16.04.2018

Florfenicol: uma molécula com ação antimicrobiana

Uso inadequado de fármacos antimicrobianos é a principal causa do rápido desenvolvimento de resistência específica em microrganismos causadores de doenças

- Arquivo/OP Rural

Artigo escrito por Mauro Renan Felin, gerente técnico Comercial Aves Sul da Vetanco; Felipe Chiarelli, coordenador técnico da Vetanco; e Eduardo Henrique Armanini, estagiário de Zootecnia da Vetanco

Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o Brasil é o segundo maior produtor e maior exportador de carne de frango do mundo. Para que o Brasil se mantenha em uma posição de destaque na produção avícola, o controle de microrganismos patogênicos é fundamental. O uso de antimicrobianos na avicultura é uma medida muito utilizada preventivamente para a minimização dos danos causados por infecções por E. coli, que de maneira geral causam diferentes processos infecciosos, denominados como colibacilose aviária.

A utilização de antibióticos como promotores de crescimento e no tratamento de possíveis infecções na avicultura comercial tornou-se uma prática rotineira devido às vantagens que podem trazer com relação aos índices de desempenho zootécnico dos animais, o qual impacta diretamente, melhorando a eficiência econômica do sistema de produção como um todo. O uso inadequado de fármacos antimicrobianos é a principal causa do rápido desenvolvimento de resistência específica em microrganismos causadores de doenças.

O uso intensivo de antibióticos na medicina humana, medicina veterinária e na agricultura propicia condições seletivas para a disseminação de genes de resistência entre as bactérias. O uso de antibióticos com grande frequência e de maneira indiscriminada, por longos períodos de tempo e em doses elevadas, acabou sendo um grande responsável pela decorrência da seleção de patógenos resistentes aos antibióticos. Um exemplo disto ocorre com as fluoroquinolonas, antibióticos de amplo aspecto que inclui diversos fármacos terapêuticos, como a Ciprofloxacina e Enrofloxacina, que tem sido utilizada há muitos anos na produção animal como agentes profiláticos. Como resultado, se teve o aparecimento de diversas linhagens de bactérias resistentes a fluoroquinolonas.

Resistência

A resistência a fármacos antimicrobianos consiste na capacidade adquirida de um organismo de resistir aos efeitos de um agente quimioterápico, em que normalmente seria suscetível. A resistência bacteriana é um dos principais problemas relacionados a muitas bactérias patogênicas, tanto na saúde humana quanto animal. A resistência ampla de fármacos antimicrobianos pode ocorrer rapidamente pela disseminação de genes responsáveis entre os microrganismos pela transferência horizontal de genes. Um estudioso, em 2015, ao pesquisar genes de resistência em cepas de Escherichia coli isoladas de carne de frangos oriundas do estado do Paraná, encontrou a presença de genes de resistência de três ou mais antimicrobianos em 79,3% das amostras, o resultado mostra uma E. coli altamente resistente aos antimicrobianos utilizados atualmente na produção animal e na medicina humana, como as fluoroquinolonas, aminoglicosídeos e sulfonamidas.

Florfenicol

Devido à grande resistência das bactérias aos antibióticos utilizados atualmente e a pequena quantidade autorizadas para o uso na produção animal brasileira, se tem a necessidade de um antibiótico que consiga manter um controle sobre os patógenos que não implique em uma rápida resistência ao fármaco. Um dos fármacos que podem ser utilizados para o controle de microrganismos na produção animal é o Florfenicol. Outro pesquisador, em 2014, observou que a utilização de florfenicol em frangos de corte exerce um efeito terapêutico eficiente na depuração de infecções causadas por E. coli. A concentração mínima inibitória para E.coli é 4,0 g/ml e 8,0 g/ml para Salmonella.

O Florfenicol possui uma considerável atividade contra bactérias gram negativas e gram positivas resistentes ao cloranfenicol e ao tiamfenicol. É um fármaco com menor impacto na saúde humana e animal, sendo mais seguro para o uso que os seus antecessores, devido à substituição do grupo p-nitro ligado ao anel benzênico por um grupo sulfometilo, o que anteriormente era responsável por induzir a anemia aplástica e supressão da atividade da medula óssea, condições potencialmente fatais devido a semelhança dos ribossomos mitocondriais dos mamíferos aos bacterianos.

É um antibiótico que interfere na síntese proteica com a subunidade 50S do ribossomo procarioto 70S, ele inibe a formação de ligações peptídicas durante o alongamento da cadeia polipeptídica, sendo um antibiótico de amplo aspecto. Pode atuar tanto como bactericida ou como bacteriostático (mais utilizado), dependendo do microrganismo.

A utilização do Florfenicol na produção animal, em especial na avicultura, é uma opção que pode vir como substituição dos antibióticos utilizados usualmente no controle e tratamento de doenças bacterianas, o qual já possuem uma certa resistência contra, garantindo uma boa produtividade e bem-estar das aves.

Mais informações você encontra na edição de Aves de abril/maio de 2018.

Fonte: O Presente Rural

VIII Clana

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

IntercorteINTERCONFPORK EXPO 2018VIII ClanaDia do Porco 2018ACAV 2018