Nutrição - 26.10.2017

A importância de suplementos minerais para bovinos

As combinações dos alimentos muitas vezes não são elaboradas para cumprir as exigências minerais como prioridade

- Arquivo/OP Rural

 -

Artigo escrito por Gustavo Cunha, gerente técnico da Allnova

O aumento da eficiência na produção de bovinos no Brasil está incondicionalmente relacionado à melhoria das condições de alimentação, sendo a suplementação uma das alternativas mais práticas para adequar suprimento de nutrientes as exigências dos animais. Na grande maioria dos sistemas de criação de bovinos, à pasto ou em sistemas intensivos, os animais consomem dietas que não são suficientes para atender as necessidades adequadas de minerais. O fato é que as combinações dos alimentos muitas vezes não são elaboradas para cumprir as exigências minerais como prioridade.

Nos trópicos existe elevada flutuação qualitativa e quantitativa das pastagens, o que resulta em ganhos de peso no período das águas e perda de peso no período seco, com duas estações bem definidas no Brasil central. A sazonalidade é a principal causa da baixa produção bovina nos trópicos, promovendo inadequação no atendimento das exigências nutricionais dos animais.

Desta forma, as exigências minerais podem se tornar limitantes para o máximo desempenho produtivo e/ou reprodutivo esperado. Dependendo do níveis de minerais encontrados nas pastagens, podem ocorrer deficiências minerais severas, com aparecimento de sintomas característicos, ou ainda deficiências leves e marginais, com sintomas não específicos como desenvolvimento lento, baixa produção de leite, baixos índices de fertilidade, entre outros índices zootécnicos de grande importância na pecuária.

Os minerais desempenham funções essenciais para o organismo dos animais. Sendo componentes estruturais dos tecidos corporais, atuam nos fluídos corporais como eletrólitos de manutenção do equilíbrio ácido-básico, da pressão osmótica, da permeabilidade das membranas celulares e ainda como catalisadores de processos enzimáticos. Ou seja, de uma forma geral, os minerais são importantes em todas as atividades do organismo animal.

Os níveis de suplementação mineral em bovinos devem ser determinados com base nas exigências nutricionais, uma vez que quanto maior for a taxa de desenvolvimento e/ou produção, maior será a exigência por nutrientes.

Os suplementos minerais fornecidos usualmente possuem diferentes concentrações de macrominerais (cálcio, fósforo, enxofre, magnésio, potássio e sódio) e microminerais (zinco, cobalto, cobre, manganês, iodo e selênio). O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) determina que os valores dos minerais devem ser expressos em gramas por kg (g/kg) ou em miligramas por kg (mg/kg) para macrominerais e microminerais respectivamente. Porém, para o fornecimento adequado de minerais às diferentes categorias de bovinos, deve se ficar atento ao perfil de consumo das diferentes misturas minerais, uma vez que o que vai determinar o nível de suplementação, é a quantidade ingerida de determinada mistura. Em resumo, um produto com menores níveis minerais não significa necessariamente menor suplementação. E outro de maior concentração também não significa necessariamente maior suplementação. É necessário determinar o perfil de consumo e quantidade ingerida do suplemento mineral, para cada categoria animal, observando o atendimento às exigências nutricionais em determinados níveis de produção.

Um ponto de extrema importância no fornecimento de suplemento mineral para bovinos refere-se ao correto manejo de fornecimento e estrutura disponível para o suplemento mineral. Principais falhas:

- Quantidade de macro e microminerais versus perfil de consumo;
- Quantidade insuficiente de fornecimento (falha de manejo);
- Falha no dimensionamento de cocho;
- Localização dos cochos;
- Cobertura dos cochos;
- Falha na qualidade das misturas;

As principais falhas citadas são facilmente identificadas, havendo observação de profissionais de campo devidamente capacitados. Em resumo, a suplementação mineral de bovinos de corte e leite vem se tornando cada vez mais uma realidade em função dos níveis tecnológicos e de exigências nutricionais de animais com mérito genético e status sanitários cada vez mais superiores. De forma geral, o amplo conhecimento e facilidade na obtenção de informações tornou imperativo a suplementação mineral de bovinos. Segundo Valadares Filho, “uma das grandes aplicações do conhecimento de nutrição de ruminantes no Brasil foi a implantação da suplementação a pasto”, uma vez que produção de bovinos de corte e leite no Brasil passa obrigatoriamente pelo sistema de criação à pasto.

Mais informações você encontra na edição de Bovinos, Grãos e Máquinas de agosto/setembro de 2017 ou online.

Fonte: O Presente Rural

Farmácia na Fazenda

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

Farmácia na Fazenda