Avicultura - 08.03.2018

Vaxxitek é a vacina aviária mais vendida no mundo

Vacina da Boehringer Ingelheim é líder global dentre todas as vacinas aviárias nos últimos cinco anos, com diferença superior a 45% sobre a segunda opção. Os dados são do Ceesa (Centro Europeu de Estudo da Saúde Animal)

- Foto: Assessoria

A excelência em saúde animal é um dos principais pilares para a manutenção do Brasil como maior exportador mundial e segundo maior produtor de carne de frangos. Nesse contexto, investimentos em biosseguridade e ações imunoprofiláticas, com vacinas de alta tecnologia, ganham cada vez mais espaço na avicultura, devido à conveniência e à segurança que garantem proteção adequada aos planteis, com o menor comprometimento à performance dos lotes.

Dentre os diferentes desafios sanitários, destacam-se as doenças imunossupressoras, que além da ação direta do agente patogênico também comprometem a resposta imune a outras enfermidades. É o caso das doenças de Marek e Gumboro, enfermidades que compõem dois dos principais segmentos de vacinas aviárias do Brasil, segundo o painel IMS/Sindan (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal). Ambas as enfermidades têm controle complexo seja pela característica de evolução do vírus desafio, como a doença de Marek, seja pela resistência do agente no ambiente, como a doença de Gumboro.

Contudo, há alguns anos surgiram as vacinas de novas tecnologias, que permitem controle eficaz com segurança comprovada. É o caso de Vaxxitek, a primeira vacina vetorizada lançada no Brasil e que confere proteção contra as doenças de Marek e Gumboro com uma única dose ainda no incubatório. A extrema eficácia de Vaxxitek tornou-a a vacina mais vendida no mundo e uma grande inovação na maneira de controlar Marek e Gumboro.

Além da conveniência, uma das principais razões do sucesso de Vaxxitek é o vírus vetor HVT de Marek, que apresenta replicação mais rápida que os HVT convencionais ou HVT utilizados em outras vacinas vetorizadas. Esse diferencial proporciona rápida imunidade contra Marek e também proteção contra Gumboro, com apenas 14 dias de vida independente do nível de imunidade passiva. Vaxxitek também tem se mostrado eficaz contra desafios de Gumboro com cepas de diferentes partes do mundo, mostrando um amplo espectro de proteção.

Graças ao mecanismo de ação de Vaxxitek, o vetor HVT faz com que o VP2 de Gumboro esteja presente também em outros órgãos, como baço, rins e figado estabelecendo uma sólida proteção celular e humoral. Isso tem uma implicação importante, uma vez que a doença de Gumboro causa imunossupressão direta pela necrose de linfócitos B na bolsa de Fabricius e imunossupressão indireta em  células T e macrófagos

Programas de vacinação cada vez mais eficientes têm sido aplicados para manter a sanidade dos plantéis avícolas. Contudo, além de conferir adequada proteção, os técnicos buscam soluções cada vez mais seguras, para não haver perdas no desempenho, Vaxxitek destaca-se por não causar nenhum tipo de lesão em bolsa de Fabricius nem causar nenhum dano ao sistema imune. Por outro lado, várias publicações demonstram que vacinas com vírus vivo de Gumboro – sejam imuno-complexo ou intermediárias plus – causam imunossupressão, o que é demonstrado pela pior resposta vacinal a outras doenças como Newcastle, Bronquite e EDS.

Segundo Alberto Inoue, gerente de marketing da Boehringer Ingelheim Saúde Animal, a manutenção de Vaxxitek como a vacina aviária mais vendida e uma das mais pesquisadas no mundo, demonstram consistência de resultados sob diferentes situações a campo. “Em uma avicultura altamente competitiva, somente com resultados sólidos é possível manter a liderança por tantos anos”, ressalta Inoue.

O portfólio da Boehringer Ingelheim contemplará em 2018, vacinas de três tecnologias distintas, de maneira a possibilitar diferentes protocolos vacinais de acordo com a situação de campo de cada empresa. Vaxxitek pode ser utilizada em situações em que o avicultor busca proteção contra Marek e Gumboro, com a melhor preservação do sistema imune. Além disso, mesmo diante da necessidade do uso de vacinas menos atenuadas, Vaxxitek demonstra que é eficaz para reduzir os efeitos adversos causados por vírus  vacinais de Gumboro do tipo forte.

“Novos investimentos em pesquisa e desenvolvimento fazem parte da estratégia da Boehringer Ingelheim em oferecer soluções que visam maximizar os resultados do produtor”, afirma Patricia Schwarz, diretora da unidade de aves e suínos. “Em 2018, estamos consolidando a nova unidade de negócios com uma estrutura mais robusta e desenhada para melhor atender as necessidades do mercado”,  completa Patricia.

Fonte: Ass. de Imprensa

ACSURS

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

SBSB 2018FACTA Dez 2018VIII ClanaACSURSINTERCONFIntercorte