Cooperativismo - 05.07.2018

Sicredi reúne cooperativas filiadas à Central Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro para Seminário de Desenvolvimento e Supervisão

Evento abordou diversos temas relevantes para a instituição financeira cooperativa e reconheceu o trabalho das cooperativas
Mais de 500 pessoas participaram do Seminário de Supervisão e Desenvolvimento promovido pela Central Sicredi PR/SP/RJ

Mais de 500 pessoas participaram do Seminário de Supervisão e Desenvolvimento promovido pela Central Sicredi PR/SP/RJ - Foto: Adalberto Rodrigues

Eloi Zanetti é autor do livro "Por Uma Escola sem Muros - O legado dos 10 anos do Programa A União Faz a Vida", lançado durante o Seminário  -

Mais de 500 pessoas, entre presidentes, dirigentes e colaboradores das cooperativas de crédito e executivos do setor, estiveram reunidas no Royal Palm Plaza Hotel, em Campinas (SP), para debater a importância da inovação e da criatividade na atuação das instituições financeiras cooperativas junto aos associados.

O 13º Seminário de Supervisão e Desenvolvimento da Central Sicredi PR/SP/RJ abordou ainda outros temas, como o lançamento do Plano Safra 2018/2019, um panorama do FGCoop (Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito -  equivalente ao Fundo Garantidor de Crédito do sistema financeiro tradicional) e a palestra do chefe do Departamento de Supervisão de Cooperativas e de Instituições Não Bancárias (DESUC) do Banco Central do Brasil, Harold Paquete Espínola Filho. Durante o evento ainda foi realizado o lançamento do livro que celebra os 10 anos da principal iniciativa de responsabilidade social do Sicredi, o Programa A União Faz a Vida. Os colaboradores da instituição também foram reconhecidos e premiados por campanhas internas desenvolvidas pelo Sicredi.

Na abertura do encontro o presidente nacional do Sistema Sicredi e da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock, falou sobre os resultados atingidos no primeiro semestre de 2018. "Tivemos muitas realizações, como a abertura de novas agências, as assembleias de prestação de contas, as ações sociais e os eventos promovidos pelos Comitês Jovem e pelos Comitês Mulher. Tudo isso foi muito significativo, o que torna nosso Seminário de Supervisão um grande 'clássico', ou seja, um exemplo para todo o nosso Sistema Sicredi", destacou.

De acordo com ele, o Sicredi está desbravando novos mercados: "Temos grandes desafios, entre eles o de demonstrar para mais e mais pessoas a força do cooperativismo de crédito, que vive um momento muito especial, de crescimento e descoberta de outras soluções financeiras, como o recém lançado Woop, nossa conta 100% digital. Ao contrário dos bancos, abrimos mais agências pois a cada dia, estamos comprovando a importância do relacionamento e do atendimento próximo que oferecemos aos associados e às cidades", argumentou Dasenbrock.

Esse movimento positivo também foi abordado por Harold Paquete Espínola Filho, chefe do Desuc do Banco Central do Brasil, que falou sobre a importância da Supervisão e da Gestão nas instituições financeiras cooperativas. "E o cooperativismo de crédito vai muito além da cidadania e da inclusão financeira, contribuindo para outros pilares do mercado financeiro. É um exemplo de boa gestão e eficiência", declarou.

Ele lembrou ainda que, juntas, as instituições financeiras cooperativas têm uma força gigantesca. "Se contarmos todos os sistemas e as cooperativas de crédito singulares o movimento se constitui na sexta maior instituição financeira do País, no segundo provedor de crédito rural, atrás apenas do Banco do Brasil, e detentores da maior rede de agências do País", disse Harold.

Todos esses fatores foram reforçados por Lúcio César de Faria, diretor executivo do FGCoop. Criado em 2012, o Fundo, que oferece as mesmas garantias que o Fundo Garantidor dos bancos tradicionais, foi um grande marco para o setor. "Temos ajudado a melhorar a gestão e a governança de todas as cooperativas do País e o exemplo do Sicredi é muito utilizado como inspiração", revelou.

 

"A família, as escolas e as empresas têm inibido o pensamento criativo"

A inovação foi o tema abordado por Jean Siegel, da Escola de Criatividade, durante o Seminário. Segundo ele, não é necessário ter ideias mirabolantes para ser inovador. "Muitas vezes, a mudança surge a partir de coisas simples, que resultam em soluções inéditas. Por isso, as pessoas não podem ter medo de errar, mas serem ousadas (na medida certa) e curiosos", destacou.

Ele lembrou ainda que para ser criativo é necessário esquecer os cargos e as posições. "Temos que desconstruir o que a gente tem (nossos bens materiais) para sermos o que a gente é, de verdade. Ou seja, temos que falar com as pessoas reais, como elas são de verdade", destacou.

Para Jean, "na essência, todos nós nascemos criativos e inovadores. O problema é que a família, as escolas e as empresas têm inibido o pensamento criativo. Tem mais a ver com bloqueios mentais que com falta de criatividade". Na infância todas as pessoas sonham em ser muita coisa e, com o tempo, vão abandonando esses sonhos para se enquadrarem nos padrões da sociedade, segundo ele.

Os grandes desafios corporativos, divulgados no último Fórum Econômico Mundial, passam pela criatividade e pela inovação. As principais características desejadas pelas empresas atualmente são: capacidade dos profissionais de resolverem problemas complexos, terem pensamento crítico, saberem se relacionar bem com outras pessoas, terem flexibilidade cognitiva, consciência coletiva e poder de negociação.

Siegel lembrou durante a palestra que essas mudanças são inevitáveis. "Precisamos perceber essas alterações do mundo, que estão afetando relacionamentos e nossa forma de comunicar. Por isso, precisamos pensar em novas soluções e novas maneiras de agir. Ou aceitamos a mudança ou o mundo muda sem a gente", finalizou.

 

Fortalecendo o Campo

O evento contou ainda com o lançamento do Plano Safra 2018/2019, no qual o superintendente de Crédito Rural do Banco Cooperativo Sicredi, Sidinei Senger, e o gerente de Desenvolvimento de Crédito da Central Sicredi PR/SP/RJ, Gilson Farias, falaram sobre as novidades à respeito do tema. Mais uma vez, o Sicredi será o maior distribuidor de recursos do Pronaf, além de aumentar em torno de 15% o montante de recursos disponibilizados, em relação ao ano passado (de R$ 14,3 bilhões no Plano Safra 2017/2018 para R$ 16,1 bilhões no exercício 2018/2019). Apenas para os estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro estão reservados mais de R$ 5 bilhões.

"Uma das grandes diferenças do Plano Safra deste ano foi a criação da TCR (Taxas de Crédito Rural) que podem ser pré ou pós fixadas. Ela foi criada para evitar grandes variações de juros nos contratos", enfatizou Senger. Outro ponto positivo apontado por ele foi a redução nas taxas de financiamento, que deve alavancar ainda mais o agronegócio no País - área de forte atuação das cooperativas do Sicredi.

 

Reconhecimento e Premiação

Outra ação que movimentou o Seminário foi a premiação dos Samurais do Crédito, que reconheceu os resultados alcançados pelas cooperativas filiadas na recuperação de crédito. Também foram conhecidas as agências e as cooperativas destaque na premiação trimestral de início de ano, realizada há 9 anos, que visa premiar os melhores desempenhos entre as mais de 550 agências Sicredi da central regional. A entrega dos prêmios aos colaboradores das cooperativas vencedoras foi feita por Manfred Dasenbrock, presidente nacional do Sicredi e da Central PR/SP/RJ, por Maroan Tohmé, Adilson Sá e Reginaldo Pedrão, diretores executivos da Central Sicredi PR/SP/RJ.

 

Pelo Social

O evento foi encerrado com o lançamento do livro "Por Uma Escola sem Muros - O legado dos 10 anos do Programa A União Faz a Vida", que retrata as histórias colhidas durante a Expedição que passou pelas primeiras cidades a implantar a principal iniciativa de responsabilidade social da instituição financeira cooperativa. O gerente de programas sociais da Central Sicredi PR/SP/RJ, André Alves de Assis, e o consultor de marketing Eloi Zanetti, autor do livro, falaram sobre a importância das ações desenvolvidas pelos alunos das escolas participantes e mostraram resultados do programa que beneficia diretamente escolas, alunos, educadores e famílias. Apenas no Paraná e São Paulo são mais de 126 municípios, 471 escolas e mais de 65 mil alunos impactados pela metodologia inovadora.

Fonte: Ass. de Imprensa

SBSB 2018

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

INTERCONFACAV 2018ACSURSFACTA Dez 2018VIII ClanaSBSB 2018