Bovinos - 08.06.2018

GENEX vai à Índia para expandir exportações

O gerente de produto leite, Bruno Scarpa Nilo, visitou cooperativas e projetos governamentais voltados para pecuária leiteira
Bruno Scarpa Nilo, gerente de produto leite da GENEX

Bruno Scarpa Nilo, gerente de produto leite da GENEX - Foto: Divulgação

O gerente de produto leite da GENEX (antes CRI Genética), Bruno Scarpa Nilo, esteve nas cidades indianas de Mumbay, Ahmedabad e Ananda com o objetivo de visitar cooperativas leiteiras e projetos do governo voltados para melhoramento genético, com foco em expandir as exportações para o país e trocar experiências.

O projeto Bombay Gowrakshak Mandali, que há cinco anos importou sêmen de dois touros Gir brasileiros, possui hoje um rebanho de aproximadamente 500 animais da raça e outras locais. “Agora a nossa tratativa abrirá portas para que esses animais filhos dos touros brasileiros sejam inseminados com nossos touros. Apresentamos os animais Curiango e Gabeira, que foram muito elogiados, além das novas contratações que impressionaram, como Trovão e Edank”.

Uma das visitas ocorreu no The National Dairy Development Board, entidade do governo indiano que atua em pesquisas para trazer soluções na produção de leite nacional. “São trazidos produtos para inúmeros centros de evolução da produção de leite. Só inseminadores volantes são 1600 que recebem e trabalham o sêmen que o órgão compra e distribui”, detalha.

Já no Gujarat Livestock Development Board, centro de desenvolvimento que representa o maior estado produtor de leite da Índia e de onde saiu o ancestral do Gir brasileiro, Scarpa Nilo explica que estão buscando a "vaca ideal para a Ásia" e investindo para isso. “Mostramos o gado Girolando e foi muito bem aceito. Ficaram também muito impressionados com os números dos Gir apresentados e o quanto a raça evoluiu no Brasil”.

A visita foi encerrada na Cooperativa AMUL, a maior cooperativa indiana, atualmente com cerca de 3.6 milhões de produtores de leite cadastrados, captando 22 milhões de litros por dia. “Os números na Índia são gigantescos, desde a quantidade de animais, número de produtores, inseminadores e animais inseminados. Tudo é astronômico! Nossa tarefa agora é levar a melhor genética de Gir e Girolando brasileira para lá e, assim, elevar a média de produção por vaca dia, que hoje é na casa de três litros”, finaliza.

Fonte: Ass. de Imprensa

INTERCONF

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e recebas as principais notícias em seu email.

IntercorteVIII ClanaPORK EXPO 2018INTERCONFEurotierACAV 2018